Publicidade
11/12/2017
Login
Entrar

Economia

25/11/2017

Representação da Belgalux é lançada em Belo Horizonte

Objetivo é estreitar relações com Bélgica e Luxemburgo
Mara Bianchetti
Email
A-   A+
Lançamento contou com a presença de empresários e representantes dos dois países/Alisson J. Silva
A criação de uma representação da Câmara de Comércio e Indústria Belgo-Luxemburguesa-Brasileira (Belgalux) em Belo Horizonte promete aproximar e alavancar as relações de negócios do Brasil, especialmente de Minas Gerais, com aqueles países. Troca de expertises, atração de investimentos e apoio nas importações e exportações são algumas das principais ações que a entidade promete realizar como forma de contribuir para a competitividade das empresas de maneira bilateral.

Durante o lançamento, na sede da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), o diretor da representação em Belo Horizonte da Belgalux Brasil, Johan Van der Stricht, anunciou a realização de uma série de eventos e seminários em Minas Gerais a partir do ano que vem. Segundo ele, os encontros ocorrerão em vários segmentos, como tecnológico, ambiental, cultural, turístico e gastronômico, sempre voltados para os setores de indústria e comércio. A iniciativa visa à aproximação entre as nações.

“Bélgica e Luxemburgo compreendem as mais acolhedoras vias de entrada para negócios da União Europeia. A Belgalux não somente vai auxiliar a chegada de novos negócios mineiros ao continente europeu, como alavancá-los e também realizar um trabalho semelhante de lá para cá. Nosso intuito é fazer um trabalho de aproximação entre empresas e entidades dos países”, detalhou.

Neste sentido, o diretor destacou que são várias as áreas com potencial de exploração bilateral. O foco, no entanto, será trabalhar em prol da inovação. “Há, por exemplo, os setores de recuperação ambiental, biotecnologia, indústria limpa, bem como os tradicionais como siderurgia e mineração”, citou.

Presente no lançamento, o embaixador do Reino da Bélgica, Dirk Loncke, destacou que a relação entre os países é bicentenária e anunciou que em 2020 o Rei e a Rainha da Bélgica virão ao Brasil para celebrar a primeira visita da realeza ao País, a relação estabelecida entre as nações e a importância que o Brasil possui para aquele país.

“O Brasil é importante para a Bélgica, primeiro porque está entre as oito maiores economias do mundo. Segundo porque tanto em tamanho quanto em população também se faz representativo e está entre os 20 maiores. E o principal: porque o espírito de abertura no Brasil é diferente do observado nas demais nações que nos relacionamos e isso precisa ser aproveitado”, justificou.

Da mesma maneira, o embaixador do Grão-Ducado de Luxemburgo, Carlo Krieger, enalteceu o momento como histórico para a relação entre Minas e Luxemburgo. “Todas estas ações permitirão uma proximidade ainda maior com Brasil”, resumiu.

Já cônsul Geral do Reino da Bélgica, Jean-Paul Charlier, apontou o lançamento da Representação da Belgalux em Belo Horizonte como mais um importante passo no desenvolvimento da rede belga no Brasil e, particularmente, em Minas Gerais.

Otimismo - O vice-presidente da Fiemg, Valentino Rizzioli, recebeu os representantes da Bélgica e de Luxemburgo com uma mensagem de otimismo. Em nome do presidente da federação, Olavo Machado Junior, o dirigente ressaltou que Minas Gerais está sempre de portas abertas para a construção de uma relação próxima e próspera com investidores, empresários e as comunidades daqueles países.

“Essa aproximação é importante não somente para a economia, mas também para a academia e a cultura do Estado. Contamos com alguns exemplos que mostram como a implantação de câmaras cria importantes e duradouros laços e legados. Os principais exemplos são a Câmara Ítalo-brasileira e a Câmara Portuguesa, que trouxeram e trazem possibilidades de expansão de trocas comerciais e industriais entre Minas e a Europa”, afirmou.

Para isso, Rizzioli destacou a disponibilidade da Fiemg e das ferramentas e serviços oferecidos pela entidade para a Belgalux e seus associados. “No Sistema Fiemg a indústria mineira, os empresários e investidores contam com uma infraestrutura completa para realização de negócios nacionais e internacionais. Esta estrutura e o centro de negócios estão prontos para recebê-los e gerar oportunidades de negócios em diferentes áreas do Estado com a União Europeia”, garantiu.

OPORTUNIDADES E CADES DE SUCESSO SÃO APRESENTADOS

Como a relação belgo-luxemburguesa com o Brasil é bicentenária, muitos são os exemplos e as expertises a serem compartilhadas neste momento de alavancagem dos aportes e incremento dos negócios entre as nações. Para dar início a este processo, durante o lançamento da representação da Belgalux Brasil em Belo Horizonte, a entidade contou com uma série de palestras e apresentações estratégicos de seus patrocinadores, como a Belgo Bekaert Arames, a Paul Wurth do Brasil, a Skyline Optics, a Prumo Logística - Porto do Açu, a Cassotis Consulting, a Engenetiq e a Rabelo Alvim Advogados.

O agente de negócios para Minas Gerais da Skylanes Optics, Márcio Campanaro Barbosa, falou sobre a importância de investimentos em inovação a partir da palestra “Fibra Óptica e Demanda Crescente por Alta Velocidade”. Para ele, investimentos em Tecnologia da Informação (TI) não é gasto, mas investimento. “Quando a empresa investe da maneira certa, os resultados vêm direta e imediatamente nos resultados”, salientou.

A Skylanes Optics é uma empresa belga, criada em 1998. Líder em fornecimento de transceptores ópticos para comunicações, atua nos mercados europeu e sul-americano. Está no Brasil deste 2014, com uma unidade localizada em Campinas (SP).

Já o diretor comercial da Prumo Logística - Porto Açu, Fernando Henrique Schuffner Neto, falou sobre “A importância da inovação em projetos de infraestrutura”, destacando as ações naquele que é o único porto-indústria privado do País.

Instalado em uma área de 130 milhões de metros quadrados, o porto conta com infraestrutura e tecnologias apropriadas para atender a indústria nacional e internacional e estabeleceu parceria com o Porto Antuérpia, na Bélgica, a fim de apurar e absorver experiências. “Temos apenas um ano e meio de atuação, enquanto eles têm centenas. Queremos absorver seus ensinamentos de forma que a gente consiga se desenvolver de forma rápida e da melhor maneira”, explicou Schuffner Neto.

Além disso, segundo ele, existe um esforço da direção do Porto de Açu para que a atuação do mesmo se volte para Minas Gerais. Conforme o diretor comercial, o objetivo é aproveitar o potencial da indústria mineira e a inexistência de um equipamento do tipo no Estado.

“Os portos brasileiros, em geral, não são dedicados a indústria mineira. Por isso, queremos oferecer este diferencial. Voltar nossa atuação para o comércio e a indústria do Estado, aproveitando o potencial do mercado e nossa localização”, ressaltou.

Por fim, o CEO da Belgo Bekaert Arames, Augusto Espeschit de Almeida, falou sobre “Inovação na Belgo Bekaert”. A empresa, originada pela fusão da ArcelorMittal com a Belgo Bekaert, é a única fabricante de steel cord na América Latina. Juntando o conhecimento da ArcelorMittal com experiência internacional e tecnologia da Bekaert, a companhia conta com nove unidades no Brasil. “Fornecemos mais de 50% do arame consumido no País. Estamos na construção civil, na indústria, no setor automotivo, no óleo e gás, entre outros”, citou.

Para a empresa, mais do que uma estratégia, a inovação é um modelo de atuação. Para isso, investe em ações inovadoras em todos os setores internos, bem como em produtos e serviços oferecidos. “Não conseguimos perpetuar uma empresa sem investir em inovação. Nosso conceito passa pela exploração de novas ideias, culminando com a alta do faturamento, acesso a novos mercados, aumento das margens, crescimento de produtividade e redução de custos”, finalizou.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

08/12/2017
Governo quer mais celeridade nos processos
Plano de Eficiência Ambiental permitirá aprovações concomitantes das diferentes etapas de um empreendimento
08/12/2017
Vulcabras investirá R$ 100 mi em suas três fábricas em 2018 para ganhar em produtividade
São Paulo - A fabricante de calçados Vulcabras retomou investimento em seu parque fabril e está se preparando para reativar sua marca voltada ao público feminino...
08/12/2017
Indústria fecha 2017 com bons resultados e prevê geração de 20 mil postos de trabalho em 2018
São Paulo - A indústria têxtil deve encerrar 2017 com crescimento de 3,5% na produção de vestuário, alcançando 5,9 bilhões de peças....
08/12/2017
Trabalhadores da Jucemg mantêm a greve
Sem consenso com o governo estadual, imbróglio deverá ser resolvido na Justiça
08/12/2017
BNDES planeja se desfazer de 10% das participações em grandes grupos privados
Rio de Janeiro - O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) deve se desfazer de, pelo menos, 10% das participações que possui em grandes grupos privados. O...
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.