Publicidade
21/04/2018
Login
Entrar

Internacional

14/04/2018

RR aciona STF por fechamento de fronteira

Reuters
Email
A-   A+
Brasília - O governo de Roraima entrou com uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF), na sexta-feira (13), em que cobra do governo federal o fechamento temporário da fronteira com a Venezuela, a fim de impedir que o “fluxo imigratório desordenado produza efeitos mais devastadores aos brasileiros” e aos estrangeiros que residem naquele Estado.

Na ação, Roraima reclama da omissão do Executivo Federal em ajudar a resolver a questão do fluxo de venezuelanos que chegam ao Estado e afirma que a governadora Suely Campos (PP) já buscou, “incontáveis vezes”, tratar do tema com o governo federal, citando o fato de já ter sido recebida até mesmo pelo presidente Michel Temer.

Contudo, o Estado argumenta que a atuação federal está aquém do necessário. Disse que foram transferidos para São Paulo apenas 226 venezuelanos, ante os 50 mil que chegaram ao Estado, que o governo federal ainda não transferiu recursos para ajudar na manutenção dos refugiados venezuelanos e que tampouco tomou ações para melhorar o controle da fronteira com o país vizinho.

Sarampo - Roraima, que diz ser a unidade da Federação mais pobre, estima em R$ 70 milhões por ano os gastos extras com a chegada dos venezuelanos e anota que a explosão migratória levou ao ressurgimento de doenças erradicadas por lá, como é o caso do sarampo.

Por isso, o Estado defende a intervenção do STF diante do que chamam de “inércia” do governo. “Note-se, então, que tal omissão ao seu dever federativo cria uma violação sistêmica aos direitos humanos (refugiados) e fundamentais (nacionais), pois cabe à União conduzir todas as medidas necessárias de harmonização administrativa e, com sua omissão, abala-se a estrutura federativa em razão da impossibilidade de o Estado de Roraima assumir tal missiva”.

Na ação, que tem pedido de liminar, o governo estadual quer obrigar a União a fechar temporariamente a fronteira ou, se não for o caso, controlar o ingresso de refugiados venezuelanos. Pede também que a União promova ações administrativas nas áreas de segurança, saúde e vigilância sanitária e a imediata transferência de recursos adicionais para suprir novas despesas com saúde e educação.

A ministra Rosa Weber foi designada relatora da ação no STF.

“Incogitável” - O presidente Michel Temer disse que o fechamento da fronteira do Brasil com a Venezuela, como pediu  Roraima, é algo “incogitável”.

“Isso não é hábito do Brasil, fechar fronteiras, e nem espero que o STF venha a decidir dessa forma. Fechar fronteiras é incogitável”, disse Temer a jornalistas em Lima, onde participa da Cúpula das Américas.

Segundo o presidente, muitas das medidas pleiteadas por Roraima ao governo federal “já estão sendo tomadas”.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

20/04/2018
Díaz-Canel assume presidência do país
Eleito é o primeiro governante fora da dinastia Castro a comandar nação em quase 60 anos
20/04/2018
Autoridades revelam que ataques contra Síria tiveram impacto limitado
Washington - Avaliações feitas pelos Estados Unidos (EUA) após os ataques de mísseis junto de Reino Unido e França contra a Síria mostraram que estes...
20/04/2018
União Europeia cogita novas sanções à Venezuela
Bruxelas - A União Europeia (UE) disse ontem que pode impor sanções adicionais contra a Venezuela se acreditar que a democracia está comprometida no país,...
19/04/2018
EUA confirma encontro com Coreia do Norte
De acordo com Trump, compromisso serviu para preparar eventual reunião entre ele e Kim Jong-un
18/04/2018
Economia da China cresce 6,8% no 1º tri, puxada pelo consumo
Elevação do indicador no período superou as projeções de especialistas
› últimas notícias
Leia mais notícias ›
› Newsletter
O melhor conteúdo exclusivo e gratuito no seu e-mail:




Cadastrar
› Mais Lidas
Leia todas as notícias ›
Publicidade
› Assine o DC

Acesso completo

aos conteúdos online e versão impressa.
Único jornal especializado em Economia, Negócios e Gestão de Minas Gerais.
Ferramenta indispensável para fazer bons negócios.
› Edição Impressa


20 de abril de 2018
Conteúdo exclusivo para assinantes
› DC no Facebook
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.