Publicidade
27/05/2018
Login
Entrar

Internacional

11/03/2017

Recorde de empregos reforça alta dos juros nos EUA

Criação de 235 mil vagas fora do setor agrícola em fevereiro acende luz verde para Fed aumentar taxa
Email
A-   A+
Construção registra o maior ganho em quase 10 anos, por causa do clima quente, atípico/Mike Blake/Reuters
Washington - A criação de vagas de emprego nos Estados Unidos aumentou mais do que o esperado em fevereiro e os salários aumentaram de forma constante, o que dá ao Federal Reserve, banco central norte-americano, a luz verde para elevar os juros na próxima semana, apesar da desaceleração do crescimento econômico.

A criação de vagas fora do setor agrícola atingiu a marca de 235 mil postos de trabalho no mês passado, com o setor de construção registrando o maior ganho em quase 10 anos devido ao clima quente atípico, informou o Departamento do Trabalho na sexta-feira (10).
A economia criou 9 mil postos de trabalho a mais em dezembro e janeiro do que o relatado anteriormente.

A chair do Fed, Janet Yellen, sinalizou na semana passada que o banco central dos EUA deve elevar os juros na reunião de política monetária de 14 e 15 de março. A criação média de emprego foi de 209 mil postos por mês nos últimos três meses.

A economia precisa criar cerca de 100 mil empregos por mês para acompanhar o crescimento da população em idade de trabalhar.

A forte criação de vagas no mês passado foi acompanhada por um crescimento salarial estável, com o ganho médio por hora subindo 0,2%. O crescimento salarial de janeiro foi revisado para 0,2%, ante alta de 0,1% relatado antes.

Isso impulsionou o crescimento dos salários para 2,8% na comparação anual, de 2,6% em janeiro.

A taxa de desemprego caiu 0,1 ponto percentual, para 4,7%, mesmo com mais pessoas entrando no mercado de trabalho incentivadas pela intensificação das contratações. Economistas consultados pela Reuters projetavam que a criação de vagas seria de 190 mil vagas no mês passado.

Projeção - A alta da inflação junto com um mercado de trabalho mais apertado, o boom dos mercados acionários e o fortalecimento da economia global fizeram com que alguns economistas projetassem que o Fed eleve os juros muito mais rápido do que atualmente esperado pelos mercados financeiros.

O Fed elevou os juros em dezembro e tem projetado três altas para 2017.
Todos os setores da economia, com exceção de varejo e serviços públicos, ampliaram as contratações em fevereiro. A indústria criou 28 mil postos, a maior alta desde agosto de 2013, depois que o aumento dos preços do petróleo alimentou a demanda por maquinário.

A construção registrou criação de 58 mil vagas, número mais alto desde março de 2007, favorecido pelo clima quente.

As contratações do governo aumentaram em 8 mil no mês passado, apesar do congelamento na contratação de trabalhadores civis pelo governo federal, que entrou em vigor em janeiro. (Reuters)

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

26/05/2018
Bloco inicia negociações por acordo comercial com a Coreia do Sul
Diálogo deve se intensificar no segundo semestre
26/05/2018
Trump volta atrás e admite possível cúpula
Washington/ Seul - O presidente dos Estados Unidos (EUA), Donald Trump, aventou, na sexta-feira (25), a possibilidade de uma cúpula com o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, em...
25/05/2018
Trump cancela cúpula histórica e faz alerta
Presidente norte-americano não descartou risco de guerra contra país liderado por Kim Jong-un
24/05/2018
Fed sinaliza alta dos juros em próxima reunião
Washington - A maioria dos membros do Federal Reserve, banco central dos Estados Unidos (EUA), avaliou que outro aumento dos juros seria justificado “em breve”, se a perspectiva...
24/05/2018
G-7 pressiona e pede novas eleições
Genebra - Os presidentes e primeiros-ministros das maiores economias do mundo estão pressionando a Venezuela e pedem que o presidente Nicolás Maduro convoque novas...
› últimas notícias
Nível de atividade recua em Minas, mas há otimismo
Roscoe defende redução de tributos, juros e burocracia
FMI prevê expansão do PIB em 2%
Especialistas não veem desaceleração econômica
Níveis de atividade e emprego do setor caem
Leia mais notícias ›
› Newsletter
O melhor conteúdo exclusivo e gratuito no seu e-mail:




Cadastrar
› Mais Lidas
Leia todas as notícias ›
Publicidade
› Assine o DC

Acesso completo

aos conteúdos online e versão impressa.
Único jornal especializado em Economia, Negócios e Gestão de Minas Gerais.
Ferramenta indispensável para fazer bons negócios.
› Edição Impressa


26 de maio de 2018
Conteúdo exclusivo para assinantes
› DC no Facebook
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.