19/07/2018
Login
Entrar




Negócios

14/04/2018

Startup mineira mLearn amplia a atuação

Além de desenvolver um aplicativo para o Grupo Ânima, empresa lançará ferramenta de treinamento corporativo
Thaíne Belissa
Email
A-   A+
Expectativa de Ricardo Drummond é que a nova frente de atuação represente 15% do faturamento da startup/Divulgação
Depois de atingir milhões de pessoas com seus cursos via mobile, a startup mineira mLearn Educação Móvel aposta no atendimento a empresas interessadas em produtos de aprendizado móvel. A startup acaba de lançar dois aplicativos para o Grupo Ânima, sendo um focado nos alunos entrantes e outro nos projetos apoiados pelo Ânima Lab. Em poucos dias a empresa também vai lançar um aplicativo para treinamentos corporativos. A expectativa do sócio-fundador, Ricardo Drummond, é que essa nova frente de atuação represente 15% do faturamento da mLearn em 2018.

Com cinco anos de operação, a startup desenvolve projetos de aprendizado via celular, usando mecanismos de gamificação. Os aplicativos construídos pela mLearn e oferecidos ao público final trazem cursos e conteúdos de assuntos diversos como idiomas, qualificação profissional, marketing pessoal, educação financeira, desenvolvimento pessoal e saúde. Para atender os usuários finais, a empresa trabalha com um modelo de parceria com operadoras de celular, de forma que os clientes não precisam de cartão de crédito para comprar os cursos. Eles pagam uma mensalidade que é debitada direto em sua conta ou em seu crédito pré-pago.

Em 2018, entretanto, a startup pretende investir em uma nova frente de trabalho: o atendimento a empresas. De forma mais específica, a mLearn quer atingir instituições de educação que demandam projetos de aprendizado móvel para o seu público de estudantes e, ainda, empresas de diferentes setores que precisam de uma opção simples e atrativa para o treinamento de seus colaboradores. Segundo o sócio-fundador, essa é uma das apostas da startup para atingir o crescimento de 100% em faturamento em 2018 em relação a 2017. Ele acredita que o atendimento de empresas deve representar, neste ano, cerca de 15% do faturamento da empresa.

O primeiro projeto nesse sentido já foi desenvolvido junto ao grupo de educação Ânima. A startup desenvolveu dois aplicativos para o grupo, sendo um deles o Minha Facul, que ajuda os estudantes que acabaram de entrar na universidade a vencerem dificuldades em competências básicas, como ler e escrever melhor ou falar em público.

O segundo app é o Ânima Nest, que é voltado para os empreendedores que são apoiados pelo Ânima Lab, espaço de inovação do grupo. O aplicativo traz conteúdo voltado para o desenvolvimento de negócios inovadores. “Um dos motivos pelo qual as empresas nascentes falham é a falta de conhecimento. Esse aplicativo vai ajudá-las nesse sentido, trazendo informações sobre finanças, marketing, passo a passo de como abrir uma empresa, entre outros assuntos”, explica.

O empreendedor afirma que o desenvolvimento desses primeiros produtos para uma empresa de grande relevância como a Ânima ajudará a validar a proposta da mLearn. Segundo ele, o objetivo da startup é oferecer novos projetos parecidos com esses a outras instituições de educação, absorvendo as necessidades e especifidades de cada cliente.

Aplicativo - Outra iniciativa da mLearn nessa mesma estratégia de focar o atendimento às empresas é a criação de um aplicativo próprio da startup que concentrará perfis de empresas interessadas em utilizar a plataforma para treinamento corporativo. Por meio dessa ferramenta, qualquer empresa poderá oferecer aos seus colaboradores vídeos com conteúdos específicos e com a vantagem da gamificação e do fácil acesso via celular.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

19/07/2018
Demanda por cães de guarda cresce em BH
Algumas empresas apontam aumento no número de clientes, apesar de a crise ter impactado os negócios
19/07/2018
Brasil é o 2º país mais complexo da América Latina
Ranking foi elaborado pela IMF
19/07/2018
Google é multada em US$ 5 bilhões na Europa
Autoridades decidiram aplicar a penalidade por conta do uso do sistema Android para tirar rivais do mercado
19/07/2018
Domo Invest vai gerir fundo do BNDES para startups
Após processo de seleção envolvendo 14 concorrentes, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) definiu a Domo Invest como gestora do Fundo de...
19/07/2018
Ânima anuncia a compra de faculdade no Sul
São Paulo - A Ânima Educação anunciou ontem acordo para aquisição da Faculdade Jangada, em Jaraguá do Sul (SC), pelo valor de R$ 7,6...
› últimas notícias
Indústria pode recorrer à Justiça por repasse de verbas
Antecipação do abono anima CDL-BH
Em Minas, setor automotivo espera impulso com o Rota 2030
PBH cumpre 1ª etapa de auditoria
Demanda por cães de guarda cresce em BH
Leia mais notícias ›
› Newsletter
O melhor conteúdo exclusivo e gratuito no seu e-mail:




Cadastrar
› Mais Lidas
Leia todas as notícias ›
Publicidade
› Assine o DC

Acesso completo

aos conteúdos online e versão impressa.
Único jornal especializado em Economia, Negócios e Gestão de Minas Gerais.
Ferramenta indispensável para fazer bons negócios.
› Edição Impressa


19 de julho de 2018
Conteúdo exclusivo para assinantes
› DC no Facebook
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.