22/06/2018
Login
Entrar

Economia

13/06/2018

Presidente do Senado admite que Casa pode alterar projeto

AE
Email
A-   A+
Brasília - O presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), sinalizou ontem que poderá haver alterações no projeto que cria novas regras para a devolução de imóveis comprados na planta, o chamado “distrato”. O texto foi aprovado semana passada na Câmara, mas tem recebido críticas por beneficiar as construtoras.

“É possível (que o texto mude no Senado), o sistema é bicameral. Se o Senado entender que há necessidade de adequação do texto, nós vamos adequar e vamos agilizar para que esse assunto tenha um final feliz para todos, não apenas para alguns”, disse Eunício.

Ele afirmou que pediu um estudo sobre a proposta. “Acho que o projeto é importante do ponto de vista da estabilidade dos negócios, da segurança jurídica, mas, por outro lado, não podemos penalizar o consumidor, já tão penalizado no Brasil”.

Mais cedo, o presidente do Senado teve um encontro com o ministro das Cidades, Alexandre Baldy, os presidentes da Caixa Econômica Federal e de entidades ligadas à área da construção civil para discutir o projeto. Eles pediram “celeridade” na tramitação da proposta.

Eunício afirmou que, apesar do início da Copa do Mundo e da proximidade das eleições, o Senado vai tentar manter um “calendário especial” para que os projetos não fiquem parados. “Acho que o Congresso tem que ajudar a destravar a economia, estamos discutindo isso desde o ano passado. Mas o Congresso Nacional também tem a responsabilidade fundamental com o consumidor”, disse.

Multa - Pelo texto aprovado na Câmara, clientes que desistirem da compra de um imóvel negociado na planta terão de pagar até 50% do valor já dado à construtora como multa para se desfazer do negócio.

O valor só não será pago se o consumidor encontrar interessado que aceite a transferência de toda a dívida do imóvel. Casos julgados na Justiça, nos últimos anos, previam retenção bem menor nesses casos: de 10% a 25% como multa.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

22/06/2018
Minas apura alta de 1,4% no primeiro trimestre
Resultado, em relação ao mesmo período de 2017, é atribuído à modesta recuperação do consumo
22/06/2018
Operação financeira depende do Judiciário
O Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais (TCEMG) adiou a decisão sobre a proibição de operação financeira pretendida pelo governo de Minas, de lançar...
22/06/2018
Lucro das cinco maiores cresce 44,8% frente a 2017
Brasília - Os cinco maiores grupos das empresas estatais, composto por Petrobras, Eletrobras, BNDES, Banco do Brasil e Caixa, tiveram lucro de R$ 15,1 bilhões no primeiro trimestre...
22/06/2018
Ocupação frequente do Expominas beneficia hotéis do Oeste de BH
Com a reforma do Minascentro, eventos vão para a Gameleira
22/06/2018
União programa realizar em novembro megaleilão de áreas para exploração do pré-sal
São Paulo/Brasília - O governo federal já prevê realizar no fim de novembro um megaleilão de áreas para exploração de petróleo no...
› últimas notícias
Minas apura alta de 1,4% no primeiro trimestre
Operação financeira depende do Judiciário
Lucro das cinco maiores cresce 44,8% frente a 2017
Ocupação frequente do Expominas beneficia hotéis do Oeste de BH
União programa realizar em novembro megaleilão de áreas para exploração do pré-sal
Leia mais notícias ›
› Newsletter
O melhor conteúdo exclusivo e gratuito no seu e-mail:




Cadastrar
› Mais Lidas
Leia todas as notícias ›
Publicidade
› Assine o DC

Acesso completo

aos conteúdos online e versão impressa.
Único jornal especializado em Economia, Negócios e Gestão de Minas Gerais.
Ferramenta indispensável para fazer bons negócios.
› Edição Impressa


22 de junho de 2018
Conteúdo exclusivo para assinantes
› DC no Facebook
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.