Publicidade
23/01/2018
Login
Entrar

Agronegócio

12/09/2017

Vendas de carne para o mercado externo subiram 34% em agosto ante 2016

Faturamento cresceu 12,8% frente a julho
Reuters
Email
A-   A+
O resultado, em volume, foi o melhor desde outubro de 2013 e, em faturamento, desde dezembro de 2014/Afrig/Divulgação
São Paulo - As exportações brasileiras de carne bovina cresceram em agosto 13,4% ante julho e 34% na comparação com o mesmo mês do ano passado, para 145.822 toneladas, atingindo os maiores volumes em quase quatro anos, informou ontem a Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne (Abiec).

O faturamento com as vendas externas do Brasil, maior exportador global, superou US$ 607 milhões em agosto, alta de 12,8% ante o mês anterior - crescendo também 34 % ante agosto do ano passado -, na medida em que grandes importadores como a China têm elevado a demanda.

O resultado foi o melhor desempenho do setor desde outubro de 2013, em volume, e dezembro de 2014, em faturamento, ressaltou a Abiec.

“A Abiec continua focando seus esforços na abertura de novos mercados e ampliação da presença em parceiros estratégicos. E a China tem sido prioridade”, disse em nota a associação.

A Abiec informou que Hong Kong continuou sendo o principal importador da carne bovina brasileira, responsável pela compra de 34.540 toneladas em agosto (7,4% a mais do que foi comercializado em julho), seguido por Egito, que importou 23.070 toneladas (+27,8 %), e China, com 18.565 toneladas (+ 15,1 %).

Em agosto, a carne in natura se manteve como categoria mais exportada, gerando faturamento de mais de US$ 520 milhões, com embarque superior a 123 mil toneladas, de acordo com dados da Abiec.

Segundo outra entidade representativa de frigoríficos no País, a Abrafrigo, “o mercado externo está atravessando um momento muito favorável”, que está sendo aproveitado por quase todos os países exportadores, que têm aumentado suas vendas principalmente para o mercado chinês.

A Abrafrigo afirmou que, se a tendência se mantiver até o final do ano, o Brasil poderá superar um pouco a meta de crescer 10% em relação a 2016, ano de queda nas vendas, atingindo a comercialização de mais de 1,5 milhão de toneladas.

No acumulado de 2017, as vendas de carne bovina in natura e processada alcançaram 930.466 toneladas, praticamente o mesmo resultado visto no mesmo período do ano passado, disse a Abrafrigo, citando dados do governo. Já as receitas subiram 5%, somando US$ 3,77 bilhões ante US$ 3,58 bilhões em 2016.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

23/01/2018
Produção de grãos deve crescer 17,6% em Minas Gerais
Pesquisa da Seapa indica que incremento deve ser sustentável, com uso de tecnologias de ponta
23/01/2018
Curso técnico em Agronegócio, do Senar, será gratuito
O Serviço Nacional de Aprendizagem Rural está com inscrições abertas para o processo seletivo do curso Técnico em Agronegócio, na modalidade...
23/01/2018
Soja e milho ocupam a maior área plantada
A soja e o milho são os grãos mais produzidos e que ocupam a maior área plantada no Estado. Juntos representam mais de 88% da produção. A produção...
20/01/2018
VBP da agropecuária cai 9,59% em MG
Resultado de 2017 é atribuído à menor produção de café e à queda nos preços de commodities
20/01/2018
Anvisa define novas regras para rastreabilidade
Brasília - A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou nesta semana a Instrução Normativa Conjunta (INC), elaborada...
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.