Publicidade
27/07/2017
Login
Entrar

Política

11/04/2017

Relatório da reforma da Previdência será discutido nesta terça-feira

Texto inclui pontos polêmicos como as mudanças nas regras de transição e na aposentadoria rural
Email
A-   A+
Marun faz cronograma/Luis Macedo/Câmara dos Deputados
Brasília - O relator da reforma da Previdência, deputado Arthur Oliveira Maia (PPS-BA), afirmou nessa segunda-feira (10) que seu relatório está pronto e inclui a alteração nos cinco pontos anunciados na semana passada como os mais polêmicos, entre eles, mudanças nas regras de transição e na aposentadoria rural.

“A partir de amanhã (hoje) eu e o presidente vamos comunicar isso (o relatório) aos líderes, que vão apresentar para as bancadas para que se possa cobrar, naturalmente, o apoio ao nosso relatório, na medida em que ele expressa os sentimentos do que foi solicitado pelas bancadas”, disse Oliveira Maia ao sair de uma reunião na Casa Civil sobre a reforma.

O deputado afirmou que todos os pontos autorizados na semana passada pelo presidente Michel Temer foram alterados, contemplando as principais críticas da base aliada.

O relatório será apresentado aos líderes na manhã de hoje, em uma reunião com Temer. A leitura oficial, no entanto, está marcada apenas para a próxima semana, no dia 18.

Na semana passada, depois de fazer as contas e confirmar que não teria votos para aprovar o relatório como estava, o governo decidiu ceder. Temer chamou o relator e o presidente da comissão especial, Carlos Marun (PMDB-MS), e autorizou que fossem feitas mudanças no texto para tentar acalmar a base.

O governo aceitou alterar as regras de transição, as normas para aposentadoria rural, o acúmulo de pensões, aposentadorias especiais para professores e policiais e equiparação entre os reajustes do salário mínimo e do Benefício de Prestação Continuada (BPC).

Votação - O presidente da comissão que discute a reforma da Previdência na Câmara, deputado Carlos Marun (PMDB-MS), disse ontem que a proposta deverá ser aprovada no colegiado até o fim do mês.

Segundo o parlamentar, as mudanças anunciadas na semana passada pelo governo atendem às expectativas da base aliada e devem reverter a posição de deputados que se manifestaram contra o projeto original enviado ao Congresso. “O resultado é que, hoje, nas conversas que estamos tendo, já constatamos um ambiente bem mais favorável à aprovação dessa necessária reforma”, disse.

O líder do PSD na Câmara, quinta maior bancada da Casa, deputado Marcos Montes (MG) considerou ontem que o recuo do governo na discussão da reforma da Previdência diminuirá a pressão sofrida pelos deputados da base aliada nos redutos eleitorais. (Reuters/AE)

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

27/07/2017
Ex-presidente do BB e da Petrobras pediu R$ 20 milhões em propina, diz Lava Jato
Aldemir Bendine foi preso temporariamente hoje (27) em São Paulo
27/07/2017
Governo acredita que terá 300 votos contra denúncia
Temer se empenha pessoalmente para conquistar os 80 indecisos
27/07/2017
Janot pede manutenção de Cunha atrás das grades
Brasília - O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, manifestou-se na última terça-feira pela manutenção da prisão do ex-deputado...
27/07/2017
Governo tem déficit de R$ 19,798 bilhões
Brasília - O governo central registrou um déficit primário de R$ 19,798 bilhões em junho, o pior desempenho para o mês em toda a série...
27/07/2017
Liberação de verba para Carnaval gera revolta
Brasília - A liberação de R$ 13 milhões para o desfile das escolas de samba do carnaval do Rio de Janeiro pode abrir uma nova crise entre o governo e a bancada do...
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.