Publicidade
27/07/2017
Login
Entrar

Legislação

13/04/2017

Reforma modifica 100 pontos da CLT

Projeto deve ser votado na comissão na próxima semana e no plenário da Câmara até o fim do mês
Email
A-   A+
O relator da reforma trabalhista na comissão especial, deputado Rogério Marinho, apresentou o seu parecer final/Antônio Cruz/ABr
Brasília - O relator da reforma trabalhista, deputado Rogério Marinho (PSDB-RN), apresentou ontem seu parecer final propondo alterações em cerca de 100 pontos na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). A expectativa é que o texto seja votado na comissão especial na próxima semana e levado ao plenário da Câmara até o fim do mês.

A leitura do relatório ontem foi feito em uma sessão informal da comissão, apenas para o relator apresentar o texto aos deputados. Na próxima semana, haverá a primeira sessão deliberativa para efetivamente discutir o texto.

A reunião também teve como objetivo mostrar que, mesmo após a divulgação dos nomes dos políticos que serão investigados com base nas delações da Odebrecht, a comissão vai continuar funcionando normalmente. O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou a abertura de inquérito contra oito ministros, 24 senadores e 39 deputados federais.

A principal preocupação do Palácio do Planalto é que a divulgação da nova lista de investigados da Lava Jato atrase o andamento das reformas, especialmente a da Previdência.

O presidente da comissão da reforma trabalhista, deputado Daniel Vilela (PMDB-GO), disse acreditar que a divulgação da lista de investigados não vai atrapalhar a votação do projeto. “Isso a gente só vai saber de fato com o andar das sessões, mas nós construímos um calendário e vamos procurar executá-lo”, afirmou.

Segundo ele, há um acordo com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), para aprovar um requerimento de urgência na próxima semana e suspender os prazos de pedido de vista e de apresentação de emendas. Se isso não acontecer, será necessário respeitar esses prazos para que o projeto possa ser votado na comissão.

Leia também
Proposta visa reduzir ações na Justiça


Acordos coletivos - O eixo central da proposta apresentada pelo relator ontem é permitir que prevaleça os acordos e convenções coletivas firmados entre patrões e empregados sobre o que diz a CLT, o chamado “acordado pelo legislado”.

Pelo texto, não será mais obrigatório conceder, no mínimo, uma hora de almoço ao empregado. Se houver acordo, esse intervalo poderá ser de apenas 30 minutos.
As férias também poderão ser divididas em até três parcelas. Hoje, o benefício costuma ser dado em um único período, de 30 dias.

O deputado também propôs a regulamentação do trabalho intermitente, em que o trabalhador será pago somente pelas horas de serviço, e do teletrabalho, conhecido como “home office”, ou trabalho em casa.

O parecer traz ainda o fim da obrigatoriedade do pagamento pelas empresas das chamadas horas “in itinere”, ou seja, pelas horas extras em que o trabalhador gasta em transporte fornecido pelo empregador até o local de trabalho.

Também consta no relatório o fim do pagamento obrigatório da contribuição sindical, tornando-a optativa. Para o relator, “aqueles que se sentirem efetivamente representados por seus sindicatos, trabalhadores ou empregadores, pagarão suas contribuições em face dos resultados apresentados”.

Terceirização - O relator também incluiu em seu parecer salvaguardas aos cerca de 13 milhões de trabalhadores terceirizados que não estavam no projeto aprovado pela Câmara e sancionado pelo presidente Michel Temer no fim de março.

Uma das proteções será restringir que empresas demitam seus funcionários e os recontratem na sequência como terceirizados. A proibição valerá por 18 meses. A outra deve garantir aos terceirizados os mesmos serviços de alimentação, transporte, segurança e atendimento médico dos contratados diretamente. (AE)

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

27/07/2017
Caixa Econômica começa a pagar hoje abono do PIS/Pasep
Os recursos ficarão disponíveis ao trabalhador até 29 de junho de 2018
27/07/2017
PGR acusa auditor de propina de R$ 1,5 milhão
PF prende funcionário da Receita Federal e advogado por comandar esquema de fraude no Carf
27/07/2017
Adesão à 2ª etapa de repatriação frustra governo
Brasília - A poucos dias do fim do prazo, os contribuintes que aderiram à segunda etapa da repatriação declararam ativos que renderam apenas R$ 1,027 bilhão...
27/07/2017
Sebrae critica regulamentação de investimento-anjo
Brasília - A regulamentação do investimento-anjo, uma das conquistas da Lei Complementar 155/2016 (Crescer sem Medo), foi publicada na forma de instrução...
27/07/2017
Contribuintes suspeitos passam por pente-fino
Brasília - A Receita Federal está fazendo um pente-fino no programa de repatriação - que permite a regularização de recursos enviados ao exterior....
› últimas notícias
Taxa de juros de pagamento mínimo do cartão cai para 230,4% em junho
Caixa Econômica começa a pagar hoje abono do PIS/Pasep
Ex-presidente do BB e da Petrobras pediu R$ 20 milhões em propina, diz Lava Jato
Produção da indústria mineira tem queda
Faturamento da indústria em 2017 deve recuar 10%
Leia mais notícias ›
› Newsletter
O melhor conteúdo exclusivo e gratuito no seu e-mail:

Cadastrar
› Mais Lidas
Mineração: Setor ganha hoje novo marco regulatório
MRV planeja atingir marca de 500 mil unidades em 10 anos
Precon recebe certificação inédita no País
Caixa Econômica começa a pagar hoje abono do PIS/Pasep
Drogarias e cosméticos têm expansão em BH
Leia todas as notícias ›
Publicidade
› DC Auto
VW amplia a linha Pepper para 2018
Marcopolo apresenta o novo Torino S
BMW convoca proprietários das R 1200 GS e R 1200 GS Adventure
Cinto de segurança deve ser usado pelos passageiros do banco traseiro
Kicks passa a ser produzido no Brasil
Leia todas as notícias ›
› Assine o DC

Acesso completo

aos conteúdos online e versão impressa.
Único jornal especializado em Economia, Negócios e Gestão de Minas Gerais.
Ferramenta indispensável para fazer bons negócios.
› Edição Impressa


28 de July de 2017
Conteúdo exclusivo para assinantes
› DC no Facebook
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.