Publicidade

FAPEMIG - Ciência e Inovação em Minas

20/07/2016

Projeto incentiva alunos a preservar o meio ambiente

Assessoria de Comunicação da Fapemig
Email
A-   A+
Trilha ecológica na Fazenda Santa Rita em Prudente de Morais/Divulgação/EPAMIG
Uma forma diferente e atrativa de estudo pode ajudar a conscientizar alunos do ensino médio e fundamental sobre a importância da preservação ambiental. Localizada no município de Prudente de Morais, centro-oeste mineiro, a trilha ecológica da fazenda experimental de Santa Rita, da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (EPAMIG), tem sido utilizada para proporcionar a estudantes da rede pública uma experiência diferente, com lições sobre a importância de preservar o meio ambiente.

Iniciado em 2010, o projeto já recebeu mais de 1.200 alunos de aproximadamente 50 escolas, das cidades de Sete Lagoas, Prudente de Morais e região. Esta é uma estratégia de ensino que estimula a participação dos estudantes, tornando-os disseminadores de conhecimento. Dos cerca de 604 hectares que compõem o terreno da fazenda, 120 hectares são reserva biológica. A vegetação é característica do Cerrado que, segundo o Instituto Estadual de Florestas (IEF), é o maior bioma de Minas Gerais, ocupando em torno de 57% da extensão territorial do Estado.

Com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (FAPEMIG), o projeto desenvolvido pela EPAMIG Centro Oeste, busca oferecer informações sobre o principal bioma do Estado e a importância de sua preservação. Assim, visando à interação entre ciência, sociedade e escola, o projeto busca conscientizar os alunos a entenderam como proteger e utilizar racionalmente os recursos da fauna, do solo e suas ações de manejo, que demandam conhecimento, técnica, controle e monitoramento. Ao ar livre e aproveitando o potencial de uma trilha ecológica, os estudantes conhecem melhor o ecossistema e as principais plantas do Cerrado.

A coordenadora do projeto, Maria Helena Mascarenhas, pesquisadora da EPAMIG Centro Oeste, lembra que “a apresentação da trilha aos visitantes estimula a percepção de que a conservação dos ecossistemas naturais, seu tipo de solo, sua flora, fauna e os microrganismos, garantem a sustentabilidade dos recursos naturais e permite a manutenção de vários serviços essenciais à manutenção da biodiversidade”, fala.

Práticas como esta podem alertar as pessoas quanto à necessidade de diminuir o impacto dos sistemas de produção agropastoris no meio ambiente tais como: manejo integrado de pragas e de doenças; plantio direto; manejo integrado de bacias hidrográficas; manutenção ou recuperação de matas ciliares; conservação de áreas de preservação ambiental, entre outros.  Sendo também um grande local para a geração de conhecimento e capacitação de estudantes, com eixos temáticos e abordagens ecológicas tanto com finalidades acadêmicas, no ensino fundamental, médio e superior, bem como em atividades de pesquisa e investigação científica com finalidades de fornecer conhecimento e esclarecimento a comunidade em geral.

As trilhas interpretativas podem assumir um papel fundamental na educação das pessoas, como destaca Mascarenhas: “É através de atividades como as trilhas interpretativas, que podemos alcançar o desenvolvimento local da comunidade, pois esta atividade se torna uma alternativa do verdadeiro desenvolvimento sustentável, caracterizada em suas ações como: recuperação e conservação da fauna e flora das comunidades locais, com a utilização direta das trilhas”, afirma.

As trilhas constituem um instrumento pedagógico importante, que permiti a criação de “salas de aulas” em áreas naturais, e verdadeiros laboratórios vivos, aumentando o interesse e a curiosidade dos alunos. Além de possibilitar uma forma diferenciada do aprendizado tradicional. O projeto já foi apresentado em congressos, seminários e palestras.

Os textos publicados nesta editoria são de responsabilidade da Fapemig. O Diário do Comércio não se responsabiliza e nem poderá ser responsabilizado pelas informações e conceitos emitidos e seu uso correto.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

23/11/2016
Inatel oferece workshop sobre tecnologia 5G na Fapemig
O padrão da nova geração da comunicação móvel vai ser definido em 2020, mas instituições de pesquisa e empresas do mundo todo já...
03/11/2016
Pesquisa contribui para a melhoria do plantio de café em Minas Gerais
Responsável pelo cultivo de aproximadamente 50% do café tipo exportação, Minas Gerais é o maior produtor do fruto no Brasil. Pensando em melhorar a qualidade da...
14/09/2016
Fórum debate novos rumos para a mineração
Com o objetivo de encontrar novas saídas para a mineração, de modo a transformá-la em uma atividade mais sustentável, a Fundação de Amparo à...
10/09/2016
Estudantes desenvolvem sistema de segurança para bicicletas
Cada vez mais comum nos grandes centros, as bicicletas são um veículo de transporte caracterizado pelo baixo custo de manutenção e por possibilitarem boa prática...
24/08/2016
Peixe-zebra torna-se modelo de pesquisa científica
O peixe-zebra, também chamado zebrafish ou peixe paulistinha, tem se tornado uma espécie aliada da ciência nas pesquisas da área biomédica, nos estudos...
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.