20/08/2018
Login
Entrar

Internacional

03/02/2018

Xi e May fazem acordos de US$ 13,26 bi

Reuters
Email
A-   A+
Xangai, China - A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, partiu da China com acordos de mais de US$ 13,26 bilhões assinados ao final de uma missão comercial de três dias durante a qual o presidente chinês, Xi Jinping, prometeu expandir a “era de ouro” do relacionamento.

O Reino Unido está tentando se reinventar como nação comercial global desde o referendo de 2016 que decidiu pela saída do país da União Europeia, e a China, a segunda maior economia do mundo, está no topo da lista de países com os quais Londres quer assinar um acordo de livre comércio.

Falando durante uma cúpula de negócios em Xangai, a capital comercial da China, May disse que o Reino Unido está determinado a ajudar a concretizar a visão de globalização de Xi e uma economia chinesa mais aberta.

“Enquanto isso, o Reino Unido está se preparando para deixar a União Europeia. Estamos aproveitando a oportunidade para nos tornarmos um Reino Unido global ainda mais aberto para o exterior, aprofundando nossas relações comerciais com nações de todo o mundo - incluindo a China”, frisou.

O investimento chinês está ajudando o Reino Unido a desenvolver a infraestrutura e criar empregos, cerca de 50 mil empresas estão importando bens da China e mais de 10 mil estão vendendo seus produtos para o país asiático, acrescentou.

“Acertamos medidas para trazer mais dos alimentos e bebidas internacionalmente renomados do Reino Unido para a China, para abrir o mercado para alguns dos provedores de serviços financeiros de nível mundial do Reino Unido”, afirmou May.

Abertura de vagas - Os US$ 13,26 bilhões em acordos criarão mais de 2.500 empregos em todo o Reino Unido, divulgou o governo britânico.
As empresas britânicas de serviços financeiros sozinhas já garantiram acordos de mais de 1 bilhão de libras esterlinas e acesso a mercados que significarão 890 empregos, informou o governo, sem dar detalhes.

Pequim vê Londres como um aliado importante em seu apelo por mercados globais mais abertos, apesar dos temores generalizados na comunidade empresarial estrangeira com a dificuldade de se operar na China, e os dois países se referem a uma “era de ouro” nas relações.

Xi falou a May na capital chinesa na quinta-feira que as duas nações deveriam “dar um novo significado aos laços bilaterais de maneira a forjar uma versão aprimorada da ‘Era de Ouro’”, de acordo com a mídia estatal.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

18/08/2018
Crise argentina prejudica acerto de acordo entre blocos
Fragilidade de país vizinho vem desestabilizando negociações comerciais
18/08/2018
Pentágono diz que China treina para atacar os EUA
Washington - Os militares da China ampliaram suas operações de bombardeiros nos últimos anos, porque “provavelmente estão treinando para atacar” os Estados...
17/08/2018
China e EUA acertam rodada de negociações para o fim deste mês
Reunião pode significar progresso na solução de conflito
17/08/2018
Itália e UE trocam acusações por queda de ponte
Roma - A atribuição de culpa alheia pelo colapso fatal da ponte Morandi, na Itália, se intensificou ontem com autoridades italianas e da União Europeia (UE) buscando...
15/08/2018
EUA ameaça com novas sanções e Turquia promete retaliar
Pressão americana é para que turcos libertem pastor
› últimas notícias
Leia mais notícias ›
› Newsletter
O melhor conteúdo exclusivo e gratuito no seu e-mail:




Cadastrar
› Mais Lidas
Leia todas as notícias ›
Publicidade
› Assine o DC

Acesso completo

aos conteúdos online e versão impressa.
Único jornal especializado em Economia, Negócios e Gestão de Minas Gerais.
Ferramenta indispensável para fazer bons negócios.
› Edição Impressa


18 de agosto de 2018
Conteúdo exclusivo para assinantes
› DC no Facebook
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.