Publicidade
22/11/2017
Login
Entrar

Internacional

21/03/2017

Uso eficiente dos recursos naturais pode gerar US$ 2 trilhões

Email
A-   A+
Brasília - O uso mais inteligente e eficiente dos recursos naturais do mundo pode injetar US$ 2 trilhões na economia global até 2050 e também compensar os custos de uma ação ambiciosa contra a mudança climática, segundo a Organização das Nações Unidas (ONU). As informações são da ONU News, em Nova York.

Em um comunicado, o chefe da ONU Meio Ambiente, Erik Solheim, citou uma nova pesquisa do chamado Painel Internacional de Recursos, um grupo de especialistas de gestão de recursos naturais ligado à agência da ONU, segundo a qual “fazendo um uso melhor dos bens naturais do planeta”, é possível “injetar mais dinheiro na economia para criar empregos e aprimorar meios de subsistência, além de criar os fundos necessários para financiar uma ação climática ambiciosa”.

Potencial sustentável - O relatório Eficiência de Recursos: Potencial e Implicações Econômicas, encomendado em 2015, diz que o investimento em uma ação climática ambiciosa causaria queda de 3,7% no produto global bruto per capita até 2050. No entanto, segundo o documento, o uso mais sustentável de materiais e energia não apenas cobriria o custo de manter o aquecimento global abaixo dos 2 graus Celsius, mas também adicionaria US$ 2 trilhões na economia global até 2050.

Outras conclusões apontam para ganhos econômicos assimétricos pela eficiência de recursos e extração mais lenta, que afetariam algumas indústrias, como mineração. De acordo com o relatório, os países, entretanto, ganhariam mais implementando políticas de compensação e transferência para facilitar a transição para práticas mais eficientes do que continuando a apoiar atividades ineficientes.

Além dos benefícios econômicos, a análise mostra que a eficiência e ação climática reduziriam o uso global de recursos em cerca de 28% em 2050, em comparação com tendências atuais.
Segundo estimativas, a população mundial deve crescer 28% até 2050 e usar 71% a mais de recursos por pessoa. Sem medidas urgentes para aumentar a eficiência, o uso global de metais, biomassa, minerais e outros materiais vai subir de 85 bilhões para 186 bilhões de toneladas por ano no mesmo período. (ABr)

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

22/11/2017
Disputa sobre carne bovina pode atrasar negociações
Acordo não deve sair em dezembro
22/11/2017
EUA emitem novas sanções a chineses
Washington - Os Estados Unidos emitiram novas sanções contra quatro empresas de comércio da China e um indivíduo chinês que supostamente fez negócios com...
22/11/2017
PDVSA subtrai petróleo de joint ventures para abastecer refinarias
Caracas/Houston - A estatal venezuelana PDVSA está subtraindo petróleo de suas rentáveis joint ventures com empresas estrangeiras para alimentar suas refinarias...
21/11/2017
Sem apoio, Merkel fala em novas eleições
Mesmo com o fracasso da coalizão que daria suporte ao seu governo, chanceler não pretende renunciar
21/11/2017
Queda na produção da Venezuela é preenchida por outros países
Houston/Dubai - Agora que o dilapidado setor energético da Venezuela está tendo dificuldades de cumprir a meta nacional de produção de petróleo estipulada pela...
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.