Crédito: Divulgação/AMM

Um levantamento feito pelo Instituto MDA, em parceria com a Associação Mineira de Municípios (AMM), pela primeira vez, de 23 a 27 de setembro de 2019, aponta aprovação de 54,5% dos pesquisados à gestão de Romeu Zema e equilíbrio entre aprovação (39,5%) e reprovação (33%) do governo do presidente Jair Bolsonaro. Os resultados foram apresentados ontem pelo presidente da AMM, 1º vice-presidente da CNM e prefeito de Moema, Julvan Lacerda, e do diretor-executivo da MDA, Marcelo Souza, na sede da associação.

Na pesquisa, foram avaliadas questões importantes, como: opinião das pessoas sobre a privatização da Cemig e da Copasa; as expectativas para os próximos seis meses de governo – nas áreas de saúde, educação, infraestrutura, segurança e emprego –; grau de preocupação com rompimento de barragens; preservação do meio ambiente; além de questões polêmicas que estão na pauta da imprensa mineira.

O presidente da AMM, 1º vice-presidente da CNM e prefeito de Moema, Julvan Lacerda, reforça os resultados da pesquisa que apontam aprovação do governo estadual. “Este governo está sendo uma novidade e a aprovação não é difícil, porque pegar o Estado do jeito que pegou, qualquer equilibrada é bem avaliada. Eu vejo essa aprovação pela forma séria que este governo tenta cumprir o que trata; praticar o que fala”, avaliou o presidente da AMM.

Para compor a pesquisa, a equipe do instituto entrevistou 1.500 pessoas de 227 municípios mineiros, por telefone. Os controles da amostragem envolvem as variáveis de gênero, idade e renda familiar. A margem de erro é de 2,9 pontos percentuais com 95% de confiança.

O diretor-executivo da MDA, Marcelo Souza, reforça que a pesquisa é fundamentada no acervo do Instituto, o que reforça a qualidade do conteúdo apresentado. “Esta pesquisa teve todo o controle por região de planejamento, porte dos municípios, questões socioeconômicas, para a gente conseguir uma amostragem que represente as diversidades que representam Minas Gerais e refletir de forma fiel o pensamento do povo mineiro”, declarou Marcelo.

A base de dados é exclusiva do Instituto MDA Pesquisa, “formada por pessoas que já foram entrevistadas por nossos pesquisadores em projetos do tipo face a face nos últimos anos em diversas cidades de Minas Gerais. Desta forma, há conhecimento prévio de sua localização geográfica e perfil amostral, possibilitando o alcance de amostra representativa da população”. (Da Redação)