Publicidade
20/01/2018
Login
Entrar

Economia

09/01/2018

Uberaba movimenta US$ 1,2 bilhão com o comércio exterior

Resultado de 2017 representa incremento de 20%
Mara Bianchetti
Email
A-   A+
Porto-seco do município movimentou US$ 785 milhões no ano passado, segundo a Receita/André Santos/Prefeitura de Uberaba
O comércio exterior de Uberaba, no Triângulo Mineiro, tem ganhado destaque nos últimos exercícios. Embora o saldo da balança comercial do município tenha oscilado, a corrente comercial registrou, em 2017, o melhor resultado desde 2014. De acordo com dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio (Mdic), a soma das exportações e importações atingiu cerca de US$ 1,2 bilhão no ano passado. O montante é 20% superior ao de 2016, quando somou pouco mais de US$ 1 bilhão.

Na avaliação do secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo de Uberaba, José Renato Gomes, os números são extremamente positivos e já indicam recuperação após a crise. “Entre 2016 e 2017 registramos evolução de alguns milhões de dólares, o que já é um bom indicativo”, avaliou.

E para 2018, a expectativa, segundo ele, é que melhore ainda mais. “O objetivo é que a nossa performance chegue aos patamares de 2013 e 2014, quando alcançamos o patamar próximo a US$ 1,5 bilhão de movimentação”, completou.

Somente em termos de exportações, o município registrou o montante de US$ 227 milhões no decorrer do ano passado, montante 13,79% superior aos US$ 199 milhões de 2016. Já em relação às importações, foram cerca de US$ 987 milhões de 2017 e aproximadamente US$ 807 milhões um ano depois. Isso significa um avanço de 22,26% entre os exercícios.
Para o secretário, os números demonstram o potencial do Triângulo Mineiro no que tange a logística e desembaraço aduaneiro, uma vez que a corrente comercial da vizinha Uberlândia foi superior a US$ 500 milhões.

Informações da Receita Federal dão conta que somente o porto-seco de Uberaba movimentou no ano passado, cerca de US$ 785 milhões. De acordo com o diretor do porto-seco, André Barsan, dois principais fatores contribuíram para o bom resultado: agilidade no desembaraço e preço.

Segundo ele, tais características são possíveis graças à localização estratégica da estação aduaneira, que está próxima do principal porto brasileiro, em Santos (SP) e de dois dos principais aeroportos nacionais: Viracopos (Campinas) e Guarulhos. “Tudo que o cliente precisa em termos de competitividade, a gente tem”, destacou.

Em relação aos principais segmentos trabalhados no local, Barsan contou que na importação, os destaques ficaram por conta de itens de informática, materiais eletroeletrônicos, eletroportáteis e produtos ligados a agroindústria. Já na exportação, houve predominância do agronegócio, com o embarque de grãos como soja, milho e derivados e café. “O perfil é bastante diversificado”, comentou.

Leia também:
Balança tem superávit de US$ 513 milhões

Expansão -
Além disso, o diretor do porto-seco de Uberaba destacou a parceria na atuação com o Executivo municipal. Conforme ele, a prefeitura doou uma área de 47 mil metros quadrados para uma expansão da aduana e também intermediou a negociação com a Companhia de Armazéns e Silos do Estado de Minas Gerais (Casemg) para a disponibilização de uma área de 100 mil metros quadrados também para o local. “Estas expansões são sempre importantes e necessárias para o bom funcionamento do porto-seco”, disse o diretor.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

20/01/2018
Empresário mineiro segue mais confiante
Em janeiro, o Icei-MG chegou a 50,7 pontos, o melhor resultado para o mês nos últimos sete anos
20/01/2018
Montadoras reivindicam créditos tributários
Brasília - Com o fim do Inovar Auto em dezembro e sem definição do novo programa automotivo, chamado de Rota 2030, as empresas de automóveis tentam que os...
20/01/2018
Índice de investimentos de empresas caiu 0,7% em novembro ante outubro
Brasília - O indicador de Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF), divulgado na sexta-feira, 19, pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), sofreu uma queda de...
20/01/2018
Faturamento recua no interior de Minas
Quatro regionais apresentaram queda na receita em novembro, conforme levantamento da Fiemg
20/01/2018
Exportações mineiras devem continuar em alta em 2018
Especialistas estimam aumento de 7%
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.