Publicidade
12/12/2017
Login
Entrar

DC Franquia

15/12/2016

Venda de precatórios ganha aliada

Franquia especializada em compra e venda de títulos federais amplia capilaridade
Daniela Maciel
Email
A-   A+
Rozzato: poucas pessoas sabem que podem antecipar o recebimento de precatórios/Divulgação
Receber uma dívida do governo, seja federal, estadual ou municipal, não é tarefa fácil. O pagamento dos chamados precatórios pode demorar décadas e uma boa parte chega a se transformar em objeto de herança. Uma possibilidade de reaver, pelo menos, parte do dinheiro em menos tempo é vender o título. A operação - legal - é realizada por fundos de investimento que compram o crédito normalmente por meio de escritórios especializados.

No mercado há mais de 15 anos, a Sociedade São Paulo de Investimentos, uma das maiores empresas especializadas em compra e venda de precatórios federais alimentares do País, abriu no início do ano o seu plano de expansão através do modelo de franchising. Batizada como Franquia de Precatórios, a rede já abriu 30 unidades.

O objetivo, até o fim do primeiro semestre, é chegar a 50 franquias no País, sendo cinco em Minas Gerais: três na Capital e região metropolitana, uma no Triângulo e outra na Zona da Mata. A primeira, recém-inaugurada, está na cidade de Manhuaçu, na Zona da Mata. A expectativa é de que em um ano a empresa já arrecade em aquisições de precatórios entre R$ 3 milhões e R$ 5 milhões por mês somente em Minas Gerais.

De acordo com o idealizador da Franquia de Precatórios, Marcos Rozzato, poucas pessoas sabem que podem antecipar o recebimento de precatórios de uma maneira legal e segura. Apenas cerca de 2% das pessoas que têm essa possibilidade realizam a operação. O deságio médio praticado pela Franquia de Precatórios fica entre 50% e 25% do valor de face do título. O calculo é feito levando-se em conta a possível data de resgate e o risco da operação.

“Atuamos apenas com títulos federais, que são dívidas com a União, com valor mínimo de 60 salários-mínimos. Existe um mercado enorme ainda a ser explorado. O que fazemos é oferecer ao franqueado a expertise para captar e negociar os precatórios. Com uma estrutura mínima - computador, acesso à internet e telefone - ele pode fazer isso de casa”, explica Rozzato.

Para ser franqueado, o candidato precisa passar por um processo seletivo. É imprescindível ter tino comercial aguçado e, preferencialmente, alguma vivência na área financeira ou contábil. O investimento total é estimado em R$ 6 mil. “Não temos uma barreira geográfica para a admissão de franqueados. Eles podem prospectar em todo o País, até por causa da demora no pagamento pelo governo, muitas pessoas nem moram mais na cidade de origem da dívida”, afirma o empresário.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

07/12/2017
Grupo traz para Minas G-Emotion
Máquina chinesa promete sensações extremas, de acordo com a aventura escolhida
07/12/2017
Contratos devem ter cláusula de arbitragem
O franchising é considerado um dos modelos de negócios mais seguro, capaz de acelerar a expansão de uma marca que conta com recursos de parceiros. Em troca ela oferece...
07/12/2017
Mercado no Estado cresce 10,9% no 3º trimestre
Segundo o mais recente balanço da Associação Brasileira de Franchising (ABF), o mercado de franquias em Minas Gerais faturou R$ 3,1 bilhões neste 3º trimestre, um...
15/11/2017
Rede Leve Pizza abre as portas em Leopoldina
Franquia vende pizza pré-assada
15/11/2017
Fiorella Gelato planeja mais duas lojas em BH
O calorão da primavera, que ultrapassa os 30 graus Celsius em Belo Horizonte, tem animado os donos da Fiorella Gelato, que completa um ano em novembro. Os amigos passaram um ano estudando o...
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.