Publicidade
23/11/2017
Login
Entrar

Política

11/04/2017

Relatório da reforma da Previdência será discutido nesta terça-feira

Texto inclui pontos polêmicos como as mudanças nas regras de transição e na aposentadoria rural
Email
A-   A+
Marun faz cronograma/Luis Macedo/Câmara dos Deputados
Brasília - O relator da reforma da Previdência, deputado Arthur Oliveira Maia (PPS-BA), afirmou nessa segunda-feira (10) que seu relatório está pronto e inclui a alteração nos cinco pontos anunciados na semana passada como os mais polêmicos, entre eles, mudanças nas regras de transição e na aposentadoria rural.

“A partir de amanhã (hoje) eu e o presidente vamos comunicar isso (o relatório) aos líderes, que vão apresentar para as bancadas para que se possa cobrar, naturalmente, o apoio ao nosso relatório, na medida em que ele expressa os sentimentos do que foi solicitado pelas bancadas”, disse Oliveira Maia ao sair de uma reunião na Casa Civil sobre a reforma.

O deputado afirmou que todos os pontos autorizados na semana passada pelo presidente Michel Temer foram alterados, contemplando as principais críticas da base aliada.

O relatório será apresentado aos líderes na manhã de hoje, em uma reunião com Temer. A leitura oficial, no entanto, está marcada apenas para a próxima semana, no dia 18.

Na semana passada, depois de fazer as contas e confirmar que não teria votos para aprovar o relatório como estava, o governo decidiu ceder. Temer chamou o relator e o presidente da comissão especial, Carlos Marun (PMDB-MS), e autorizou que fossem feitas mudanças no texto para tentar acalmar a base.

O governo aceitou alterar as regras de transição, as normas para aposentadoria rural, o acúmulo de pensões, aposentadorias especiais para professores e policiais e equiparação entre os reajustes do salário mínimo e do Benefício de Prestação Continuada (BPC).

Votação - O presidente da comissão que discute a reforma da Previdência na Câmara, deputado Carlos Marun (PMDB-MS), disse ontem que a proposta deverá ser aprovada no colegiado até o fim do mês.

Segundo o parlamentar, as mudanças anunciadas na semana passada pelo governo atendem às expectativas da base aliada e devem reverter a posição de deputados que se manifestaram contra o projeto original enviado ao Congresso. “O resultado é que, hoje, nas conversas que estamos tendo, já constatamos um ambiente bem mais favorável à aprovação dessa necessária reforma”, disse.

O líder do PSD na Câmara, quinta maior bancada da Casa, deputado Marcos Montes (MG) considerou ontem que o recuo do governo na discussão da reforma da Previdência diminuirá a pressão sofrida pelos deputados da base aliada nos redutos eleitorais. (Reuters/AE)

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

23/11/2017
Teto máximo exige 40 anos de contribuição
Henrique Meirelles diz que economia com nova proposta será de menos de R$ 480 bi em uma década
23/11/2017
Rio tem mais 2 ex-governadores presos
Acusados são Anthony e Rosinha Garotinho, além do presidente nacional do PR e outras 5 pessoas
23/11/2017
Armando Monteiro (PTB-PE) vai presidir comissão que discutirá MP no Senado
Brasília - O senador Armando Monteiro (PTB-PE) deve ser indicado pelo governo para presidir a comissão na qual será discutida a medida provisória que modifica as novas...
23/11/2017
Votação em dezembro não é dada como certa
Brasília - O presidente Michel Temer evitou se comprometer ontem com uma data para a votação da reforma previdenciária. Em reunião com ministros e...
23/11/2017
Temer adia mudança de articulador político
Brasília - O presidente Michel Temer decidiu adiar a troca do articulador político de seu governo depois do vazamento da informação de que ele havia escolhido o...
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.