Publicidade
24/05/2018
Login
Entrar

Negócios

17/05/2018

Processo de criação da moeda é complexo

AE
Email
A-   A+
São Paulo - Os bitcoins são criados por um processo complexo no qual supercomputadores processam continuamente cálculos matemáticos de alta complexidade, em milésimos de segundos, por meio de um software específico.

A cada 10 minutos, o software lança uma equação matemática diferente. Ligados em uma espécie de rede paralela na web, os computadores competem pela chance de desvendar essas equações, para criar a próxima cadeia de transações. O usuário do comutador que decifrar primeiro os códigos é premiado com um lote de 12,5 bitcoins. Esse processo é conhecido como “mineração”.

“Você está gerando números o tempo todo e as máquinas que são usadas para isso gastam eletricidade. Se você quiser uma fatia maior do bolo, vai precisar aumentar seu poder computacional. Com isso, há um grande incentivo para que as pessoas aumentem seus gastos em computadores e em eletricidade”, explica De Vries.

Metodologia - A metodologia de estimativa do gasto de energia utilizada por De Vries se baseia em calcular em que momento o incentivo deixa de ser economicamente viável. Os princípios econômicos, segundo ele, sugerem que toda a rede de bitcoins em determinado momento alcançará um equilíbrio no qual os custos dos computadores e da eletricidade utilizados na mineração chegarão a igualar o valor do bitcoin produzido. A partir da obtenção desse dado, ele consegue quantificar a eletricidade que a rede utilizará até alcançar o ponto de equilíbrio.

Outros pesquisadores já haviam utilizado o mesmo princípio em estudos anteriores, mas De Vries foi mais longe. Ele utilizou as informações do Bitmain, o maior fabricante de máquinas de mineração de bitcoins, para estimar quanto dos custos de mineração estão associados aos gastos com hardware, excluindo a eletricidade.

Embora De Vries tenha confiança em suas estimativas, ele afirma que o problema de seu método é que os fabricantes dos computadores são extremamente sigilosos com seus dados. “Às vezes a melhor informação que temos é um relato instável de testemunhas oculares. É com esse problema que temos que trabalhar a partir de agora.”

Segundo De Vries, fazer uma boa estimativa do consumo de eletricidade pelo bitcoin é importante para determinar a sustentabilidade das criptomoedas e para ajudar a formular as políticas relacionadas a elas. Ele afirma que, nos Estados Unidos, alguns estados já começaram a impor restrições à mineração de bitcoins.

“Mas é preciso que essas políticas tenham fundamento em estudos sérios. Acredito que meu método é importante nesse aspecto, porque ele permite olhar para frente. O seu foco não é o que fazemos agora, mas para onde estamos indo. Acho que isso é algo que realmente precisamos conhecer para poder traçar políticas sobre o assunto”, disse.

De Vries afirma, porém, que seus resultados deixam espaço para discussões sobre o método. “Acho que todos concordarão com os números que obtivemos sobre o consumo mínimo de energia utilizada para a produção do bitcoin. Mas as estimativas futuras realmente deixam grande espaço para discussão. De fato, não temos uma abordagem consensual, neste momento, para estimar o consumo de eletricidade no futuro. Espero que meu trabalho abra essa discussão. Eu estou fazendo essa pesquisa, mas tem muita gente que também deve estar estudando isso”, declarou.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

24/05/2018
Cervejarias mineiras investem em souvenirs
Fabricantes passam a oferecer desde camisas até shampoos com suas marcas para os consumidores
24/05/2018
Startups: melhor alternativa para inovar
Conexão entre estes negócios e empresas tradicionais é uma nova forma de resolver problemas
24/05/2018
Quatro tendências que estão movimentando a transformação digital
Não há como negar, vivemos em uma realidade digital. Sejam as relações pessoais ou profissionais, estamos envolvidos por esse meio. Fazemos parte de uma era na qual o...
24/05/2018
Índice aponta o impacto da tecnologia nos brasileiros
Estudo do professor André Miceli, coordenador do curso de MBA em Marketing Digital da Fundação Getulio Vargas (FGV), indica o impacto da tecnologia na vida do brasileiro. O...
24/05/2018
Capital da Moda: selo visa impulsonar o setor em BH
Indústria gera milhares de empregos
› últimas notícias
Preço do etanol acompanha alta da gasolina na Capital
Plano Diretor da Capital é questionado
Sem acordo, caminhoneiros decidem continuar greve
Biomm aciona Anvisa para liberar remédio
Quatro de cada cinco empresas do País planejam investimentos para este ano
Leia mais notícias ›
› Newsletter
O melhor conteúdo exclusivo e gratuito no seu e-mail:




Cadastrar
› Mais Lidas
Leia todas as notícias ›
Publicidade
› Assine o DC

Acesso completo

aos conteúdos online e versão impressa.
Único jornal especializado em Economia, Negócios e Gestão de Minas Gerais.
Ferramenta indispensável para fazer bons negócios.
› Edição Impressa


23 de maio de 2018
Conteúdo exclusivo para assinantes
› DC no Facebook
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.