Publicidade
21/11/2017
Login
Entrar

Negócios

18/10/2017

Uberlândia representa instituição americana

Conquista garante canal de comunicação e a realização de eventos que promovam soluções inovadoras
Thaíne Belissa
Email
A-   A+
Uberlândia é a primeira cidade do interior a representar a Singularity University, sediada no Vale do Silício, nos EUA/Cleiton Borges/Secomb/PMU
Ela não tem a popularidade de uma capital de estado e ainda circula em torno de seus pouco mais que 600 mil de habitantes, mas a fama como hub de inovação já está rodando o mundo. Localizada no Triângulo Mineiro, Uberlândia é a primeira cidade do interior do Brasil a representar a Singularity University, instituição de pesquisa e educação de grande renome, sediada no Vale do Silício, nos Estados Unidos. O anúncio aconteceu no início do mês e trouxe ainda mais destaque para a cidade, que deve receber, em 2018, quatro grandes eventos ligados à instituição americana.

Uberlândia foi um dos 10 novos capítulos (representantes) anunciados pela instituição este mês. Além dela, se tornaram representantes da instituição Vancouver e Montreal, no Canadá; San Salvador, em El Salvador; Douglas, na Ilha de Man; Kyoto, no Japão; Nassau, em Bahamas; Austin, Boston e Minneapolis-St. Paul, nos Estados Unidos. Ao todo, a Singularity Universty tem 83 cidades-capítulos em 50 países diferentes. Todas elas ajudam a difundir conhecimento em prol do desenvolvimento de tecnologias exponenciais com impacto social.

Com sede no campus da Nasa, na Califórnia, a instituição foi criada em 2008 por executivos de grandes empresas de tecnologia que atuam no Vale do Silício. Como uma universidade muito distinta, como o próprio nome diz, a instituição oferece cursos e promove o conhecimento focado em inovação para resolver os problemas do mundo em áreas como educação, saúde, nutrição e governança.

Os embaixadores da instituição em Uberlândia serão a empresária Anna Paula Graboski e o diretor de Inovação da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Inovação e Turismo de Uberlândia (Sedeit), Gustavo Maierá. Ambos são estudantes da Singularity Universty e foram os responsáveis por começar os contatos com a instituição e propor a representação.

Maierá explica que a nomeação como capítulo da instituição tem duração de dois anos, tempo em que a cidade se compromete com a difusão do conhecimento das tecnologias exponenciais com impacto social. De acordo com ele, ainda é cedo para dizer o que o município promoverá, mas ele adianta que serão realizados pelo menos quatro grandes eventos, além da mostra de um filme.

“Vamos trazer palestrantes de altíssimo gabarito e discutir quais as mudanças que o mundo vai viver nos próximos três a cinco anos. Serão discussões, palestras e cafés da manhã abertos à comunidade”, afirma. Os embaixadores também planejam a exibição de um filme sobre futurismo no cinema da cidade. Para o diretor, a representação da Singularity University é um passo importante para a conexão de Uberlândia com o resto do mundo.

“Quando o assunto é tecnologia não importa onde está: o importante é que as conexões certas aconteçam. A missão de Uberlândia é se desenvolver globalmente, porque só assim é que aumentamos a taxa de sucesso dos nossos negócios, e essa representação é uma grande oportunidade nesse sentido”, destaca.

Relevância - O secretário de Desenvolvimento Econômico, Inovação e Turismo de Uberlândia, Dilson Dalpiaz, acredita que a escolha da cidade como representante da Singularity University é um importante reconhecimento do hub de inovação que tem sido fomentado na cidade. Ele lembra que “essas coisas não acontecem por acaso” e que a cidade, por meio dos diferentes atores do ecossistema, tem se movimentado para ganhar relevância no cenário de inovação do Brasil e do mundo.

“Temos um projeto de internacionalização da cidade e nosso objetivo é atrair, cada vez mais, investimentos globais voltados para a tecnologia e a inovação. E, assim como a Singularity University, nós não acreditamos na tecnologia pela tecnologia, mas nela aplicada em benefício do cidadão”, afirma.

O secretário faz questão de frisar a marca “Uberhub”, que dá uma “cara” a esse polo de inovação que vem sendo criado na cidade. De acordo com o Censo do Ecossistema de Inovação de Uberlândia 2017, a cidade tem 137 empresas no segmento de tecnologia e inovação, sendo 58 startups. O levantamento ainda mostrou que, desde 2013, nasce a cada ano em Uberlândia, em média, o dobro de startups do ano anterior.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

21/11/2017
Unicoba investe R$ 30 milhões em Extrema
Expectativa é de que com o aporte produção na planta aumente entre 10% e 20% nos próximos anos
21/11/2017
Eu posso ter limites, mas meu sonho, não: como transformei minha empresa numa scale-up que cresce 11% ao mês
Empreender é um ato de coragem. Mas no meu caso, foi motivado por uma grande fobia
21/11/2017
AP Ponto utiliza energia fotovoltaica em projeto na cidade de Santa Luzia
A busca por fontes de energia mais baratas e menos impactantes para o meio ambiente tem feito com que empreendimentos residenciais e comerciais invistam, cada vez mais, em fontes alternativas como...
21/11/2017
De atacadista para varejista, Neca registra alta na receita
Estratégia foi a saída que a empresária encontrou para não fechar
21/11/2017
CDL acelera cinco empresas com soluções inovadoras
Programa repassou R$ 50 mil
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.