Crédito: Paulo Whitaker/Reuters

São Paulo – A produção de soja do Brasil deve avançar 5,4% na temporada 2019/20 em comparação anual e atingir recorde de 125,75 milhões de toneladas, estimou ontem a consultoria Safras & Mercado, elevando sua projeção para a colheita da oleaginosa neste ano-safra.

A Safras, que em sua previsão anterior estimava uma produção de 123,80 milhões de toneladas, também elevou sua perspectiva para a área de cultivo em 2019/20 para 36,94 milhões de hectares, alta de 1,5% ante a semeadura da temporada anterior.

A produtividade da cultura também deve subir, atingindo 3.421 kg por hectare e ficando acima da média obtida em 2018/19, acrescentou a Safras.

A consultoria citou uma “mudança no contexto fundamental do mercado” nos últimos dois meses, com uma elevação nos preços e na rentabilidade do produtor, como estímulo para o maior crescimento da área destinada à soja.

“Embora algumas incertezas permaneçam, os produtores se sentem um pouco mais seguros neste momento diante dos melhores preços registrados”, disse em nota Luiz Fernando Roque, analista da Safras.

Ainda segundo a Safras, a área de soja deverá crescer em praticamente todos os estados produtores. A consultoria também destacou uma provável recuperação das produtividades no Paraná e em Mato Grosso do Sul, afetados por seca em 2018/19.

“Se o clima permitir, o Brasil deve colher safra recorde, consolidando o País como o maior produtor do mundo de soja”, concluiu a consultoria.

Na temporada atual, os Estados Unidos terão uma redução na produção de soja, após enchentes afetarem o plantio do país.

Paraná – O plantio de soja no Paraná, que está entre os três maiores produtores do Brasil, avançou para 10% da área na safra 2019/20, contra 3% registrado na semana passada, apontou o Departamento de Economia Rural (Deral), do governo do Estado.

Na mesma época do ano passado, o Paraná havia plantado 29% da área projetada, quando o Estado teve o início mais acelerado da história, beneficiado especialmente por chuvas favoráveis. (Reuters)