Publicidade
22/10/2017
Login
Entrar

Internacional

15/03/2017

Petróleo brasileiro tem 2º mês de exportações recordes

Estatais chinesas teriam comprado 5 milhões de barris da commodity do País
Email
A-   A+
Aumento das exportações permitiu ao Brasil fortalecer sua presença no mercado asiático/Imprensa/Agência Petrobras
São Paulo - O Brasil exportou cerca de 1,63 milhão de barris por dia (b/d) de petróleo em fevereiro de 2017, estabelecendo um novo recorde pelo segundo mês consecutivo, informou nessa terça-feira (15) a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) em relatório.

As exportações de petróleo do País continuaram a registrar fortes ganhos desde o início do ano. As exportações médias de 2016 ficaram pouco abaixo de 840 mil barris por dia e terminaram o ano com uma contração de 29% em relação a 2015. No primeiro mês de 2017, as exportações subiram para 1,32 milhão b/d e continuaram a subir em fevereiro.

Maiores exportações permitiram o Brasil aumentar sua presença no crescente mercado asiático. O aumento dos fluxos tem sido apoiado por preços mais baixos do WTI em relação ao Brent e os valores de Dubai, tornando as classes baseadas em WTI mais competitivas.

Segundo a Opep, duas empresas estatais chinesas teriam comprado 5 milhões de barris ou mais de petróleo bruto brasileiro em março.

O aumento das exportações também ocorre em um momento de novos projetos na área do pré-sal do País. Em janeiro, a produção do pré-sal atingiu uma média de 1,28 milhão b/d, representando cerca de 48% da oferta de petróleo do país.

Leia também
Grupo cortou produção em 139,5 mil barris/dia


Pré-sal - Com crescimento apoiado principalmente pelo aumento da produção do pré-sal, outro fator que ajudou as exportações foi a redução das necessidades domésticas de petróleo, além da recessão nos últimos dois anos, destacou a Opep.

Para 2017, espera-se que a demanda brasileira de petróleo aumente em 35 mil b/d, com média de 2,36 milhões de b/d. “A indústria de petróleo do País tem se mostrado um dos pontos fortes da economia brasileira neste ano em termos de investimento estrangeiro direto”, apontou a Opep. No início de março, a Total e a Petrobras assinaram o acordo final de venda de US$ 2,25 bilhões em ativos, incluindo participações em áreas de concessão offshore.

O fornecimento de petróleo da América Latina deverá aumentar em 180 mil b/d para uma média de 5,30 milhões b/d em 2017, diminuindo em relação a 2016 em 90 mil b/d. A produção de petróleo no Brasil deverá aumentar em 260 mil b/d, enquanto outros países da região sofrerão declínios. (AE)

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

21/10/2017
UE vai insistir em acordo com o Mercosul
Conversas serão mantidas, apesar das reservas da França em relação às importações agrícolas
21/10/2017
China prepara emissão de bônus em dólar
Pequim - A China selecionou dez bancos, incluindo quatro estrangeiros, para coordenar uma emissão de bônus denominado em dólares no valor de US$ 2 bilhões, que...
21/10/2017
Trump anuncia três candidatos para assumir o Fed
Washington – O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou que tem três candidatos preferidos para o comando do Federal Reserve (Fed, o banco central americano) a partir de...
21/10/2017
Setor imobiliário está desacelerando neste ano
Pequim - A China registrou um crescimento econômico relativamente sólido no terceiro trimestre impulsionado por uma atividade de serviços mais forte, embora haja sinais de...
20/10/2017
Brasil seria país mais alinhado para conquistar vaga na OCDE
Adesão foi solicitada em junho, mas aprovação pode levar 4 anos
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.