Publicidade
21/11/2017
Login
Entrar

Agronegócio

20/05/2017

Produtor desenvolve o Uber do agronegócio no Sul de MG

Uller Agro permite o compartilhamento de máquinas agrícolas
Michelle Valverde
Email
A-   A+
Aplicativo tem versões diferentes para o produtor e para o locador/Alisson J. Silva
O crescimento da economia compartilhada incentivou o produtor de café, Renato Fonseca, a desenvolver um projeto voltado para o compartilhamento de máquinas e implementos para o setor agropecuário. Da ideia surgiu o UllerAgro - empresa com sede em Três Pontas, no Sul de Minas Gerais - que funciona uma espécie de Uber do agronegócio. Com o uso da plataforma, proprietários de máquinas e implementos podem disponibilizar os equipamentos para aluguel, quando os mesmos estiverem ociosos. Com isso, além de gerar renda, os demais produtores podem ter acesso às máquinas com preços acessíveis. A princípio, a plataforma é voltada para a cultura do café apenas no Sul do Estado, mas os planos são de expansão tanto de culturas como de regiões.

Produtor de café e sócio-fundador do UllerAgro, Fonseca explica que, como produtor rural, mantinha várias máquinas e equipamentos ociosos e, muitas vezes, quando precisava de algum produto diferenciado, a dificuldade de encontrá-lo era alta e demandava tempo. Além disso, as máquinas paradas deixam de trazer retorno financeiro, o que poderia ser alcançado com a utilização da mesma em outras propriedades.

“O UllerAgro nasceu com a missão de organizar o mercado de compartilhamento de máquinas agrícolas. O investimento em maquinário é caro e muitas vezes o produto pode ficar ocioso, deixando de trazer retorno. Uma opção é que a máquina seja utilizada em outras propriedades. Estudamos o mercado, procuramos conhecer as necessidades dos produtores e, com isso, desenvolvemos o aplicativo que tem recursos avançados e vem para atender a demanda do setor”, explicou.

Versões - Disponível para celulares, o UllerAgro possui duas versões, uma voltada para o locador (Uller Maq) e outra para o locatário (Uller). No aplicativo Uller Maq o proprietário cadastra as máquinas agrícolas e informações importantes, como o preço do aluguel e a localização, por exemplo. As máquinas são rastreadas e os dados captados via satélite, o que ajuda na localização e na coleta de dados sobre o uso dos equipamentos.

Já o locatário faz o cadastro no Uller e busca pelo equipamento demandado, podendo selecionar a localidade preferida. A plataforma também permite que o produtor planeje as ações nas fazendas, podendo agendar de forma antecipada a contratação das máquinas e implementos. O pagamento do aluguel das máquinas e equipamentos é feito por cartão de crédito ou boleto bancário. O valor é definido pelo proprietário das máquinas e negociações entre as partes também é permitida. Os desenvolvedores do aplicativo recebem 5% sobre o valor da operação.

Com foco na cafeicultura e atuando no Sul de Minas Gerais, as máquinas cadastradas no aplicativo incluem tratores, colheitadeiras, arruadores, sopradores, recolhedoras de café, pulverizadores, adubadeiras, máquinas de beneficiamento de café, entre outras.
“O Uller é uma opção segura, prática e transparente para que locadores e locatários façam negócios. Fizemos um mês de teste e desde março estamos operando. Estamos com 198 usuários cadastrados, tanto locatários como locadores, e 45 máquinas cadastradas. Nossa ideia é expandir geograficamente e para outras culturas como milho, soja, algodão, cana-de-açúcar entre outros”.

Dentre as vantagens para os cafeicultores que alugam os equipamentos está o acesso facilitado à tecnologia devido ao preço mais acessível do aluguel quando comparado com o valor de compra e de manutenção dos equipamentos. Além disso, em casos de necessidades de última hora, é possível consultar de maneira prática as máquinas disponíveis na região.

Por serem rastreadas, o produtor consegue, pelo celular, acompanhar o uso das máquinas, incluindo a região onde está operando, quando foi ligada e desligada, rendimento e várias outras informações essenciais para que a gestão da produção seja apurada.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

21/11/2017
Aumenta a demanda por recursos em Minas Gerais
De julho a outubro o volume liberado chegou a R$ 8,23 bilhões, alta de 28% frente ao mesmo período de 2016
21/11/2017
Yara planeja aquisição da Vale Cubatão
A Yara assinou um acordo para adquirir a Vale Cubatão Fertilizantes Ltda., em Cubatão (SP), reforçando sua participação no mercado de fertilizantes e visando seu...
21/11/2017
Maggi não considera mercado russo fechado
Brasília e Moscou - O ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Blairo Maggi, negou ontem que a Rússia tenha fechado seu mercado às carnes brasileiras...
18/11/2017
Melhoramento genético garante leite que não causa alergia
Embrapa faz estudo com criadores de Gir e Girolando
18/11/2017
Oferta do café robusta para a indústria chega a volume regular
São Paulo - A oferta de café robusta para a indústria brasileira foi considerada como “normal” pela primeira vez em 2017, evidenciando uma...
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.