Publicidade
21/05/2018
Login
Entrar

Internacional

10/05/2018

UE garante esforços para manter acordo nuclear com Irã

Em comunicado, bloco também lamentou saída dos Estados Unidos
ABr/Reuters
Email
A-   A+
Lisboa/ Beirute - Após a decisão do presidente dos Estados Unidos (EUA), Donald Trump, de abandonar o acordo nuclear com o Irã, o Conselho da União Europeia (UE) divulgou ontem comunicado, no qual informa que manterá os esforços para preservar o pacto firmado em 2015. O tom crítico do documento foi mesclado ao lamento pela iniciativa norte-americana. A UE representa 28 nações, entre elas Reino Unido, França e Alemanha, cujos representantes têm reunião marcada para segunda-feira (14), com autoridades iranianas.

“Enquanto o Irã continuar a implementar seus compromissos nucleares, como vem fazendo até agora e foi confirmado pela Agência Internacional de Energia Atômica em dez relatórios consecutivos, a UE continuará comprometida com a implementação total e efetiva do acordo nuclear”, diz o comunicado.

A UE afirmou que o acordo, aprovado por unanimidade pela Resolução 2231 do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU), é um elemento-chave da arquitetura global de não-proliferação nuclear e é crucial para a segurança da Europa.

“A UE sublinhou repetidamente que o levantamento das sanções tem um impacto positivo nas relações comerciais e econômicas com o Irã”. O alívio das sanções não será retirado de maneira imediata, mas em até 90 dias, podendo demorar mais que esse período - no total de 180 dias.

O documento destaca ainda que o acordo é fruto de 12 anos de diplomacia e que a UE está determinada a colaborar com a comunidade internacional para preservá-lo.

“A União Europeia (UE) lamenta profundamente o anúncio do presidente dos EUA, Donald Trump, de retirar-se do Plano de Ação Integral Conjunto (JCPOA)”, diz o comunicado.

Inapto - O presidente do Parlamento iraniano afirmou ontem, após a decisão norte-americana, que o presidente dos Estados Unidos não está apto para o seu cargo.
Trump retirou os Estados Unidos do acordo na terça-feira (8), levantando o risco de um conflito no Oriente Médio, irritando aliados europeus e provocando incertezas em relação à oferta global de petróleo.

“Trump não tem capacidade mental para lidar com adversidades”, disse o presidente do Parlamento, Ali Larijani, à assembléia, em discurso ao vivo na TV estatal.

Membros do Parlamento queimaram uma bandeira dos EUA e uma cópia simbólica do acordo iraniano, no início da sessão. Eles também gritaram “morte à América”.

“O abandono por Trump do acordo nuclear foi um show diplomático. O Irã não tem obrigação de honrar seus compromissos sob a situação atual”, disse Larijani. “É óbvio que Trump só entende a linguagem da força”.

O presidente Hassan Rouhani afirmou na terça-feira (8) que o Irã continuará comprometido com o acordo sem Washington, apesar da decisão de Trump. O pacto foi elaborado para negar a Teerã a capacidade de construir armas nucleares.

“Se alcançarmos os objetivos do acordo em cooperação com outros membros do acordo, ele continuará em vigor. Ao deixar o acordo, a América comprometeu oficialmente seu compromisso com um tratado internacional”, disse Rouhani, na ocasião.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

19/05/2018
OMS alerta Brasil sobre surtos de doenças
Diretor-geral de entidade diz que País corre grande risco com alto fluxo de pessoas que circulam nas fronteiras
19/05/2018
Programa de resgate vai focar em redução da dívida pública da Argentina
Washington - A diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, afirmou, na sexta-feira (18), que o objetivo do programa de resgate à Argentina...
18/05/2018
Tensões começam a afetar comércio
Segundo entidade internacional, protecionismo pode prejudicar avanço do setor no mundo
18/05/2018
Detalhes de apoio do FMI já estão em discussão
Washington - O Fundo Monetário Internacional (FMI) espera fornecer à Argentina um programa de apoio de alto acesso, mas detalhes precisos sobre o que ele irá abranger ainda...
18/05/2018
Norte exige concessões do Sul para seguir conversas
Seul - A Coreia do Norte criticou ontem a Coreia do Sul, advertindo que encerraria definitivamente as conversas intercoreanas, a menos que Seul fizesse concessões em relação...
› últimas notícias
Minas Gerais cria 23.563 vagas em abril
Two-Flex Aviação transporta cargas entre Varginha e BH
Governo fala que estuda redução de impostos
Caminhoneiros anunciam greve contra preço do diesel
Sigma aporta R$ 230 mi na produção de lítio
Leia mais notícias ›
› Newsletter
O melhor conteúdo exclusivo e gratuito no seu e-mail:




Cadastrar
› Mais Lidas
Leia todas as notícias ›
Publicidade
› Assine o DC

Acesso completo

aos conteúdos online e versão impressa.
Único jornal especializado em Economia, Negócios e Gestão de Minas Gerais.
Ferramenta indispensável para fazer bons negócios.
› Edição Impressa


19 de maio de 2018
Conteúdo exclusivo para assinantes
› DC no Facebook
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.