Publicidade
24/11/2017
Login
Entrar

DC Turismo

08/04/2017

Ritual da Guarda Romana é o grande destaque de Diamantina

Daniela Maciel
Email
A-   A+
Em Diamantina, no Vale do Jequitinhonha/Mucuri, a Guarda Romana é uma das pérolas declaradas como bem cultural imaterial da cultura diamantinense. Composta por um conjunto de homens que externam sua fé e seu compromisso com os rituais da cidade de Diamantina, eles se engajam nas celebrações da Semana Santa cumprindo papéis específicos: guardas que acompanham Jesus Cristo em eventos de seu percurso da condenação à ressurreição.

Vestidos a caráter, portando escudos e alabardas, eles participam da procissão do Enterro do Senhor morto com destaque, mas estão presentes também na Via Sacra e em outros momentos do rito.

De acordo com a diretora de Turismo de Diamantina, Mariana Zaidan, a Semana Santa é uma data importante no calendário turístico da cidade e historicamente envolve toda a comunidade, responsável pela organização dos eventos. Este ano, a expectativa é de que os hotéis se aproximem da lotação máxima. E nem o medo da febre amarela - que tem feito os turistas procurarem a prefeitura em busca de informações - parece ser capaz de diminuir o interesse pela terra natal de Juscelino Kubistchek.

“Normalmente o público do Carnaval é maior, mas como a folia vem mudando com o crescimento da festa em Belo Horizonte, em 2017 a expectativa é de que o público da Semana Santa seja maior. O encavalamento de feriados realmente pode fazer com que a demanda se dilua em alguns lugares, porém a diversidade de atrativos de Diamantina é capaz de manter o interesse de públicos variados mantendo a demanda nas três datas”, avalia Mariana Zaidan.

Além da ligação via transporte rodoviário direto com a Capital e outras cidades do Estado, é possível chegar a Diamantina por via aérea, em voos regulares de segunda a sexta-feira com decolagem em Belo Horizonte, Curvelo e Teófilo Otoni em dias específicos. De Belo Horizonte, os voos partem e chegam ao Aeroporto Carlos Drummond de Andrade, na Pampulha.

“Esses voos comportam poucas pessoas, mas têm gerado interesse. São uma boa opção para quem tem dificuldades de locomoção ou não pode perder muito tempo na estrada. É, com certeza, uma facilidade que ajuda a incrementar o nosso turismo. Existe também uma nova rota terrestre que passa por Cordisburgo (região Central), com um caminho muito interessante que começa pela terra de Guimarães Rosa. São muitas as formas de chegar a Diamantina e ainda curtir um turismo que integra cidades e muitas histórias”, entusiasma-se a diretora de Turismo de Diamantina.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

18/11/2017
Fasano chega à Capital em 2018
Empreendimento terá 78 quartos e vai contar também com o restaurante Gero
18/11/2017
Nova Lima realizou Circuito do Turismo Empreendedor
A cadeia produtiva do turismo de Nova Lima, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), viveu uma semana agitada com a realização do Circuito do Turismo Empreendedor,...
18/11/2017
Conceição do Mato Dentro busca reaver título de "capital mineira do ecoturismo"
Conceição do Mato Dentro , na região Central, surgiu a partir de um povoado no início do século 18, e é um dos mais antigos assentamentos urbanos de Minas...
11/11/2017
Banho de cachoeira e trilhas atraem turistas
Algumas de fácil acesso, outras mais escondidas, elas são o destaque de um meio ambiente diverso
11/11/2017
Entregue 1ª fase das obras de recuperação da Matriz de Conceição do Mato Dentro
Conhecida pelo ecoturismo praticado na Serra do Cipó, Conceição do Mato Dentro, na região Central, se prepara para voltar a atrair também o turismo religioso e...
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.