22/07/2018
Login
Entrar




Internacional

06/07/2018

Turistas precisarão de autorização para visitar a União Europeia a partir de 2021

Agência Estado
Email
A-   A+
São Paulo - O Parlamento Europeu aprovou ontem um novo sistema de vistos de entrada para turistas em países da União Europeia (UE). Com a mudança, visitantes não europeus precisarão de autorização para visitar o continente a partir de 2021. O procedimento é chamado de Etias (“European Travel Information and Authorisation System”, ou “Sistema de Informação e Autorização de Viagens Europeias” em tradução livre) e será feito inteiramente pela internet.

O visto será gratuito para menores de 18 anos e maiores de 70 anos. Para os demais, terá o custo de 7 euros. Ele será requerido pela internet e terá validade de três anos. O novo sistema foi aprovado com 494 votos favoráveis, 115 contrários e 30 abstenções.

Mais segurança - Segundo o Parlamento Europeu, o sistema vai aumentar a “segurança interna”. “Essa triagem sistemática permitirá identificar aquelas pessoas que possam representar um risco antes que as mesmas alcancem as fronteiras europeias”, diz texto divulgado pela instituição. “Os viajantes que suponham um risco de segurança, de contágio ou sejam suscetíveis de incorrer em migração ilegal podem ver o seu pedido de entrada recusado”, informa.

Ainda de acordo com o Parlamento Europeu, o sistema é inspirado em modelos semelhantes aplicados nos Estados Unidos, Canadá e Austrália. Nele, os viajantes precisarão informar o nome completo, data e local de nascimento, gênero e nacionalidade, além de responder perguntas relacionadas a antecedentes criminais e presença em zonas de conflito, dentre outras.

Segundo o parlamento, “espera-se” que “a grande maioria” dos candidatos receba a autorização de entrada de forma “praticamente imediata”.

“As candidaturas serão processadas automaticamente. Se houver uma correspondência com qualquer uma das bases de dados de segurança da UE ou uma resposta positiva às perguntas, os dados serão verificados manualmente e os riscos avaliados individualmente, devendo a decisão ser tomada em um período de quatro semanas. A recusa de entrada deve ser justificada e o requerente tem direito a recorrer da decisão”, destaca o parlamento.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

21/07/2018
Trump se diz pronto para tarifar China em mais US$ 500 bilhões
Americanos pressionam chineses por redução de desequilíbrio comercial
21/07/2018
Mercosul avalia acordos com Aliança e Tunísia
São Paulo/Brasília - O Brasil quer avançar na discussão sobre possíveis acordos envolvendo o comércio digital com os países da Aliança do...
20/07/2018
UE alerta que tarifas dos EUA sobre carros serão um desastre
Vendas do setor do bloco ao país americano superam 50 bi de euros por ano
20/07/2018
Trump critica altas de juros pelo Fed
São Paulo - O presidente dos Estados Unidos (EUA), Donald Trump, criticou o movimento de aperto monetário do Federal Reserve (Fed, o banco central americano) e disse que...
19/07/2018
UE anuncia medidas de proteção contra importações de produtos de aço
Salvaguardas entram em vigor hoje
› últimas notícias
Exportações de soja devem ser recorde no próximo ano
Renovação da concessão da EFVM pode ser resolvida na Justiça
Pessimismo aumenta na indústria mineira
Minas mantém sequência de superávit
Brasil fecha 661 vagas com carteira assinada
Leia mais notícias ›
› Newsletter
O melhor conteúdo exclusivo e gratuito no seu e-mail:




Cadastrar
› Mais Lidas
Leia todas as notícias ›
Publicidade
› Assine o DC

Acesso completo

aos conteúdos online e versão impressa.
Único jornal especializado em Economia, Negócios e Gestão de Minas Gerais.
Ferramenta indispensável para fazer bons negócios.
› Edição Impressa


21 de julho de 2018
Conteúdo exclusivo para assinantes
› DC no Facebook
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.