Publicidade
13/12/2017
Login
Entrar

Política

07/12/2017

Senado aprova PEC que aumenta FPM

ABr/FP
Email
A-   A+
Brasília - O Senado aprovou ontem a proposta de emenda à Constituição (PEC) que aumenta o repasse da União às prefeituras por meio do Fundo de Participação dos Municípios (FPM). Após acordo, a votação da PEC foi realizada em dois turnos, e segue agora para análise da Câmara dos Deputados.

Analisado em dois turnos pelos senadores, o texto agora segue para a Câmara. Se for validada pelos deputados, a PEC aumentará as transferências aos municípios em R$ 1,1 bilhão, R$ 1,2 bilhão, R$ 2,6 bilhões e R$ 5,6 bilhões, respectivamente, em 2018, 2019, 2020 e 2021. A mudança ocorre em um momento em que o governo federal encontra dificuldade em arrecadação de tributos e na véspera do ano eleitoral.

A PEC determina a elevação de um ponto percentual no repasse entregue aos estados e municípios, oriundo das arrecadações do Imposto de Renda (IR) e do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI). A distribuição dos recursos será alterada de 49% para 50%, e o novo repasse será feito em setembro de cada ano.

De acordo com os defensores da proposta, os municípios, historicamente, recebem os menores valores em setembro e outubro devido à restituição do Imposto de Renda dos contribuintes.

Durante a votação, o senador Otto Alencar (PSD-BA) fez um apelo para que os senadores comparecessem ao plenário para aprovar a proposta em defesa da pauta municipalista. “Se nós não aproveitarmos esta sessão de hoje para aprovarmos essa PEC, que é superimportante para os prefeitos do Brasil, nós teremos perdido uma oportunidade, e vossa excelência sabe, que os prefeitos passam dificuldades orçamentárias muito grandes hoje, por falta de recursos”, argumentou.

No relatório em que defende a PEC, o senador Armando Monteiro (PTB-PE) citou as razões do aumento das despesas e da queda real na transferência do FPM para os municípios, como pisos salariais de determinadas categorias e a retração do Produto Interno Bruto (PIB) entre 2014 e 2016.

“A sazonalidade dos repasses do fundo prejudica a gestão administrativa dos municípios, que não sabem se podem expandir a prestação de serviços públicos na ausência de fontes estáveis de financiamento. A dificuldade em atender à demanda da sociedade por mais e melhores serviços é ainda mais acentuada na atual conjuntura econômica, na qual, em face da redução da renda familiar, as famílias têm trocado a escola particular pela pública e os planos de saúde pelos postos de saúde das prefeituras”.

Escalonamento - Pela ideia de Monteiro, a elevação se dará da seguinte forma: mais 0,25% do arrecadado com IR e IPI em 2018 e 2019, passando para 0,5% em 2020 e, por fim, a 1% a partir de 2021. Para amenizar o impacto nos cofres da União, o relator propôs um aumento escalonado. O aumento de repasse se dará em setembro de cada ano.

A expectativa do relator é de que o repasse seja de R$ 5,6 bilhões em 2021, ao fim do aumento gradativo do fundo. Em 2016, a transferência aos municípios no mês de setembro foi de R$ 4,1 bilhões.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

13/12/2017
Ministro revela nova previsão de revisão orçamentária
O ministro do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Dyogo Oliveira, disse ontem a jornalistas que há a possibilidade de a União descontingenciar mais recursos ainda neste...
13/12/2017
Temer já admite remarcar a votação da reforma da Previdência para fevereiro
Brasília - O presidente Michel Temer afirmou que tentará votar a reforma da Previdência na semana que vem, mas disse esperar que uma nova data seja marcada para fevereiro...
13/12/2017
Julgamento de Lula pelo caso do triplex será em
São Paulo - A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva reagiu, ontem, à decisão da Justiça de marcar para o dia 24 de janeiro o julgamento do...
13/12/2017
Raquel Dodge afirma que fará "análise adequada" de pedido de indiciamento de Rodrigo Janot
A procuradora-geral da República , Raquel Dodge, disse que dará “análise adequada sobre o tema”, ao ser questionada sobre o pedido de indiciamento contra seu...
13/12/2017
TCU aprova transferência de recursos a estados e municípios em grave crise financeira
Brasília - Em uma consulta feita pelo Ministério do Planejamento, o Tribunal de Contas da União (TCU) decidiu ontem que é possível a abertura de crédito...
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.