17/08/2018
Login
Entrar

Economia

10/08/2018

Resultado melhorou em 11 áreas pesquisadas no País

AE
Email
A-   A+
Rio de Janeiro – A recuperação da indústria em junho foi disseminada pelo País na comparação com igual mês de 2017. Houve alta na produção em 11 dos 15 locais pesquisados, segundo os dados da Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física Regional, divulgados ontem pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O estado de São Paulo, maior parque industrial do País, teve aumento de 4,0% na produção em junho ante junho de 2017, acima do avanço de 3,5% na indústria nacional como um todo, como informou o IBGE semana passada.

As maiores altas na produção industrial regional ocorreram no Pará (13,3%), por causa das indústrias extrativas (minérios de ferro em bruto ou beneficiados), e em Pernambuco (10,0%), em função de produtos alimentícios, produtos de metal, produtos de minerais não metálicos e máquinas, aparelhos e materiais elétricos.

Altas expressivas foram registradas também no Paraná (9,7%), onde a produção foi puxada pela alta de veículos automotores, reboques e carrocerias e coque, produtos derivados do petróleo e biocombustíveis. Na Bahia, com alta de 9,0% em junho ante junho de 2017, o destaque foi a fabricação de veículos automotores, reboques e carrocerias e metalurgia.

Também tiveram alta na produção a região Nordeste (6,6%), Amazonas (4,2%), Santa Catarina (3,5%), Rio de Janeiro (2,2%), Rio Grande do Sul (1,1%) e Minas Gerais (0,4%).

Na contramão, a produção industrial do Espírito Santo encolheu 7,3% em junho ante junho de 2017. Segundo o IBGE, a indústria capixaba foi “pressionada pelo comportamento negativo das indústrias extrativas, de produtos de minerais não metálicos e de produtos alimentícios”. “Ceará (-3,6%), Goiás (-2,1%) e Mato Grosso (-0,1%) também tiveram taxas negativas na comparação com junho de 2017”, diz a nota divulgada pelo IBGE.

No dado fechado do segundo trimestre, a desaceleração do avanço da produção nacional, que ficou em 1,7% em relação ao segundo trimestre de 2017 (ante uma alta de 3,0% nos três primeiros meses do ano sobre igual período de 2017), se repetiu em dez dos 15 locais pesquisados pelo IBGE.

Mensal - A recuperação da indústria em junho, após as fortes perdas de maio, por causa da greve dos caminhoneiros, também ocorreu de forma disseminada pelo País. A produção avançou em 13 dos 15 locais pesquisados, na passagem de maio para junho, segundo o IBGE.

O estado de São Paulo, maior parque industrial do País, registrou alta de 14,8%, após uma queda de 11,4% em maio ante abril. O avanço na indústria paulista ficou acima dos 13,1% na produção industrial nacional, informada semana passada pelo IBGE.

Na passagem de maio para junho, as altas mais fortes na produção foram vistas no Paraná (28,4%), Mato Grosso (25,6%), Goiás (20,8%), Rio Grande do Sul (17,0%) e Santa Catarina (16,8%). A produção cresceu 13,5% em Pernambuco. Também houve avanços na Região Nordeste (12,3%), na Bahia (11,6%), em Minas Gerais (7,1%), no Ceará (6,8%), no Pará (2,8%) e no Rio de Janeiro (2,2%). Na contramão, ficaram de fora do processo de recuperação, registrando recuo na produção, as indústrias do Espírito Santo (-2,0%) e do Amazonas (-1,1).

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

17/08/2018
Desocupação diminui em Minas Gerais
Estimada em 10,8%, taxa recua 1,8 ponto percentual no segundo trimestre ante o primeiro
17/08/2018
Cemig fecha primeiro semestre com lucro de R$ 700 mi, alta de 45%
No fim de junho, dívida líquida somava R$ 13,3 bi
17/08/2018
Consumo de bens industriais avança 9,9% em junho, deixando efeito greve
Rio de Janeiro - O consumo de bens industriais aumentou em 9,9% em junho ante maio, segundo o Indicador Ipea Mensal de Consumo Aparente de Bens Industriais, divulgado ontem pelo Instituto de...
17/08/2018
Fontes de geração renováveis são 81,9% da capacidade instalada
Essa é também a origem de 87,8% da produção total no País
17/08/2018
Aumento de 0,5% passa a incidir hoje, nas refinarias, sobre o litro da gasolina
Rio de Janeiro - O litro da gasolina nas refinarias passará a custar R$ 1,9810 a partir de hoje, um aumento de 0,5% em relação ao preço de R$ 1,9711 cobrado ontem....
› últimas notícias
Leia mais notícias ›
› Newsletter
O melhor conteúdo exclusivo e gratuito no seu e-mail:




Cadastrar
› Mais Lidas
Leia todas as notícias ›
Publicidade
› Assine o DC

Acesso completo

aos conteúdos online e versão impressa.
Único jornal especializado em Economia, Negócios e Gestão de Minas Gerais.
Ferramenta indispensável para fazer bons negócios.
› Edição Impressa


17 de agosto de 2018
Conteúdo exclusivo para assinantes
› DC no Facebook
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.