Publicidade
21/10/2017
Login
Entrar

Agronegócio

10/10/2017

Uso racional da água está na pauta do setor

Faemg vem trabalhando em ações para difundir a importância da preservação entre os produtores
Michelle Valverde
Email
A-   A+
Atividade é dependente da água e o produtor deve utilizá-la de forma sustentável/Pixabay
A importância do uso racional e sustentável da água na atividade agropecuária vem sendo cada vez mais trabalhada pela Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais (Faemg). Com várias ações em andamento, a entidade participou do projeto “Minas no Caminho das Águas”, um movimento preparatório para o 8º Fórum Mundial da Água, principal evento global sobre o recurso natural. O fórum, que pela primeira vez será realizado no Hemisfério Sul, é considerado uma importante oportunidade de discussão e uma contribuição para estabelecer compromissos políticos e incentivar ações em todos os setores da sociedade. O evento será em março de 2018, em Brasília.

De acordo com a coordenadora da Assessoria de Meio Ambiente da Faemg, Ana Paula Mello, no último fim de semana, a entidade participou, em Belo Horizonte, do “Minas no Caminho das Águas”. No evento, foi realizada uma série de atividades para mobilizar e debater com a sociedade a importância do cuidado com nossos recursos hídricos.

“O “Minas no Caminho das Águas” é movimento preparatório do Fórum Mundial da Água e o Brasil tem um papel relevante, uma vez que concentra entre 10% e 12% do volume de chuvas que cai sobre os continentes. A atividade agropecuária é dependente da água e o produtor rural precisa utilizar o recurso de forma sustentável”, explicou.

Ana Paula ressalta que a Faemg reforçou o compromisso de estimular o uso racional da água em Minas Gerais. Em 2015, ano da última edição do Fórum da Água, a federação, junto a outras entidades, assinou o Pacto de Minas Pelas Águas.

“Um dos desdobramentos do pacto foi o lançamento do Programa Nosso Ambiente. Somente com este projeto já foram recuperados mais de 1 mil nascentes. Os produtores rurais passam por cursos no Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar Minas) e aprendem técnicas para conservar o meio ambiente, o que é fundamental para se ter uma produção sustentável”, explicou.

Uma das ações realizadas durante o Minas no Caminho das Águas foi o reforço, para a sociedade, da importância do trabalho do produtor rural para a preservação do meio ambiente, da água e do solo.

“O produtor rural é também um produtor de água. Os dados do Cadastro Ambiental Rural (CAR) mostraram que de toda a área já cadastrada, 33%, é de vegetação nativa. Só que a produção de água no campo acontece em 100% da área, porque o meio rural tem a produção inteiramente feita no solo, que é um substrato da produção rural. O solo é também a grande caixa de água por absorver as águas das chuvas, que vão compor os lençóis subterrâneos, abastecer os rios, os lagos e as nascentes. Estamos levando para a sociedade esta questão”.

Chamar a atenção - O evento realizado em Minas Gerais teve como objetivo chamar a atenção da sociedade sobre a importância de preservar o meio ambiente, as formas sustentáveis que são utilizadas para produzir os alimentos e para divulgar o 8º Fórum Mundial da Água.

“A ideia é que as pessoas participem do Fórum, que é o maior evento global sobre o tema. Haverá discussões variadas, feira e exposição. O tema desta edição é “Compartilhando Água”, tema interessante por mostrar que a água é essencial a todos, para a sobrevivência e produção de alimentos. Além disso, a água precisa ser compartilhada, temos ai uma premissa das políticas de recursos hídricos, que são os usos múltiplos. O tema é bem a cara do Brasil, que tem, por exemplo, uma geração de energia principalmente a base de hidrelétricas. Os reservatórios das hidrelétricas são utilizados também para a piscicultura e para regularização de vazão dos rios que são fundamentais para a irrigação e abastecimento das cidades”, disse Ana Paula.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

21/10/2017
Receita da agropecuária deve cair 8,6%
Estimativa é de que o setor apure R$ 53,99 bi neste ano em Minas Gerais, sendo R$ 34,38 bi da agricultura
21/10/2017
Cafés do Sul e Matas de Minas têm mais amostras no Coffee of the Year
Os 150 melhores cafés do Brasil já estão classificados para o Coffee of the Year 2017. Ao todo, foram avaliadas 239 amostras das doze principais regiões do País,...
21/10/2017
Preços podem estimular cultivo de tangerinas Murcott e Rio no Estado
O fim da safra da tangerina Ponkan somado à tendência de mercado apresentada em 2016 deve estimular a produção de tangerinas Murcott e Rio no último trimestre do...
21/10/2017
Previsão para pecuária é de queda de 0,3%
Com base nos dados de setembro, o VBP da pecuária de Minas Gerais, para 2017 foi estimado em R$ 19,6 bilhões, queda de 0,3%. A retração foi influenciada pelos resultados...
20/10/2017
União lança linha premium BonQ
Estratégia é oferecer queijos de qualidade diferenciada com preços mais acessíveis
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.