No Mr. Hoppy o cliente faz o pedido no caixa, paga, retira e escolhe onde sentar - Crédito: Divulgação

Simplificar a operação, criando cardápios enxutos e um atendimento rápido é a receita de empresários curitibanos que estão ocupando espaço em Belo Horizonte. Quem frequenta a Mr. Hoppy, especializada em hambúrgueres e cervejas artesanais; e a Little Joe Pizza Bar, especializada em pizzas e cervejas artesanais; faz o pedido no próprio caixa, efetua o pagamento – sem cobrança de gorjeta -, pega a refeição e as bebidas e escolhe onde sentar ao ar livre, nas praças e canteiros próximos, no modelo batizado como “pague e leve”. Para as apresentações musicais, quase diárias, também não é cobrado couvert artístico.

De acordo com o idealizador da Litle Joe e franqueado Mr Hoppy, Diogo Manfredini, tudo começou com um food truck que participava de festivais gastronômicos na capital do Paraná.

“O Mr. Hoppy nasceu nos festivais gastronômicos de rua, em uma velha Kombi adaptada, servindo chopes artesanais. Depois que abrimos a primeira loja física em Curitiba percebemos o potencial de franqueamento da marca. Eu tenho duas unidades franqueadas em Belo Horizonte (a marca tem como sócio franqueador um irmão) e a terceira será aberta por outro parceiro”, explica Manfredini.

A marca tem inauguração marcada da sua terceira unidade na Capital para outubro no bairro Prado, na região Oeste. Atualmente, são 33 casas em operação e, pelo menos, mais duas serão abertas até o fim do ano. A unidade franqueada exigiu investimento inicial de R$ 145 mil.

Já a Litle Joe está na sua primeira experiência. Inaugurada no início de agosto, na Praça Tiradentes, no bairro Funcionários (região Centro-Sul), é o piloto para um futuro plano de franquias previsto para o primeiro semestre de 2020, não sem antes ter uma unidade própria também em Curitiba.

“Belo Horizonte e Curitiba são consideradas praças testes e ter começado por elas é um cartão de visitas para o resto do País. Temos no DNA das marcas a descomplicação do atendimento e a valorização dos produtos e produtores locais. Implantamos as unidades onde exista logística para receber cervejas artesanais. Até nisso Curitiba e Belo Horizonte coincidem. Trabalhamos com fornecedores homologados, assim diminuímos custos de distribuição e facilitamos a chegada de insumos frescos às nossas unidades”, destaca o empresário.

O formato é de uma porção individual, estilo brotinho. Já os drinks clássicos ganham destaque e são servidos em versões a partir de R$ 8. O local de 150 metros quadrados está sendo transformado pelo empresário em um centro gastronômico, onde já funcionam um Porks e um Mr. Hoppy.

“Quando quis vir para a Praça Tiradentes, muita gente criticou, pois era um espaço degradado. Ajudamos a revitalizar a praça e nos integramos à comunidade e outros empreendimentos. Hoje é um novo polo e quanto mais restaurantes e bares a região abrigar, melhor. As pessoas hoje querem ocupar os espaços públicos, passear pelas praças e conviver. Então pensamos em um modelo que entrega produtos de qualidade de um jeito descomplicado e acessível em um tempo em que o dinheiro anda curto”, completa.