Objetivo da companhia é expandir o mercado e se tornar um distribuidor significativo em MG, Goiás, DF, MT e SP - Crédito: Divulgação

A petroleira francesa Total chega ao Brasil com a inauguração da primeira estação de serviços em Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Após a aquisição da empresa de distribuição de combustíveis Zema Petróleo, seu Transportador, Revendedor, Retalhista (TRR) Zema Diesel e a empresa Zema Importação pelo grupo Total, o posto Beija Flor foi inaugurado ontem na BR-262 e deu início à troca de bandeira, que vai acontecer em mais 280 postos em Minas e outros estados e está prevista para ser concluída até 2021.

Minas Gerais é a principal rede da Total Brasil Distribuidora, possuindo 150 postos do total adquirido e o maior volume de vendas, e as próximas cidades mineiras com inaugurações previstas são Araxá e Uberlândia. Presente em mais de 100 países com distribuição de combustíveis, o grupo terá quase 250 funcionários no País e tem como meta para os próximos cinco anos duplicar as vendas, que, ainda sob a marca Zema, foram de 840 mil metros cúbicos de combustível em 2018.

Para colocar em prática o plano de crescimento de vendas, além da contratação de novos clientes e novos revendedores, o grupo conta com a divulgação da bandeira no País e pretende atuar na fatia de aproximadamente 45% do mercado chamado de bandeira branca com preços competitivos de acordo com o serviço, atendimento e produto disponíveis.

O CEO da Total Brasil Distribuidora, Antoine Tournand, reforçou o objetivo da companhia de expandir o mercado e se tornar um distribuidor significativo em Minas, Goiás, Distrito Federal, Mato Grosso e São Paulo. Ele ressaltou que o planejamento é trazer a experiência do grupo e manter o relacionamento, que foi a característica das operações conduzidas até o momento.

“Temos a ambição de desenvolver o nosso negócio e, para fazer isso, vamos implementar nossa estratégia de marketing com promessas de segurança, de responsabilidade, de proximidade, de limpeza e de simplicidade no negócio para nossos clientes revendedores e finais”, afirma.

Investimento em logística – Ainda sem previsão de aquisição de outras redes de combustíveis no País, Tournand destacou que a companhia pretende crescer não só no número de postos, mas também com investimentos em bases logísticas para melhorar o transporte e aumentar a segurança.

“Estamos atentos a tudo que está acontecendo no Brasil e a nossa perspectiva é de crescer e duplicar as vendas na base em que estamos até agora. Queremos desenvolver a rede que temos, além de fazer novos negócios e trabalhar com outros revendedores”, explicou.

Representando cerca de 1% de um mercado competitivo, a estratégia do grupo em Minas e no Brasil, segundo o CEO da Total Brasil Distribuidora, é implementar os serviços em todos os locais possíveis, disponibilizando combustível aditivado, lubrificantes e propondo o conceito de loja de conveniência. Para o cliente final, a estratégia de marketing para os próximos dois anos passa pelo desenvolvimento de uma conexão via aplicativo que vai incentivar a fidelidade e o contato direto.

“Estamos em um mercado muito difícil, com muitos distribuidores que competem uns com os outros, e pretendemos trabalhar com uma competição aberta e leal. Estamos em uma parte muito competitiva dos 150 distribuidores do Brasil e nosso objetivo é ser um dos distribuidores significativos no País”, concluiu.

Refino de petróleo cai 4,5%

São Paulo – O refino de petróleo no Brasil somou 54,9 milhões de barris em julho, queda de 4,5% ante o mesmo período do ano passado, mas a atividade concentrada na Petrobras no País apresentou recuperação ante junho, de acordo com dados divulgados ontem pela reguladora ANP.

Em junho, o processamento de petróleo havia atingido 51,4 milhões de barris, queda de 6,1% ante o mesmo mês de 2018, conforme a Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis.

O refino no Brasil, que vinha crescendo no acumulado do ano até maio, fechou o semestre com queda de 0,1%. No acumulado de janeiro a julho, apresenta recuo de 0,8%, para 366,9 milhões de barris, retomando a tendência dos últimos anos.

O último aumento anual no refino de petróleo no Brasil foi registrado em 2014, segundo dados da ANP, em meio a uma fraqueza no consumo nos últimos anos.

Recentemente, a Petrobras informou manutenção de 36 dias na importante refinaria de Paulínia (SP), mas a empresa disse que o mercado será atendido por outras unidades.

Vendas e importação – De acordo com os dados mais atualizados da ANP, as vendas totais de combustíveis no Brasil subiram 3,2% no primeiro semestre, na esteira de maior comercialização de diesel, com alta de 3,6%.

Já a gasolina, outro importante combustível refinado, registrou queda de 6,4% nas vendas nos postos no primeiro semestre, enquanto o combustível concorrente, o etanol hidratado, teve avanço de 33%, já que está mais competitivo em várias regiões.

De outro lado, tanto as importações de diesel como as de gasolina pelo Brasil registraram queda no primeiro semestre, de 15% e 18,2%, respectivamente. (Reuters)