Publicidade
22/11/2017
Login
Entrar

Economia

20/10/2017

Três Corações Caffitaly inicia produção em Montes Claros

Inversões podem chegar a R$ 180 milhões
Mara Bianchetti
Email
A-   A+
Expectativa é que as fábricas de cápsulas de café da Três Corações e da Nescafé Dolce Gusto atrairam novos investidores/Divulgação
A fábrica da Três Corações Caffitaly em Montes Claros, no Norte de Minas, já deu início à produção de café em cápsulas. Com investimentos iniciais de R$ 47 milhões, a unidade tem capacidade de produção para 10 milhões de cápsulas por ano. Mas o objetivo do grupo é ir além e os aportes deverão chegar a R$ 180 milhões nos próximos anos.

As informações são do secretário de Desenvolvimento Econômico do município, Edilson Carlos Torquato. Segundo ele, já no próximo exercício, a companhia irá dobrar a capacidade produtiva. “O grande objetivo da Três Corações com a unidade mineira é atender toda a demanda da América latina, não sendo mais necessária a importação a partir da Europa”, revelou.

Para isso, o grupo fará um ciclo de investimentos na cidade em quatro etapas. A primeira delas foi concluída com a implantação da unidade em Minas Gerais. A segunda ocorrerá no ano que vem e permitirá que a capacidade salte das 10 milhões de cápsulas produzidas anualmente para 20 milhões por ano. As demais fases, conforme o secretário, ocorrerão em períodos subsequentes. “Acredito que todo o ciclo deverá ocorrer em quatro ou cinco anos”, considerou.

Procurada pela reportagem, a Três Corações não respondeu aos questionamentos até o fechamento desta edição.

Para atrair o investimento, de acordo com Torquato, a Prefeitura de Montes Claros ofereceu alguns benefícios e incentivos à empresa. Entre eles a doação de um terreno de 60 mil metros quadrados onde foi instalada a unidade, bem como a isenção de alguns tributos como Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis (ITBI) e Imposto Sobre Serviço de Qualquer Natureza (ISSQN). “Estas medidas, de alguma maneira, baratearam o custo de implantação da empresa”, disse.

Tamanho interesse da cidade, segundo o secretário, resultou da oportunidade de abrigar uma fábrica de grande porte, responsável pela produção de um item em alta no mercado, como é o caso do café em cápsulas.

“Por se tratar de um produto de maior valor agregado acabamos ganhando com a arrecadação. Além disso, há uma significativa geração de empregos. Somente nesta primeira fase foram 50 vagas, número que deverá dobrar no ano que vem”, argumentou.

Polos - O secretário lembrou que a instalação de fábricas como a da Três Corações no município ajuda na atração de outros investimentos. De acordo com ele, o nível de consulta de empresas, que já começa a se elevar depois de um longo período de baixa, em função da crise econômica nacional, acaba sendo influenciado pelas empresas já presentes na região.

“Os investidores apostam em polos industriais e regiões com vocação para determinados segmentos. No caso das cápsulas de café, por exemplo, Montes Claros já conta com duas fábricas: a da Três Corações e também a da Nescafé Dolce Gusto, inaugurada em 2015”, informou.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

22/11/2017
Vetor Norte se une por aeroporto de Confins
Prefeitos de 13 municípios da RMBH buscarão apoio em Brasília contra voos de grande porte na Pampulha
22/11/2017
Com bons resultados no terceiro trimestre, Embraer antecipa o fim de acordo de layoff
São Paulo - A Embraer antecipou o fim do acordo de layoff - suspensão temporária de contratos de trabalho de funcionários - na fábrica em São José...
22/11/2017
PIB brasileiro pode crescer entre 3% e 4% em 2018, projeta presidente do BNDES
São Paulo - O crescimento da economia brasileira deve superar 3% e, possivelmente, beirar 4% em 2018, disse ontem o presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social...
22/11/2017
Mercado de condomínios está aquecido
Taxa de vacância destes empreendimentos em Minas Gerais caiu de 24,4% para 23,8% no terceiro trimestre
22/11/2017
Arcelor rebate instituto e aponta sinergias
São Paulo - A ArcelorMittal rebateu críticas feitas ontem pelo Instituto Nacional das Empresas de Sucata de Ferro e Aço (Inesfa) sobre a compra da Votorantim Siderurgia em...
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.