Publicidade

Negócios

17/02/2017

O que o filme Estrelas Além do Tempo tem a ensinar sobre times inovadores

Laís Grilletti |
Email
A-   A+
Inspirados pelo filme Estrelas Além do Tempo, extraímos as principais lições do projeto que colocou o primeiro americano no espaço em 1962 para os empreendedores que lideram projetos disruptivos.

Era o início da década de 1960. Em meio a ameaças de ataques nucleares e incertezas da Guerra Fria, os Estados Unidos corriam contra o tempo. Tendo a NASA como líder do projeto, o objetivo era vencer a corrida espacial e ser o primeiro país a levar o homem para o espaço, antes da Rússia. Afinal, seria inaceitável ficar em segundo lugar em uma corrida de dois.

O que hoje é considerado um capítulo da história da humanidade não passava de um projeto de inovação em 1962. Completamente disruptivo e ambicioso. Talvez por isso ele inspire a formação de times inovadores até hoje. Na NASA ou na sua empresa, alguns aprendizados são universais.

Usando como referência no Estrelas Além do Tempo, filme lançado no início de fevereiro que conta a história de três mulheres negras cientistas da NASA, selecionamos alguns deles!

1) Chega primeiro quem se prepara para o que ainda não existe

Se o mundo em que vivemos hoje é incerto, como bem explicou Ricardo Guimarães nesse vídeo, imagine você o que era na década de 1960, com a ameaça de uma guerra nuclear sendo a notícia do jornal da manhã. Na NASA, a grande revolução da informação começou de um jeito bastante tímido — a chegada de um computador IBM que ocupava uma sala inteira. O que poderia passar despercebido para qualquer um foi sinal de alerta para Dorothy Vaughan. Ela liderava o time de computadores da NASA, um grupo de mulheres que passavam os dias fazendo cálculos matemáticos com a ajuda de uma calculadora. E já enxergava que, com aquela máquina, seu trabalho logo seria desnecessário.

Ou ela seria uma das pessoas que sabiam programar esses novos computadores, ou logo cumpriria aviso prévio na organização.

Como mostra o filme, Dorothy decidiu seguir a primeira opção. Começou a estudar programação de computadores da IBM para ensinar tudo às meninas do seu time. E prepará-las para o que estava por vir!

Vale lembrar que isso foi antes da emergência da sociedade da informação que mudou todas as dinâmicas do mundo e tornou tudo ainda mais rápido e complexo. Algo que pode ser resumido neste gráfico sobre o crescimento exponencial da inovação desde a Idade Média.



E no caso do seu time? Como falamos nesse artigo, as tendências de futuro dos negócios, produtos e serviços são como avisos de grandes ondas que estão chegando. Se você souber olhar com antecedência, tem mais tempo de se preparar. Mais do que isso: se o mundo caminha guiado pela incerteza, essa é a sua oportunidade de criar algo novo naquela sala vazia que te oferecerem.

2) Só lidera a corrida quem tem coragem de tomar ações decisivas

Em uma época em que os banheiros eram divididos entre brancos e negros, Katherine Goble passava pelo menos 40 minutos todos os dias fora da mesa do escritório. Isso porque o único banheiro para mulheres negras ficava em outro prédio do complexo da NASA, a 800 metros de onde ela estava. E várias vezes ao dia, ela levava seus materiais de trabalho correndo de salto alto até lá — mesmo em dias de chuva. Em um desses dias, o líder do projeto, Al Harrison, perguntou onde ela ia — e ela contou sobre tudo que estava passando e como isso impedia que ela fizesse um bom trabalho.

A atitude de Harrison é exemplo do que um líder pode fazer quando alguém do time chega com um problema. Ele pegou uma marreta e destruiu a placa do banheiro que dizia “colored women”. Não existiria mais distinção entre banheiros, cafeteiras ou funcionários.

E você, o que faz quando uma pessoa do time apresenta um problema? Você espera para que o problema se resolva sozinho ou toma a ação e derruba os obstáculos?

3) Vence a corrida quem administra melhor o fluxo de informações

Seja a corrida espacial, seja a competição de mercado que a sua empresa enfrenta, o modo como as informações fluem dentro da organização é o que determina quem vai cruzar a linha de chegada. Como o filme conta, no projeto de fazer um astronauta ultrapassar a órbita da Terra, por exemplo, as coordenadas de lançamento do foguete e resgate da cápsula são fundamentais tanto para os matemáticos quanto para os engenheiros do projeto. Porém, as reuniões a portas fechadas com autoridades sem a presença de pessoas fundamentais do time levavam a horas perdidas de cálculos e análises que seriam desconsiderados no dia seguinte, por estarem obsoletas.

Além disso, com a justificativa de serem confidenciais, as informações dos cálculos por trás da construção dos foguetes e da trajetória da decolagem eram grifadas de preto no relatório, deixando apenas o que parecia “essencial”. Nada que não pudesse ser contornado colocando a folha contra a luz para se ler melhor. Mas que poderia ter salvo algumas horas de trabalho improdutivo pela simples transparência de comunicação.

É claro que no seu negócio, mesmo com computadores criptografados, não existem tantos segredos. Mas, a reflexão que fica é para você fazer uma revisão no fluxo de informações da sua empresa. Existem pontos de bloqueio ou dificuldades para as notícias fluírem? Isso é causado por excesso de hierarquia, falta de transparência, medo de competição ou diferenças entre áreas? E de que forma isso impacta o desenvolvimento de produtos, serviços e projetos?

Você empreendedor é o primeiro que deve se preocupar em eliminar qualquer barreira para um bom fluxo de informações, investigando esses possíveis bloqueios e trabalhando com a transparência.

Mesmo que algo pareça muito delicado e difícil de ser comunicado, pense que é melhor seu time ouvir de você do que pelos corredores da empresa.

4) "Na minha cabeça, eu já estou lá."

Se hoje parece impossível de acreditar que o homem já tenha pisado na Lua, imagine no início dos anos 1960? Quando uma ideia é tão original que encontra poucas referências no que existe hoje ou já foi feito um dia, cabe ao empreendedor ter uma visão forte sobre essa nova realidade.

Para Al Harrison, que liderava o grupo de cientistas e matemáticos, antes mesmo de conseguirem fazer um americano contornar a órbita da Terra, ele já acreditava que a NASA seria capaz de levar o homem para a Lua. Cinquenta anos depois, Elon Musk trabalha com um time de mais de 4 mil pessoas na SpaceX para revolucionar a tecnologia espacial, tornando possível para nós vivermos em outros planetas. Nas palavras dele, “I’d like to die on Mars, just not on impact.” (Eu gostaria de morrer em Marte, mas não com o impacto do foguete.)

Trazendo para o universo brasileiro, Zica, empreendedora do Beleza Natural, tinha a visão de que uma mulher de cabelos crespos não precisaria alisar ou cortar seu cabelo para se sentir bonita do jeito que é. Levou 10 anos para ela chegar na fórmula do Super-Relaxante que realça a beleza dos cabelos crespos, mas hoje essa visão já é realidade. Passados mais de 35 anos, o Beleza Natural emprega mais de 3 mil pessoas no Brasil e já tem planos de explorar o resto do mundo.

E você, como fortalece sua visão para que ela seja cada vez mais nítida para você e para o seu time?

5) Nem sempre ter os melhores ao seu lado te faz vencer a corrida

“Como ficamos em segundo lugar em uma corrida de 2?” Essa é a fala de Al Harrison para o seu time depois da notícia de que o cosmonauta Iuri Gagarin era o primeiro homem a viajar pelo espaço. Nesse momento, Al Harrison reúne todo o seu time e se pergunta: onde eles estão errando? Eles têm a tecnologia, as pessoas e, mais do que tudo, a vontade de chegar primeiro. Mas por que, mesmo com os melhores gênios reunidos em uma sala, não conseguiram vencer?

Nem sempre ter as melhores cabeças ao seu lado é o suficiente. É preciso uma liderança que desperte o potencial de cada um, o estilo inovador e complementar. O líder é responsável por criar uma dinâmica de trabalho que potencialize o que existe de melhor em cada um e crie uma combinação complementar de habilidades, estilos e personalidades. É preciso também ter um time que, mesmo que seja bom tecnicamente, seja capaz de enxergar além dos números.

Se você ainda não tem planos para o fim de semana, coloque na sua lista: Estrelas Além do Tempo é tipo de filme que vale a hora do empreendedor mais ocupado — e com certeza da empreendedora!

E para se aprofundar no tema de formação de times inovadores, sugerimos que você conheça o mini curso gratuito Formando Times Certos para Projetos Inovadores da Endeavor. Criado em parceria com o mentor Maximiliano Carlomagno, ele foi desenvolvido para guiar empreendedores no processo de formação de times complementares e equilibrados. Basta se cadastrar para receber uma série de e-mails que te ajudam a desenvolver as competências da inovação por meio de ferramentas, artigos e exercícios práticos.

Artigo originalmente publicado no site da Endeavor Brasil

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

30/03/2017
TUG entra em fase preliminar de operação
Com inauguração prevista para maio, fábrica localizada em Uberaba produzirá 25 mil litros/mês
30/03/2017
Teste de integridade: como mapear o DNA ético do seu futuro colaborador?
Entre o que uma pessoa diz que faz e o modo como ela realmente age pode existir um abismo. Como identificar essas tendências e o comportamento ético real de um funcionário,...
30/03/2017
Dello prevê ampliar vendas para o mercado externo
Empresa já negocia com 9 países da AL
30/03/2017
Itatiaia investiu mais de R$ 10 milhões
A mineira Itatiaia está entre as três maiores indústrias de móveis do Brasil voltados para as classes C e D. Líder do mercado em cozinhas de aço, a empresa, com parque industrial em Ubá...
30/03/2017
Embraer se instala no Vale do Silício de olho em inovações disruptivas
São Francisco - A Embraer anunciou que terá uma equipe de inovação no Vale do Silício e em Boston, nos Estados Unidos. O objetivo é trabalhar em...
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.