21/06/2018
Login
Entrar

Economia

12/08/2017

Nova Serrana mantém estabilidade e projeta incremento de 8%

Expectativa é de melhora com datas comemorativas
Ana Amélia Hamdan
Email
A-   A+
Em 2016, foram produzidos pelas indústrias do polo 105 milhões de pares de sapato/Extraído do Liro "Arte em Couro"
O polo calçadista de Nova Serrana, no Centro-Oeste de Minas, encerrou os sete primeiros meses de 2017 com uma produção de 49 milhões de pares de sapatos, apontando para uma estabilidade no comparativo com igual período do ano passado. Mesmo com esse resultado, a expectativa é que o setor feche o ano com alta de 8% na produção, segundo informou o presidente do Sindicato Intermunicipal das Indústrias de Calçados de Nova Serrana (Sindinova), Pedro Gomes da Silva. Em 2016 foram produzidos na na região 105 milhões de pares de sapato.

Essa perspectiva de crescimento está amparada no fato de a cidade manter índices positivos de contratação de janeiro a junho, sendo destaque no Estado. Além disso, o segundo semestre é historicamente melhor que o primeiro, com datas comemorativas fortes para o setor, como Dia dos Pais, Dia das Crianças e a principal delas – o Natal. A cidade ainda receberá, neste mês, duas feiras importantes: a 20ª Feira de Calçados de Nova Serrana (Fenova) e a 11ª Feira de Máquinas e Componentes para Calçados (Febrac).
De acordo com o presidente do Sindinova, o ano começou com os negócios muito aquecidos – as vendas aumentaram aproximadamente 25% em janeiro e fevereiro no comparativo com os dois meses iniciais de 2016. Logo em seguida, no mês de abril, foi registrada queda no volume de negócios. Com isso, houve uma estabilização no comparativo primeiro semestre 2016/primeiro semestre 2017.

Ainda segundo Pedro Gomes, ao sentir essa redução, os empresários reagiram buscando melhorar a produtividade e, com isso, aumentar a competitividade. A estratégia deu resultado. “Superamos essa retração e já sentimos que as vendas voltaram a crescer. Até porque os lojistas estão com estoques baixos”, disse. O sindicato não tem o levantamento do faturamento do segmento.

O analista técnico do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) - Unidade Nova Serrana,  Denis Magela da Silva, disse que é possível perceber na cidade uma movimentação maior nas fábricas, mostrando o empresariado com expectativa positiva para o segundo semestre. Ele ressalta que a partir do resultado da 20ª Fenova será possível verificar com maior exatidão como ficará o desempenho do setor nesta última metade do ano.

Os bons resultados da indústria calçadista de Nova Serrana vêm sendo atribuídos a fatores diversos, entre eles maior flexibilidade e qualificação do empresariado. Além disso, segundo Denis Magela Silva, o produto oferecido por Nova Serrana, que é de qualidade e com preços mais baixos, ganha espaço num cenário de recessão. O calçado feminino é a principal mercadoria oferecida e responde por cerca de 65% da produção das fábricas de calçados.

Leia também:
Dificuldade é encontrar mão de obra

Feiras -
A Fenova acontecerá no Centro de Convenções de Nova Serrana, entre os dias 15 e 19 deste mês, e reunirá cerca de 200 marcas. Realizada semestralmente, a feira apresenta lançamentos, tendências calçadistas, além de gerar novos negócios e propiciar contatos entre lojistas e industriais do polo.

Já a 11ª Febrac vai de 29 a 31 deste mês e reunirá 97 expositores. Essa mostra é destinada a empresários e profissionais do setor calçadista. Devido aos dois encontros, os hotéis da cidade estão lotados, segundo Pedro Gomes.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

21/06/2018
Conselho da Vale aumenta cautela após desastre da Samarco, em Mariana
São Paulo - O rompimento, em novembro de 2015, de uma barragem da Samarco, empresa na qual a Vale é sócia junto à anglo-australiana BHP Billiton, elevou muito o...
21/06/2018
Confiança do empresário recua 6,7 pontos
Resultado apurado em Minas cai de 54,2 pontos em maio para 47,5 pontos em junho, segundo a Fiemg
21/06/2018
Pesquisa aponta que 92% das empresas do País esperam mais receita e patrimônio até 2020
São Paulo - Apesar do momento de incertezas no mercado, as empresas brasileiras acreditam que, até 2020, conseguirão ampliar a receita líquida e o patrimônio....
21/06/2018
Presidente Temer afirma que Brasil abriu mais 33 mil vagas formais de emprego em maio
Brasília - O Brasil abriu mais de 33 mil vagas formais de emprego em maio, com forte desaceleração em relação ao mês anterior, segundo o Cadastro Geral de...
21/06/2018
BMB investirá R$ 107 mi em planta de Itaúna
Objetivo da Belgo-Mineira Bekaert é ampliar a capacidade de produção de cabos de aço para reforço de pneus
› últimas notícias
Conselho da Vale aumenta cautela após desastre da Samarco, em Mariana
Confiança do empresário recua 6,7 pontos
Pesquisa aponta que 92% das empresas do País esperam mais receita e patrimônio até 2020
Presidente Temer afirma que Brasil abriu mais 33 mil vagas formais de emprego em maio
BMB investirá R$ 107 mi em planta de Itaúna
Leia mais notícias ›
› Newsletter
O melhor conteúdo exclusivo e gratuito no seu e-mail:




Cadastrar
› Mais Lidas
Leia todas as notícias ›
Publicidade
› Assine o DC

Acesso completo

aos conteúdos online e versão impressa.
Único jornal especializado em Economia, Negócios e Gestão de Minas Gerais.
Ferramenta indispensável para fazer bons negócios.
› Edição Impressa


21 de junho de 2018
Conteúdo exclusivo para assinantes
› DC no Facebook
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.