Publicidade
20/01/2018
Login
Entrar

Economia

15/11/2017

Queda de investimentos será de 42,5%

Expectativa para o ano é positiva, incluindo lucro líquido do trimestre de R$ 550 mi
Reuters
Email
A-   A+
Com redução de custos, Ferreira Júnior prevê pagamento de dividendos aos acionistas/Geraldo Magela/ Agência Senado
Rio de Janeiro - A elétrica estatal Eletrobras deve fechar 2017 com um investimento total de R$ 5 bilhões, uma redução de 42,5 % ante os R$ 8,7 bilhões realizados no ano anterior, informou nesta terça-feira o presidente da companhia, Wilson Ferreira Jr, que foca em uma reestruturação que inclui venda de ativos.

Wilson Ferreira Jr. afirmou ainda que a elétrica provavelmente conseguirá pagar dividendos aos acionistas pelos resultados deste ano, uma decisão que será tomada até abril de 2018.

“Pelo ritmo que está, a empresa deve fechar o ano no positivo, e haverá pagamento de dividendos”, disse Ferreira a jornalistas, em entrevista para comentar os resultados do terceiro trimestre.

Leia também:
Estatal deve vender ativos já em dezembro
Angra 3 gera prejuízo adicional de R$ 30 milhões


Lucro líquido - O executivo disse que o resultado da Eletrobras no terceiro trimestre, um lucro líquido de R$ 550 milhões, é “muito, muito bom”, principalmente se considerado que a companhia está “em recuperação” após anos de dificuldades financeiras.

O lucro ficou 37% abaixo do registrado no mesmo período de 2016, mas a diferença deve-se a um forte impacto positivo da contabilização pela companhia no ano passado do direito a receber indenizações bilionárias do governo devido à renovação antecipada de contratos de concessão de linhas de transmissão em 2013.

No acumulado dos primeiros nove meses de 2017, o lucro líquido somou R$ 2,27 bilhões, 77% abaixo de 2016, quando as indenizações levaram a estatal a um ganho de R$ 9,77 bilhões.

O balanço da companhia divulgado na segunda-feira ainda destacou efeitos positivos no terceiro trimestre de um plano de aposentadoria extraordinária (PAE) lançado pela companhia. A medida permitiu a reversão de provisões de R$ 744 milhões e R$ 713 milhões, devido a uma previsão de menor despesa com pessoal.

“A empresa já deixa bem evidente que redução de pessoal e custos traz claros sinais positivos no resultado”, disse Ferreira.

A Eletrobras terminou o terceiro trimestre com relação entre geração de caixa gerencial e dívida líquida de 4,1 vezes, próxima da meta de 4 vezes definida no plano de negócios da companhia para entre 2017 e 2021. No mesmo trimestre do ano passado a relação era de 8,7 vezes.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

20/01/2018
Empresário mineiro segue mais confiante
Em janeiro, o Icei-MG chegou a 50,7 pontos, o melhor resultado para o mês nos últimos sete anos
20/01/2018
Montadoras reivindicam créditos tributários
Brasília - Com o fim do Inovar Auto em dezembro e sem definição do novo programa automotivo, chamado de Rota 2030, as empresas de automóveis tentam que os...
20/01/2018
Índice de investimentos de empresas caiu 0,7% em novembro ante outubro
Brasília - O indicador de Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF), divulgado na sexta-feira, 19, pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), sofreu uma queda de...
20/01/2018
Faturamento recua no interior de Minas
Quatro regionais apresentaram queda na receita em novembro, conforme levantamento da Fiemg
20/01/2018
Exportações mineiras devem continuar em alta em 2018
Especialistas estimam aumento de 7%
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.