17/06/2018
Login
Entrar




Economia

20/10/2017

Três Corações Caffitaly inicia produção em Montes Claros

Inversões podem chegar a R$ 180 milhões
Mara Bianchetti
Email
A-   A+
Expectativa é que as fábricas de cápsulas de café da Três Corações e da Nescafé Dolce Gusto atrairam novos investidores/Divulgação
A fábrica da Três Corações Caffitaly em Montes Claros, no Norte de Minas, já deu início à produção de café em cápsulas. Com investimentos iniciais de R$ 47 milhões, a unidade tem capacidade de produção para 10 milhões de cápsulas por ano. Mas o objetivo do grupo é ir além e os aportes deverão chegar a R$ 180 milhões nos próximos anos.

As informações são do secretário de Desenvolvimento Econômico do município, Edilson Carlos Torquato. Segundo ele, já no próximo exercício, a companhia irá dobrar a capacidade produtiva. “O grande objetivo da Três Corações com a unidade mineira é atender toda a demanda da América latina, não sendo mais necessária a importação a partir da Europa”, revelou.

Para isso, o grupo fará um ciclo de investimentos na cidade em quatro etapas. A primeira delas foi concluída com a implantação da unidade em Minas Gerais. A segunda ocorrerá no ano que vem e permitirá que a capacidade salte das 10 milhões de cápsulas produzidas anualmente para 20 milhões por ano. As demais fases, conforme o secretário, ocorrerão em períodos subsequentes. “Acredito que todo o ciclo deverá ocorrer em quatro ou cinco anos”, considerou.

Procurada pela reportagem, a Três Corações não respondeu aos questionamentos até o fechamento desta edição.

Para atrair o investimento, de acordo com Torquato, a Prefeitura de Montes Claros ofereceu alguns benefícios e incentivos à empresa. Entre eles a doação de um terreno de 60 mil metros quadrados onde foi instalada a unidade, bem como a isenção de alguns tributos como Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis (ITBI) e Imposto Sobre Serviço de Qualquer Natureza (ISSQN). “Estas medidas, de alguma maneira, baratearam o custo de implantação da empresa”, disse.

Tamanho interesse da cidade, segundo o secretário, resultou da oportunidade de abrigar uma fábrica de grande porte, responsável pela produção de um item em alta no mercado, como é o caso do café em cápsulas.

“Por se tratar de um produto de maior valor agregado acabamos ganhando com a arrecadação. Além disso, há uma significativa geração de empregos. Somente nesta primeira fase foram 50 vagas, número que deverá dobrar no ano que vem”, argumentou.

Polos - O secretário lembrou que a instalação de fábricas como a da Três Corações no município ajuda na atração de outros investimentos. De acordo com ele, o nível de consulta de empresas, que já começa a se elevar depois de um longo período de baixa, em função da crise econômica nacional, acaba sendo influenciado pelas empresas já presentes na região.

“Os investidores apostam em polos industriais e regiões com vocação para determinados segmentos. No caso das cápsulas de café, por exemplo, Montes Claros já conta com duas fábricas: a da Três Corações e também a da Nescafé Dolce Gusto, inaugurada em 2015”, informou.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

16/06/2018
BDMG reduz juros para MPEs
Empréstimos para capital de giro agora têm taxas a partir de 1,27% ao mês e prazo de 51 meses
16/06/2018
Valor de dívidas de estados e municípios foi de R$ 594,1 mi
Brasília - O Tesouro Nacional pagou, em maio, R$ 594,10 milhões em dívidas atrasadas de estados e municípios, informou o órgão na sexta-feira (15). Do...
16/06/2018
Fazenda critica MP do frete ao STF
Parecer vê adoção de tabelamento em setor de livre concorrência sem análise de impacto
16/06/2018
Liberação de saque deve injetar R$ 39,3 bi no mercado
Rio de Janeiro - A decisão do governo federal de liberar o saque das contas inativas do PIS/Pasep para quem tem direito ao benefício é positiva para o comércio do Rio...
16/06/2018
Uberlândia está no rumo da universalização
Município é o único de Minas a figurar em ranking, em nível nacional, entre polos com mais de 100 mil habitantes
› últimas notícias
BDMG reduz juros para MPEs
Valor de dívidas de estados e municípios foi de R$ 594,1 mi
Fazenda critica MP do frete ao STF
Liberação de saque deve injetar R$ 39,3 bi no mercado
Uberlândia está no rumo da universalização
Leia mais notícias ›
› Newsletter
O melhor conteúdo exclusivo e gratuito no seu e-mail:




Cadastrar
› Mais Lidas
Leia todas as notícias ›
Publicidade
› Assine o DC

Acesso completo

aos conteúdos online e versão impressa.
Único jornal especializado em Economia, Negócios e Gestão de Minas Gerais.
Ferramenta indispensável para fazer bons negócios.
› Edição Impressa


16 de junho de 2018
Conteúdo exclusivo para assinantes
› DC no Facebook
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.