Publicidade
27/05/2018
Login
Entrar

Agronegócio

08/02/2018

Produção responsável é o foco da 17ª Femagri

Organizadores querem reforçar junto aos produtores de café a importância da sustentabilidade
Michelle Valverde
Email
A-   A+
Feira contará com 150 estandes e 131 fornecedores de máquinas e insumos para o setor/Cristiano Soares de Oliveira/Femagri
Os cafeicultores de Minas Gerais estão investindo para tornar a atividade cada vez mais sustentável, competitiva e rentável. Neste ano, a 17ª edição da Feira de Máquinas, Implementos e Insumos Agrícolas (Femagri), que é realizada pela Cooperativa Regional de Cafeicultores em Guaxupé (Cooxupé), reunirá as principais novidades voltadas para o setor, além de espaço para capacitação. Com o tema “Produção responsável para uma cafeicultura de sucesso”, o evento acontece de 21 a 23 de fevereiro, em Guaxupé, no Sul de Minas Gerais.

De acordo com o gerente comercial da Cooxupé, José Geraldo Olyntho Junqueira Filho, o evento é importante para mostrar as novidades destinadas ao setor. Além disso, é uma oportunidade para que o cafeicultor invista em equipamentos, máquinas e na melhoria dos processos adotados na produção do café.

“A Femagri é um evento anual, que tem como objetivo levar ao cafeicultor a tecnologia, a informação, e estimular os negócios, principalmente no que se refere às máquinas e equipamentos. Nesta edição, adotamos o tema ‘Produção responsável para uma cafeicultura de sucesso’ e queremos reforçar com o cafeicultor a importância da produção responsável, com sustentabilidade, e, nesse sentido, vamos promover as boas práticas agrícolas, que são formas de prosperar e ter mais produtividade dentro das unidades cafeeiras”.

A expectativa dos organizadores é receber mais de 35 mil visitantes ao longo do evento. Sem revelar a estimativa de faturamento com os negócios a serem gerados na feira, Junqueira Filho explica que, devido à atual situação do mercado, a tendência é de que o cafeicultor invista com maior cautela. Mesmo com uma produção menor na safra 2017, não houve valorização do preço do café. O receio, em um ano de alta produção, é que a cotação do café recue, o que vem deixando o produtor mais cauteloso em relação a novos investimentos.

“Nossa expectativa é manter os resultados do ano passado, com possibilidade de pequeno crescimento. Os preços do café estão em um momento desfavorável, o que deixa os produtores mais cautelosos”, esclarece o gerente comercial da Cooxupé.

A Femagri será composta por 150 estandes, número 8% maior do que o da edição anterior. Ao todo, serão 131 fornecedores de máquinas, equipamentos e insumos para a atividade cafeeira. Dentre os produtos que serão expostos, estão tratores, colhedeiras e implementos. Os equipamentos para o pós-colheita terão um destaque especial, uma vez que o processo é fundamental para garantir a qualidade final da bebida.

Outro espaço interessante para os cafeicultores será a Fazendinha da Femagri. No local, será montada uma estrutura que remete a uma propriedade rural de pequeno porte, onde serão abordados temas que envolvem a produção do café e apresentadas soluções visando à sustentabilidade.

“Nestas estações serão abordados temas como a educação ambiental, o manejo correto do café no pós-colheita, técnicas para o uso da cobertura mulching, armazenamento correto, tecnologias de aplicação de insumos, manejo do solo, tratamento do esgoto doméstico, a agricultura de precisão, entre outros. É um espaço para a atualização e capacitação dos produtores”, diz Junqueira Filho.

Este ano, uma das novidades será o espaço voltado para a pecuária. A diversificação do tema tem como objetivo atender à demanda dos cafeicultores.

No Espaço Pecuária haverá a demonstração de animais de leiteira e de corte e a apresentação do sistema Compost Barns, técnica que confere maior conforto térmico para o gado. Haverá ainda rodadas de palestras e debates com profissionais do setor.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

26/05/2018
Indústria recebe 20% do leite captado
Volume não transportado tem sido descartado nas fazendas mineiras, elevando perdas
26/05/2018
Preços mínimos podem aumentar custos, criticam entidades
São Paulo - O agronegócio do Brasil avalia que a proposta de preços mínimos para o frete de cargas tende a elevar os custos tanto para produtor quanto para o...
26/05/2018
Embarques do complexo soja sofrem atrasos
São Paulo - O secretário executivo da Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove), Fábio Trigueirinho, informou que há...
26/05/2018
Estoques de etanol estão altos no Estado
A falta de transporte também está afetando o funcionamento das usinas produtoras de etanol e açúcar instaladas em Minas Gerais. Sem condições de escoar a...
26/05/2018
Sem ração, haverá perda de 1 bilhão de aves
Brasília - A Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) diz que a falta de ração nas unidades produtivas pode causar a perda de 1 bilhão de...
› últimas notícias
Nível de atividade recua em Minas, mas há otimismo
Roscoe defende redução de tributos, juros e burocracia
FMI prevê expansão do PIB em 2%
Especialistas não veem desaceleração econômica
Níveis de atividade e emprego do setor caem
Leia mais notícias ›
› Newsletter
O melhor conteúdo exclusivo e gratuito no seu e-mail:




Cadastrar
› Mais Lidas
Leia todas as notícias ›
Publicidade
› Assine o DC

Acesso completo

aos conteúdos online e versão impressa.
Único jornal especializado em Economia, Negócios e Gestão de Minas Gerais.
Ferramenta indispensável para fazer bons negócios.
› Edição Impressa


26 de maio de 2018
Conteúdo exclusivo para assinantes
› DC no Facebook
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.