Publicidade
22/09/2017
Login
Entrar

Economia

22/08/2017

Petrobras aumenta preços da gasolina em 3,3% e do diesel em 2,3% nas refinarias

AE
Email
A-   A+
São Paulo – A Petrobras vai elevar os preços da gasolina em 3,3% e do diesel em 2,3% a partir de hoje. A nova política de revisão de preços foi divulgada pela petroleira no dia 30 de junho. Com o novo modelo, a Petrobras espera acompanhar as condições do mercado e enfrentar a concorrência de importadores.

Em vez de esperar um mês para ajustar seus preços, a Petrobras agora avalia todas as condições do mercado para se adaptar, o que pode acontecer diariamente. Além da concorrência, na decisão de revisão de preços, pesam as informações sobre o câmbio e as cotações internacionais.

O valor médio da gasolina vendido nos postos subiu em 14 estados  e no Distrito Federal na semana passada, segundo dados da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Na média nacional, a alta foi de 0,11%, para R$ 3,762 o litro.

Em outros 12 estados brasileiros, incluindo São Paulo, o preço da gasolina recuou. Em São Paulo, maior consumidor do País, o litro da gasolina caiu 0,59% na semana passada, de R$ 3,540, para R$ 3,519, em média.

Em Minas Gerais houve alta média no preço gasolina de 1,42%, de R$ 3,809 para R$ 3,863 o litro, enquanto que no Rio de Janeiro o aumento foi de 0,31%, de R$ 4,127 para R$ 4,140, em média. O Rio de Janeiro tem o segundo maior preço médio da gasolina no País, atrás apenas do Acre, onde o litro custa, em média, R$ 4,361.

Leia tambem:
ANP vai priorizar volta da produção de campos maduros
Venda de participação na Termobahia é suspensa


Etanol - Os preços do etanol hidratado nos postos brasileiros subiram em 17 estados e no Distrito Federal na semana passada, segundo levantamento da ANP. Em outras oito unidades da federação houve recuo nos preços. A ANP não divulgou novamente os valores nos postos do Amapá.

Em São Paulo, principal Estado produtor e consumidor, a cotação média do hidratado avançou 0,67% na semana passada, de R$ 2,390 para R$ 2,406 o litro. No período de um mês, os preços do combustível subiram 9,56% nos postos paulistas.

A maior alta semanal, de 4,63%, ocorreu na Paraíba, seguido por Rondônia, com aumento médio de 2,68%. Na média dos postos brasileiros pesquisados pela ANP, houve alta de 0,73% no preço do etanol na semana passada. O maior recuo do etanol na semana passada, de 10,45%, foi em Roraima, seguido por Alagoas (-1,57%).

No período de um mês, os preços do etanol recuaram apenas em Roraima, em 2,04%, e no Tocantins, com 2,36%. Os maiores aumentos mensais foram em Mato Grosso, de 12,74%, e em Goiás, de 11,49%. Na média brasileira, o preço do médio do etanol nos postos pesquisados pela ANP acumulou aumento de 7,84% no período de um mês.

No Brasil, o preço mínimo registrado na semana para o etanol em um posto foi de R$ 1,989 o litro, em São Paulo, e o máximo individual foi de R$ 4,21 o litro, no Rio Grande do Sul. O menor preço médio estadual foi de R$ 2,406 o litro, em São Paulo, e o maior preço médio foi verificado no Acre, de R$ 3,626 o litro.

Competitividade - Os preços médios do etanol hidratado são competitivos com os da gasolina em São Paulo e em Mato Grosso, segundo dados da ANP. O levantamento considera que o combustível de cana, por ter menor poder calorífico, tenha um preço limite de 70% do derivado de petróleo nos postos para ser considerado vantajoso.

Em Mato Grosso, onde o etanol está mais competitivo, o combustível é vendido em média por 62,83% do preço da gasolina. Em São Paulo a paridade está em 68,37%. Em Minas Gerais o etanol custa em média, 70,08% do preço da gasolina e em Goiás a paridade é de 70,35%, ou seja, é praticamente indiferente o uso dos dois combustíveis nos veículos flex nesses estados.

A gasolina segue mais vantajosa principalmente em Roraima. Naquele Estado, onde não há fabricação de álcool e há uma dificuldade logística para o recebimento do combustível das regiões produtores, o preço do etanol está em 97,01% do cobrado em média pela gasolina.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

22/09/2017
Minas Gerais tem saldo negativo de 9.445 postos
Resultado é referente a agosto
22/09/2017
Elmo Calçados fecha acordo com credores e evita falência
Dívida gira em torno de R$ 46 mi
22/09/2017
Agência Nacional pode modernizar gestão governamental sobre a indústria da mineração
Para o diretor-geral do DNPM, a autarquia, prevista em medida provisória, vai destravar processos
22/09/2017
Empresas fazem aportes para leilão de usinas da Cemig
Ao mesmo tempo, são realizadas reuniões de conciliação com o governo federal para prorrogar concessões
22/09/2017
Setor de construção civil volta a apresentar melhora no Estado
Sondagem divulgada pela Fiemg e Sinduscon-MG registrou em julho a segunda alta consecutiva
› últimas notícias
Editorial
"A Costa dos Murmúrios", da portuguesa Lídia Jorge
CCPR assume 100% de participação na Itambé
Temer recebeu propina, afirma Funaro
Banco Central reduz as projeções para a inflação deste ano
Leia mais notícias ›
› Newsletter
O melhor conteúdo exclusivo e gratuito no seu e-mail:

Cadastrar
› Mais Lidas
Usiminas reajustará preços em 10,2%
Setor de mineração deve mudar o foco dos investimentos
Fiemg apresenta plano para o Alto Paranaíba
BR Food cogita reduzir produção em fábricas de Uberlândia
Crise econômica impacta o financiamento estudantil
Leia todas as notícias ›
Publicidade
› Assine o DC

Acesso completo

aos conteúdos online e versão impressa.
Único jornal especializado em Economia, Negócios e Gestão de Minas Gerais.
Ferramenta indispensável para fazer bons negócios.
› Edição Impressa


22 de September de 2017
Conteúdo exclusivo para assinantes
› DC no Facebook
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.