Publicidade
25/02/2018
Login
Entrar

DC Mais

20/05/2017

Pesquisa alerta que 91% dos brasileiros se automedicam

Email
A-   A+
São Paulo - Em 19 de maio é comemorado o dia de combate à dor de cabeça, problema que atinge muitos brasileiros em diversas fases da vida. Justamente por ser tão comum, a dor (que também pode ser chamada de cefaleia) é considerada “normal” – mas, na verdade, é um sintoma que pode indicar problemas mais graves.

De acordo com pesquisa do Ibope encomendada pela Neosaldina, realizada com 1.002 brasileiros, 91% das pessoas se automedicam e, dessas, a maioria (58%) também opta por relaxar, dormir e ficar sozinha para aliviar os sintomas. Especialistas, porém, indicam procurar um médico.

Quando a cefaleia deve ser reportada a um especialista? Se houver dor três vezes em um mesmo mês, após três meses, é hora de procurar um neurologista - pelo menos é o que indica a Sociedade Brasileira de Cefaleia, que lançou a campanha “Três é Demais”, para estimular a procura de um médico e mostrar que sentir dor não é normal.

“As pessoas acham que é normal ter dor de cabeça, mas nenhuma dor é normal. Se a pessoa está com dor de dente, eu tenho certeza de que no dia seguinte ela vai ao dentista. Já quando é dor de cabeça, as pessoas demoram para procurar um médico. Toda dor é sinal de que algo pode estar errado”, explica Thaís Villa, neurologista chefe do setor de cefaleias da Unifesp.

Os dois tipos mais comuns de dor de cabeça são a tensional, que ocorre ocasionalmente e pode ser causada por diversos fatores, e a enxaqueca, uma doença cujo sintoma principal é a cefaleia. “A dor de cabeça da enxaqueca é específica. Ela tende a ser unilateral, ou seja, dói mais de um lado da cabeça, causa dor nos olhos, tem a característica de dor pulsada, latejante. Além disso, uma pessoa com enxaqueca fica mais sensível a situações rotineiras, como mínimos barulhos, ruídos e cheiros. Outros sintomas são problemas gástricos, como dor abdominal e até vômito, alteração na visão e tontura”, explica a neurologista.

Seja a enxaqueca, seja a tensional, estudos comprovam que a mulher sofre mais de dor de cabeça, muito por conta das alterações hormonais pelas quais ela passa durante a vida. “As mulheres sentem mais por causa das alterações hormonais naturais que as mulheres têm durante o mês. Essas mudanças são um gatilho importante, principalmente, em crises de enxaqueca. Na gestação, no pós-parto, no climatério (fase antes da menopausa), as primeiras alterações na adolescência são todos gatilhos para dores de cabeça”, exemplifica Thaís.

Alimentação - Já em um nível geral, três das principais causas para dores de cabeça tensionais são o nível de tensão, a qualidade do sono e a alimentação. Na pesquisa, 87% dos entrevistados se disseram estressados, e 60% atribuíram a dor de cabeça à insônia. Além disso, 48% afirmaram que alimentos gordurosos e frituras provocam dor.

A neurologista explica que alimentos como bebida alcoólica, cafeína e substâncias que contêm glutamato monossódico podem causar dor. “Porém, mais do que os alimentos ingeridos, o jejum prolongado também pode ser uma causa e deve ser evitado principalmente por pessoas que têm enxaqueca”, ressalta.

Ao começar a sentir muita dor de cabeça, é recomendado que a pessoa anote os alimentos para falar ao médico, a fim de identificar gatilhos que ocasionam a cefaleia.

O objetivo do dia nacional de combate à dor de cabeça é incentivar as pessoas a procurarem um neurologista quando as dores se tornarem constantes - e diminuir a automedicação. “A dor de cabeça é sintoma e pode indicar problemas gástricos, meningite, gripe, dengue e outras doenças. Deve ser sempre um sinal de alerta. Tomar analgésicos uma, duas vezes ao mês não tem problema, mas isso não pode se tornar constante, afinal, remédio em excesso prejudica o organismo”, alerta a médica.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

24/02/2018
ONU denuncia execução de menores em ações contra as drogas no Rio
Genebra - Relatores e peritos da Organização das Nações Unidas (ONU) denunciam a execução de menores nas favelas do Rio de Janeiro no contexto de...
24/02/2018
Curtas DC Mais 24/02
Pacote anticorrupção O Brasil teve piora no ranking que avalia a percepção da corrupção no mundo, divulgado pela Transparência Internacional...
24/02/2018
Agenda Cultural 24/02
Sinfônica e Coral Lírico Apresentações - A Orquestra Sinfônica e o Coral Lírico de Minas Gerais iniciam a temporada erudita da FCS em 2018 com as...
23/02/2018
Ricos momentos em família, como brincar com os primos
Meu pai teve dez irmãos. Minha mãe, 13. Sou descendente, pois, de duas famílias numerosas, o que me agrada muito. As festas todas eram sempre para dezenas de convidados, de...
23/02/2018
Curtas DC Mais 23/02
Educação a distância O ensino não-presencial é realidade crescente na Educação. A internet, as redes sociais e as novas tecnologias fazem...
› últimas notícias
IBGE apura aumento de 2,1% no número de pessoas ocupadas em Minas Gerais
Atividade econômica avança no Sudeste, Nordeste e Sul, e recua no Norte e Centro-Oeste do País
Produção recua em Minas, mas setor mantém o otimismo
Aneel confirma bandeira verde em março
Jucemg apura aumento no número de empresas abertas
Leia mais notícias ›
› Newsletter
O melhor conteúdo exclusivo e gratuito no seu e-mail:




Cadastrar
› Mais Lidas
Magistrados federais anunciam paralisação
Fiemg investe em Centro de Treinamento
Tribunal investigará contas do Estado
Por temor, México recorre a milho do Brasil
Multicoisas vai abrir 35 lojas em 2018
Leia todas as notícias ›
Publicidade
› Assine o DC

Acesso completo

aos conteúdos online e versão impressa.
Único jornal especializado em Economia, Negócios e Gestão de Minas Gerais.
Ferramenta indispensável para fazer bons negócios.
› Edição Impressa


23 de fevereiro de 2018
Conteúdo exclusivo para assinantes
› DC no Facebook
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.