19/07/2018
Login
Entrar




Internacional

11/04/2018

Presidente da China revela planos de ampliar importações

AE
Email
A-   A+
Como contrapartida, líder chinês espera que países diminuam restrições a produtos tecnológicos/Fred Dufour/Reuters
São Paulo - Em uma firme defesa do livre-comércio global, o presidente da China, Xi Jinping, afirmou ontem, em evento em Pequim, que as reformas econômicas do país têm tido sucesso e que o governo dele pretende ampliar as importações “necessárias à população”.

“Vamos ampliar, de forma significativa, o acesso externo ao mercado chinês este ano, à medida que estamos trabalhando persistentemente para implementar medidas de abertura o mais rápido o possível. Acreditamos que essa abertura vai nos levar a um maior progresso”, afirmou Xi, durante o Fórum Boao para a Ásia.

O presidente chinês se comprometeu ainda em implementar as medidas de abertura econômica no país, especialmente nos setores de capitais e automobilístico. Em troca, Xi espera que os países reduzam as restrições de comércio de produtos tecnológicos.

Leia também:
EUA quer ‘ações gentis’ de chineses no comércio


Caminhos opostos - O tom do discurso de Xi contrasta com a linha adotada por seu homólogo dos Estados Unidos (EUA), Donald Trump, que cada vez mais tem tomado medidas protecionistas e atacado organismos multilaterais.

Sem mencionar as recentes barreiras tarifárias impostas pelos Estados Unidos, Xi disse que acredita que “o diálogo é a melhor maneira para resolver disputas”. “A globalização pode ser mais aberta e inclusiva, com o fortalecimento dos sistemas de negociação multilateral”, ressaltou.

Ao reforçar a disposição em “contribuir com o mundo”, Xi afirmou que a China está assumindo as responsabilidades de um “país global”, sem ameaçar os outros ou prejudicar a ordem global existente.

“Nós já contribuímos para mitigar a crise financeira na Ásia e no mundo. Essa mentalidade de Guerra Fria de que estamos competindo por espaço está fora de lugar. O que acreditamos é que os Estados devem se abster de tentar ampliar sua dominância”, disse.

O evento conta com a presença, entre outros, da diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, e de empresários de diversos setores.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

19/07/2018
UE anuncia medidas de proteção contra importações de produtos de aço
Salvaguardas entram em vigor hoje
19/07/2018
Pompeo afirma que acordo de desnuclearização com Coreia do Norte pode demorar
Washington - Fechar um acordo de desnuclearização com a Coreia do Norte “pode levar algum tempo”, disse o secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo,...
19/07/2018
Trump diz que "resultados virão", após encontro com Putin
São Paulo - O presidente dos Estados Unidos (EUA), Donald Trump , disse ontem que se deu bem com o presidente da Rússia, Vladimir Putin, na cúpula realizada pelos dois...
18/07/2018
Após polêmica sobre eleição, Trump tenta acalmar ânimos
Presidente disse que se expressou mal em entrevista
18/07/2018
Mais da metade dos venezuelanos que entraram já deixaram o Brasil
Brasília - Dos 127,7 mil imigrantes venezuelanos que entraram no Brasil pelo município de Pacaraima, na região de fronteira de Roraima, no ano passado e neste ano, mais da...
› últimas notícias
Indústria pode recorrer à Justiça por repasse de verbas
Antecipação do abono anima CDL-BH
Em Minas, setor automotivo espera impulso com o Rota 2030
PBH cumpre 1ª etapa de auditoria
Demanda por cães de guarda cresce em BH
Leia mais notícias ›
› Newsletter
O melhor conteúdo exclusivo e gratuito no seu e-mail:




Cadastrar
› Mais Lidas
Leia todas as notícias ›
Publicidade
› Assine o DC

Acesso completo

aos conteúdos online e versão impressa.
Único jornal especializado em Economia, Negócios e Gestão de Minas Gerais.
Ferramenta indispensável para fazer bons negócios.
› Edição Impressa


19 de julho de 2018
Conteúdo exclusivo para assinantes
› DC no Facebook
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.