Publicidade
24/09/2017
Login
Entrar

DC Turismo

20/05/2017

Turistas que partem do Estado são responsáveis por cerca de 10% do total de hóspedes dos hotéis do grupo

Daniela Maciel
Email
A-   A+
Windsor Guanabara, localizado no corredor cultural do Rio de Janeiro, na avenida Presidente Vargas, no Centro/Divulgação
Dona de 13 hotéis no Rio de Janeiro, capital, e dois em Brasília (DF), a rede Windsor tem no mercado nacional e nos nossos vizinhos de América do Sul a sua principal força. Os turistas mineiros são responsáveis por cerca de 10% do total de hóspedes da rede. A importância do mercado de Minas Gerais justifica, segundo o gerente corporativo de vendas, Ivan Bonfim, a presença constante de executivos da Windsor no Estado.

Semana passada eles estiveram na Capital, como parte de um road show que percorreu 20 capitais brasileiras. Na próxima semana, estarão em Uberlândia (Triângulo). “Minas Gerais é um mercado importantíssimo para nós. A proximidade e as boas condições da interligação rodoviária entre os estados facilita a chegada dos mineiros ao Rio. A maior parte vem de Belo Horizonte, mas temos clientes em todas as regiões do Estado. Cidades como Juiz de Fora (Zona da Mata) e Uberlândia têm presença constante”, afirma Bonfim.

Mais dois empreendimentos da rede estão em construção na capital fluminense: o Windsor Califórnia, em Copacabana, com 150 apartamentos no padrão luxo, com inauguração prevista para o verão de 2018; e o Windsor Tower, na barra da Tijuca, um três estrelas dedicado ao público corporativo com inauguração marcada para 2019. Esse é o terceiro hotel do complexo que fica na Barra da tijuca, composto também por um centro de convenções para 7 mil pessoas.

“Rodamos o País para falar de um novo Rio de Janeiro, com o centro recuperado. A cidade está renovada e a rede cobre todo o território; e também da Barra da Tijuca, que é um Rio moderno e hoje integrado às demais regiões através do transporte público. Podemos dividir o Rio em três grandes áreas: Copacabana e Zona Sul tradicional, o centro e a Barra da Tijuca. Temos operações nas três, atendendo tanto o público corporativo como o de lazer”, explica o gerente corporativo de vendas da Rede Windsor.

Entre os hóspedes estrangeiros, a maior parte vem da América Latina, com destaque para argentinos, chilenos e uruguaios, provavelmente influenciados pelos preços e pela proximidade. Muitos, inclusive, fazem a viagem de carro.

Embora ainda não apareça no planejamento, ter um hotel em São Paulo é um dos sonhos da rede. Tradicionalmente a marca prefere construir suas unidades a partir do chão, mas não descarta a possibilidade de comprar um empreendimento pronto e fazer pequenas reformas, como já aconteceu. Em Brasília, vem seguindo a mesma estratégia de ocupação do território, e as duas atuais unidades ficam na Asa Norte e na Asa Sul.

A variedade de perfis atendidos fez com a Windsor enfrentasse a crise com um pouco menos de dificuldade. Com mais de 3 mil funcionários, e com 30 anos completados em 2016, ainda como uma empresa familiar, busca se caracterizar como uma empresa de relacionamento.

“Investimos muito na qualidade do atendimento e do serviço. A Windsor tem um jeito de ser que preservamos. Claro que precisamos que o Brasil melhore, que as pessoas viagem, circulem mais. Acreditamos que o turismo é a grande saída para os problemas econômicos brasileiros”, completa o executivo.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

23/09/2017
Morro da Garça desperta para o turismo
Cidade mineira já formatou rotas que misturam natureza, história e literatura
23/09/2017
Semana do Turismo vai do dia 26 a 30
A quarta edição da Semana do Turismo do Sistema Fecomércio MG, Sesc e Senac, com o tema “Comércio e Turismo Viajam Juntos”, pretende discutir a...
23/09/2017
Congonhas quer faturar com turismo
Município tem buscado qualificação e sensibilização de empresários e população em torno da ideia
23/09/2017
Vereadores são contra fechamento do Minascentro
O debate a respeito do fechamento do Minascentro iniciado pela Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (Abih-MG) e demais entidades associadas ao segmento de...
23/09/2017
"Guimarães Rosa" inspira passeios
Morro da Garça, na região Central do Estado, faz parte do Circuito Turístico Guimarães Rosa, junto com as cidades de Araçaí, Buritizeiro, Corinto, Curvelo,...
› últimas notícias
Minas Gerais terá planta de grafeno até 2020
Planta da Mercedes em Juiz de Fora opera com estabilidade
Empresariado está mais otimista e Icei atinge o maior nível desde março de 2013, aponta CNI
Carrefour Brasil troca de presidente e anuncia a emissão de R$ 2 bi em notas
Unifei entre as mil melhores universidades do mundo
Leia mais notícias ›
› Newsletter
O melhor conteúdo exclusivo e gratuito no seu e-mail:

Cadastrar
› Mais Lidas
Fiemg apresenta plano para o Alto Paranaíba
CCPR assume 100% de participação na Itambé
Planta da Mercedes em Juiz de Fora opera com estabilidade
Unifei entre as mil melhores universidades do mundo
Elmo Calçados fecha acordo com credores e evita falência
Leia todas as notícias ›
Publicidade
› Assine o DC

Acesso completo

aos conteúdos online e versão impressa.
Único jornal especializado em Economia, Negócios e Gestão de Minas Gerais.
Ferramenta indispensável para fazer bons negócios.
› Edição Impressa


23 de September de 2017
Conteúdo exclusivo para assinantes
› DC no Facebook
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.