21/06/2018
Login
Entrar

Agronegócio

13/03/2018

Preços pagos por carne suína em Minas recuam 10,8%

Tendência é de que valores continuem em queda
Michelle Valverde
Email
A-   A+
O custo de produção do quilo do suíno vivo gira em torno de R$ 3,80/Divulgação
A queda de 26,8% verificada nos volumes embarcados de carne suína em Minas Gerais no primeiro bimestre do ano provocou aumento da oferta do produto no mercado interno e, consequentemente, redução expressiva nos preços pagos ao suinocultor. Em uma semana, os valores retraíram 10,8% e a tendência é de que haja novo recuo. A situação da atividade é considerada desafiadora, uma vez que os custos de produção estão registrando alta, enquanto o preço recebido pelo quilo do suíno vivo está abaixo do necessário para garantir lucro.

De acordo com o vice-presidente da Associação dos Suinocultores do Estado de Minas Gerais (Asemg), José Arnaldo Cardoso Penna, a demanda pela carne suína está enfraquecida tanto no mercado externo como no interno, o que agrava a situação do setor.

Em relação aos embarques, segundo os dados da Secretaria de Estado da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), no primeiro bimestre de 2018, as exportações de carne suína no Estado caíram 35,1% em faturamento, que somou US$ 5,2 milhões. No intervalo, foram destinadas 2,87 mil toneladas de carne suína para o exterior, queda de 26,8% frente a igual bimestre de 2017.

“Com o menor volume exportado, houve um desequilíbrio entre a oferta e a demanda no mercado interno. A consequência foi uma queda significativa nos preços pagos pelo quilo do suíno vivo”, disse Cardoso Penna.

Segundo os dados da Asemg, o quilo do suíno vivo estabelecido em acordo entre frigoríficos e produtores foi de R$ 3,30, no dia 9 de março, com validade para esta semana. O valor está 10,8% menor do que o fechado na primeira semana do mês, quando o quilo foi negociado a R$ 3,70. Em relação a igual período do ano anterior, o recuo chega a 26,6%, uma vez que o quilo do suíno vivo estava cotado a R$ 4,50, na segunda semana de março de 2017.

“Fechamos o valor de R$ 3,30 na sexta, mas alguns frigoríficos já estão pagando R$ 3,20 pelo quilo do animal vivo. Alguns produtores relataram que os compradores avisaram que o preço cairá ainda mais ao longo da semana, podendo recuar para R$ 3,00”.

Situação crítica - Cardoso Penna explica que além da retração expressiva verificada nas exportações de carne suína, a taxa elevada de desemprego e a redução da renda das famílias são fatores que também estão contribuindo para que o mercado interno não absorva a produção e ocorra queda nos preços pagos aos suinocultores.

Com o recuo dos preços, a situação da atividade é considerada crítica. Cardoso Penna relata que o custo de produção do quilo do suíno vivo gira em torno de R$ 3,80 e, em algumas regiões, chega a R$ 4,00. Recebendo, em média, R$ 3,30 pelo volume, o produtor acumula prejuízos.

Os custos elevados estão atrelados à valorização dos preços do milho e do farelo de soja. De acordo com o representante da Asemg, em um mês, a saca de 60 quilos de milho passou de uma média de R$ 32 para R$ 42, o que significa uma alta de 31,25%.
Já o farelo de soja passou de R$ 950 a tonelada para R$ 1.270, levando em consideração o mercado de Uberlândia, região que concentra grande parte da produção de grãos e tem preços mais acessíveis.

“O momento é muito delicado, e o suinocultor precisa estar atento aos custos de produção e à gestão das unidades produtoras, o que é importante para tentar minimizar os prejuízos”, disse Cardoso Penna.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

21/06/2018
Concurso premia os 31 melhores queijos artesanais do Estado
As sete regiões produtoras foram representadas no certame, que contribui para abertura de mercados
21/06/2018
Governo lança plano para cadeia do feijão e pulses
Brasília – Lançado ontem, pelo ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, o primeiro plano nacional criado para a cadeia do feijão...
21/06/2018
Programa subsidiará ações para uso sustentável
Brasília - O presidente da República, Michel Temer, e o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, assinaram decreto que institui o Programa Nacional de Levantamento e...
21/06/2018
Serra do Salitre conquista a Super Ouro
Na 11ª edição do Concurso Estadual de Queijo Minas Artesanal, o grande campeão foi o produtor da região da Serra do Salitre, José Baltazar da Silva....
20/06/2018
Receita do agronegócio pode recuar 0,52% no Estado em 2018
Previsão é de R$ 56,44 bilhões, com alta de 3,3% na agricultura e redução de 6,9% na pecuária
› últimas notícias
Conselho da Vale aumenta cautela após desastre da Samarco, em Mariana
Confiança do empresário recua 6,7 pontos
Pesquisa aponta que 92% das empresas do País esperam mais receita e patrimônio até 2020
Presidente Temer afirma que Brasil abriu mais 33 mil vagas formais de emprego em maio
Belgo-Mineira Bekaert investirá R$ 107 mi em planta de Itaúna
Leia mais notícias ›
› Newsletter
O melhor conteúdo exclusivo e gratuito no seu e-mail:




Cadastrar
› Mais Lidas
Leia todas as notícias ›
Publicidade
› Assine o DC

Acesso completo

aos conteúdos online e versão impressa.
Único jornal especializado em Economia, Negócios e Gestão de Minas Gerais.
Ferramenta indispensável para fazer bons negócios.
› Edição Impressa


21 de junho de 2018
Conteúdo exclusivo para assinantes
› DC no Facebook
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.