19/06/2018
Login
Entrar




Internacional

21/10/2017

UE vai insistir em acordo com o Mercosul

Conversas serão mantidas, apesar das reservas da França em relação às importações agrícolas
AE/Reuters
Email
A-   A+
Juncker: ?Nós continuaremos a fazer tudo que pudermos para concluir as negociações?/Pietro Naj-Oleari/ Divulgação
Bruxelas - A União Europeia irá insistir para concluir as conversas sobre livre comércio com o Mercosul até o final do ano, disseram líderes, apesar das reservas da França sobre a série de importações agrícolas que o acordo traria.

O presidente francês, Emmanuel Macron, havia dito que não estava com pressa para fechar um acordo com os países exportadores de carne do Mercosul --Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai-- e conseguiu incluir o comércio na agenda de uma cúpula de líderes da União Europeia em Bruxelas.

“Nós tivemos um pequeno momento logo depois da meia-noite para discutir comércio internacional”, disse o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, em coletiva de imprensa após encontro dos líderes na sexta-feira.

Juncker disse que a Europa tem uma grande oportunidade de fechar acordos comerciais com países pelo mundo, respeitando os valores e padrões europeus e a “reciprocidade buscada pelo presidente francês”.

“Nós continuaremos a fazer tudo que pudermos para concluir as negociações com o Mercosul antes do final do ano. É importante. Nós subestimamos a importância do Mercosul para a União Europeia”, disse.

Brexit – A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, disse nesta sexta-feira que a União Europeia só pode concordar em entrar na próxima fase das negociações do Brexit em dezembro se o Reino Unido avançar com suas obrigações financeiras com o bloco.

“Nós esperamos que até dezembro nós tenhamos avançado o suficiente para permitir que a fase dois comece, mas isso depende da extensão do progresso feito pelo Reino Unido para que nós possamos dizer que é suficiente nos temas centrais da fase um”, disse Merkel em coletiva de imprensa, no final de uma cúpula da União Europeia.

“Nisso, o acordo financeiro é o tema mais proeminente”, acrescentou.

O presidente da França, Emmanuel Macron, também afirmou que cabe ao governo do Reino Unido admitir suas obrigações financeiras com a União Europeia antes de deixar o bloco. Segundo ele, dessa maneira o diálogo sobre a relação futura depois do chamado Brexit pode avançar.

Em entrevista coletiva após uma reunião de líder da UE em Bruxelas, Macron disse que “nós temos visto certo progresso” e que o bloco deseja passar para a próxima fase das negociações. “Mas muito ainda precisa ser feito”, comentou, “e isso está nas mãos da premiê May”, em referência à primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May.

O líder francês ressaltou que a principal questão que trava o avanço é financeira. “Não chegamos na metade do caminho nisso. Muito precisa ser feito”, notou.

Macron disse que, caso o Reino Unido queira honrar seu compromisso de que nenhum país da UE terá de pagar mais no orçamento da UE nem receber menos como consequência do Brexit, Londres precisará reconhecer todos seus compromissos financeiros até 2020.
May pediu aos líderes na última quinta-feira ajuda para fechar um acordo que possa ser apoiado no Reino Unido.

“Nós não estamos aqui para fazer concessões a fim de responder a discursos”, disse Macron. “O problema para a sra. May é que aqueles que defenderam o Brexit nunca explicaram às pessoas que consequências haveria.”

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

19/06/2018
Bloco mira novos parceiros comerciais pelo mundo
Líderes estão reunidos no Paraguai
19/06/2018
Trump quer criação de ?Força Espacial?
Washington - O presidente dos Estados Unidos (EUA), Donald Trump, disse ontem que vai ordenar a criação de um sexto ramo das forças armadas do país para abrir caminho...
19/06/2018
Eleito, Duque promete crescimento e rigidez em acordo de paz com as Farc
Bogotá - O presidente eleito da Colômbia, Iván Duque, prometeu unir um país dividido com seus planos de endurecer um acordo de paz com a guerrilha Farc e retomar o...
16/06/2018
EUA impõe tarifas e inicia "guerra" com a China
Em resposta, chineses anunciaram que aplicarão mesma taxa sobre igual volume de produtos americanos
16/06/2018
Venda a chineses pode ser menor em 8 anos
São Paulo - As importações chinesas de petróleo venezuelano podem cair para o menor patamar em quase oito anos em julho, enquanto o produtor da...
› últimas notícias
Preço do diesel recua R$ 0,41 em Minas
Mais de 40% das empresas usam planilhas ao contratar
Inadimplência recua na Capital
TCU vai apurar se cobrança por despacho de bagagem reduziu preços das passagens
Governo espera movimentar a economia com liberação de saques
Leia mais notícias ›
› Newsletter
O melhor conteúdo exclusivo e gratuito no seu e-mail:




Cadastrar
› Mais Lidas
Leia todas as notícias ›
Publicidade
› Assine o DC

Acesso completo

aos conteúdos online e versão impressa.
Único jornal especializado em Economia, Negócios e Gestão de Minas Gerais.
Ferramenta indispensável para fazer bons negócios.
› Edição Impressa


19 de junho de 2018
Conteúdo exclusivo para assinantes
› DC no Facebook
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.