Publicidade

DC Inovação

24/02/2017

Vale da Eletrônica no Sul de Minas abre espaço para as startups

Estima-se que 50 estão operando na região
Thaíne Belissa
Email
A-   A+
Maior integração entre indústrias e startups/Sanzio Mello/Divulgação
Não é novidade que o município de Santa Rita do Sapucaí, no Sul de Minas Gerais, respira tecnologia e inovação. O local é conhecido como Vale da Eletrônica desde a década de 80, sendo o segmento uma das principais fontes de renda da região. Mas, nos últimos anos, um movimento diferenciado vem chamando a atenção na cidade: o surgimento de um número expressivo de startups, que se juntam às indústrias já existentes no local e trazem novos ares para o cenário de inovação do município. A partir dessa sinergia, Santa Rita do Sapucaí vem se destacando não só como um polo tecnológico, mas um hub de interação entre indústria e startups.

O presidente do Sindicato das Indústrias de Aparelhos Elétricos, Eletrônicos e Similares do Vale da Eletrônica (Sindivel), Roberto de Souza Pinto, afirma que a sinergia é algo natural entre indústrias e startups na cidade, tendo em vista que a origem da maior parte das empresas já consolidadas no Vale é a universidade. “A maior parte das indústrias que existem na cidade hoje começou como startups também, pois quando surgiram propunham coisas inovadoras. Além disso, muitas foram fundadas por ex-alunos empreendedores, então eles são muito abertos aos jovens das startups, que muitas vezes também vêm desse ambiente de academia”, afirma.

Leia também
Sinergia e oportunidade de negócios
Hub na região é formalizado para representar as empresas
Troca de conhecimento dá resultado


Para o presidente, a presença das startups no Vale da Eletrônica é essencial para trazer novidades e reoxigenar o ecossistema. “Startup é sangue novo, são jovens com coragem, pique, boas ideias e que não têm medo de correr risco. Os gestores das empresas tradicionais normalmente são mais tímidos para operações de risco, pois têm medo de perder o patrimônio construído. É por isso que esse movimento de se associar às startups é importante”, destaca.

De acordo com o presidente, o Vale da Eletrônica é formado por 153 indústrias, que em 2016 faturaram R$ 3,2 bilhões. Ele explica que o ano passado foi um período difícil para as empresas por causa da economia, mas garante que as expectativas para 2017 são melhores. A meta é crescer entre 15% e 20% em relação ao ano passado.

O número de startups existentes na cidade ainda não foi contabilizado, mas o gestor de comunidade do Hub de Startups do Vale da Eletrônica, Marcos David, acredita que existam pelo menos 50. De acordo com o Sindivel, Santa Rita do Sapucaí é o polo tecnológico de maior densidade da América Latina, com cerca de 40 empreendimentos de base tecnológica para cada 10 mil pessoas. Ao todo, a indústria no município emprega 14.300 pessoas, o que representa 29% do total de empregados na indústria da eletrônica em todo o Estado.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

23/03/2017
Kriativar entre as dez mais do mercado
A startup mineira Kriativar Educação e Tecnologia subiu ao ranking da Open Innovation Week, figurando entre as 10 startups mais atraentes do mercado, dentro do ranking 100 Open...
23/03/2017
Algoritmo ajuda combater Aedes aegypti
Startup reduz a milésimos de segundo o trabalho de horas de monitoramento de ovos por meio de ovitrampas
23/03/2017
Sebrae e CDL apoiam empresas que criam soluções para o varejo
Em um cenário de baixo crescimento econômico, que afeta em cheio o setor varejista, a adoção de ferramentas inovadoras de gestão é decisiva para a...
17/03/2017
Inscrições para o BMG Digital Lab são prorrogadas
O Banco BMG lançou, no mês passado, a primeira fase do programa BMG Digital Lab, voltado à contratação de soluções digitais para...
17/03/2017
BH na rota de aceleradora para microcervejarias
Bier Hub vai visitar 12 cidades, selecionar uma empresa em cada localidade e investir cerca de R$ 400 mil por projeto
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.