Publicidade

DC Auto

23/12/2016

UNI-CUB é o dispositivo de mobilidade pessoal

Email
A-   A+
Rogério Machado/Divulgação/
Durante a apresentação da Honda no Salão de Los Angeles, assistimos à entrada em palco do piloto da F1 Jenson Button para falar um pouco sobre a Honda. Esta foi a última temporada na categoria para o piloto britânico depois de completar 300 Grand Prix.

Ele assinou um contrato de dois anos com a McLaren Honda para assumir o papel de embaixador da equipe. Button não chegou caminhando, mas, sim, assentado em uma Honda UNI-CUB, o assento móvel ou “dispositivo de mobilidade pessoal” da montadora que ganhou uma versão mais baixa e mais prática.

No mesmo dia, satisfazendo a curiosidade mineira, fomos testar o dispositivo da Honda. A UNI-CUB foi projetada para atender à mobilidade individual nas cidades e em grandes ambientes que demandam longos deslocamentos.

Seu desenho compacto se assemelha a um pequeno tamborete com cerca de 50 centímetros de altura. O contato com o solo é feito por duas rodas, a principal localizada exatamente sob o assento e uma menor, montada na parte posterior, que auxilia no equilíbrio e na direção.

As rodas são omni-direcionais ou multidirecionais. Elas se movem no eixo convencional e no eixo perpendicular. Para entender melhor imagine um pneu cuja rotação é a esperada, ou seja, no sentido que a banda de rodagem esteja sempre em contato com o solo.
Na roda omni imagine que, além desta rotação, o pneu também é capaz de girar lateralmente, no eixo a seção do pneu.

Equilíbrio – A nova versão da Honda UNI-CUB pesa cerca de 18 quilos e sua propulsão elétrica utiliza uma bateria de Litio-Ion que dura uma hora e meia até a próxima recarga. Ele é capaz de carregar pessoas de até 100 quilos a uma velocidade máxima de 6 km/h (o ser humano caminha, normalmente, a 5 km/h).

O dispositivo possui um computador ligado a sensores que fazem com que você, e ele, se equilibre. É a mesma lógica do Segway, porém nos dois sentidos.
A UNI-CUB estava desligada quando tomei a posição. Uma alavanca de acionamento fácil, localizada atrás do assento, liga e recolhe dois suportes anteriores que se transformam em apoios para os pés.

Para fazê-la se mover você simplesmente se inclina para a frente ou na direção que quiser. Desta forma, o dispositivo o levará a uma velocidade variável, de acordo com a inclinação.
A adaptação é rápida e, diferentemente de uma bicicleta, a UNI-CUB buscará sempre manter o equilíbrio e você não cairá.

Os deslocamentos exigem certo aprendizado, que é muito rápido, e em pouco tempo você estará dominando o dispositivo de forma sutil, aprendendo a fazer curvas suaves ou, até mesmo, mais ousadas na velocidade máxima.

Acredito que a UNI-CUB possa oferecer uma opção de deslocamento fácil para alguém que possua alguma dificuldade de mobilidade ou mesmo para os mais preguiçosos. Além disso, é mais uma aplicação que servirá para desenvolver cada vez mais a tecnologia de baterias e do próprio sistema omni.

O veículo deve ser utilizado em superfícies regulares e isto o torna pouco útil no Brasil, cujo cenário urbano apresenta calçadas com buracos e emendas que, até mesmo nas ruas, desafia a mobilidade dos automóveis. (RM)

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

24/03/2017
Nissan lança a 12ª geração da picape Frontier
Modelo ganhou novo powertrain
24/03/2017
Fiat Chrysler Automobiles em compasso de espera
Quando a General Motors anunciou a venda das marcas Opel e Vauxhal, no início desse ano, estava claro que outros movimentos no setor automotivo iriam se processar. O comprador foi...
17/03/2017
Toyota aprimora segurança do Corolla
A edição 2018 do líder de vendas passa a ter, em todas as versões, controles de estabilidade e tração
17/03/2017
Honda apresenta o WR-V, um cross Fit
A montadora japonesa lançou, nessa semana, o WR-V. Por mais que se refira a ele como um utilitário esportivo (SUV) compacto, não há como negar o óbvio: trata-se...
17/03/2017
Multimídia com tela de sete polegadas
As mudanças no modelo para a linha 2018 também chegaram ao interior. O quadro de instrumentos (dois tipos, dependendo da versão) passou por alterações...
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.