23/07/2018
Login
Entrar




Negócios

11/01/2018

Produção de vinho no Brasil cresceu 169% em 2017

Redação
Email
A-   A+
Brasil ocupa 14ª posição entre os maiores produtores do mundo/Divulgação
São Paulo - O ano de 2017 ficou marcado na história da indústria vitivinícola, já que esse foi, dentro de 50 anos, o que apresentou a menor produção mundial da bebida. Porém, mesmo assim, o Brasil se mostrou em franca ascensão, já que a produção de vinhos nacionais cresceu 169% com relação ao ano anterior. Os dados são da Organização Internacional da Vinha e do Vinho (OIV). Esses números fazem com que o Brasil ocupe a 14ª posição no ranking de maiores produtores do mundo. O cenário é contrário quando se olha para os três principais produtores mundiais (Itália, França e Espanha): todos apresentaram uma queda na produção da bebida.

Na opinião do presidente do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), Dirceu Scottá, a produção de vinhos brasileiros cresceu tanto por dois motivos: a quebra que ocorreu na safra de 2016 e as ótimas condições climáticas às quais o País esteve submetido nesse ano. Ainda na opinião do profissional, o volume da safra de 2017 foi surpreendente, mas isso aconteceu em decorrência das condições climáticas altamente favoráveis, que influenciam diretamente na produção das uvas, que são bastante sensíveis ao clima.

As expectativas para o mercado vitivinícola brasileiro são que os comerciantes deem um foco cada vez maior nos vinhos brasileiros e valorizem os seus rótulos. O País vem passando por uma transformação quanto à produção de vinhos, que está sendo adaptada de acordo com o local de plantio e cultivo das uvas, o que por sua vez resulta em espécies diferenciadas em cada região.

O Rio Grande do Sul, responsável pela produção de 90% dos vinhos de todo o Brasil, produziu mais de 485 milhões de litros apenas em 2017. Scottá aponta que, de modo geral, as variedades colhidas mais tardiamente foram favorecidas, e as regiões produtoras de vinho que ficam em lugares mais altos também foram beneficiadas. Ainda de acordo com Scottá, um desafio bem grande para o mercado são os impostos cobrados nesses produtos nacionais. Alguns deles são o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), de 10% sobre o valor de cada venda, Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) e Substituição Tributária (ST).

Mesmo assim, as expectativas são positivas para 2018. Todo o volume produzido em 2017 ajudou a equilibrar os estoques de vinho, ainda mais no que se trata dos vinhos de mesa e sucos integrais, que não estavam presentes em grande quantidade em 2016.

Espera-se que 2018 se inicie com 281,3 milhões de litros em estoque, quantidade 220% maior do que a que estava disponível em 2017, que era de 127,7 milhões de litros. Esse pensamento é de Oscar Ló, presidente da Federação das Cooperativas Vinícolas do Rio Grande do Sul (Fecovinho/RS) e também vice-presidente do Ibravin. Com tudo isso, não faltam opções de vinhos maravilhosos para oferecer aos consumidores, de modo a potencializar o mercado nacional.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

21/07/2018
CasaCor Minas começa em agosto
Edição deve atrair cerca de 50 mil pessoas até setembro e gerar 550 novos negócios
21/07/2018
Empresas usam redes como ferramenta de gestão
Nos últimos três anos, os pequenos negócios no Brasil apostaram na informatização e na utilização de novas ferramentas digitais, em especial nas...
21/07/2018
Profissionais precisam reagir com ânimo à crise
O cenário político e econômico atual faz com que instabilidade tome conta nas empresas. O resultado disso são as várias demissões que ocorrem, deixando um...
21/07/2018
IDEIAS | A melhor forma para se tornar uma empresa inovadora
O mundo está cada vez mais dinâmico e os consumidores mais empoderados. Por isso, inovar é o caminho natural das empresas, que precisam estar em constante...
21/07/2018
Funcionários não conseguem se desligar do trabalho durante as férias
Manter completa distância do trabalho durante o período de férias talvez seja coisa do passado. De acordo com uma pesquisa da Robert Half realizada em maio de 2018, com base...
› últimas notícias
Exportações de soja devem ser recorde no próximo ano
Renovação da concessão da EFVM pode ser resolvida na Justiça
Pessimismo aumenta na indústria mineira
Minas mantém sequência de superávit
Brasil fecha 661 vagas com carteira assinada
Leia mais notícias ›
› Newsletter
O melhor conteúdo exclusivo e gratuito no seu e-mail:




Cadastrar
› Mais Lidas
Leia todas as notícias ›
Publicidade
› Assine o DC

Acesso completo

aos conteúdos online e versão impressa.
Único jornal especializado em Economia, Negócios e Gestão de Minas Gerais.
Ferramenta indispensável para fazer bons negócios.
› Edição Impressa


21 de julho de 2018
Conteúdo exclusivo para assinantes
› DC no Facebook
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.