Ângelo Gabriel e Lucas Zacharias: 70% dos rótulos oferecidos são de marcas mineiras - Crédito: Victor Schwaner

Conhecido por ser um bar com extensa carta de cervejas, o Protótipo, localizado no bairro Santa Tereza (rua Professor Galba Veloso, 206), região Leste de Belo Horizonte, acaba de chegar ao terceiro ano de mercado repleto de novidades. A casa, administrada pelos sommeliers Lucas Zacharias e Ângelo Gabriel, ganhou nova decoração e teve seu espaço físico ampliado: Em 2016, o local, que nasceu como um pequeno empório, tinha apenas quatro mesas dispostas em um pequeno cômodo. Hoje, a estrutura comporta até 40 mesas, em uma área de aproximadamente 500m², apta para receber 200 pessoas. A cozinha também está maior. Passou dos 20m² para 60m².

Novidades também nos equipamentos. O estabelecimento, que, ao ser inaugurado, contava somente com três bicos de chope, agora conta com 18 bicos, além de uma câmara fria que proporciona uma capacidade de adega de 1.400 garrafas geladas, o que permite ao público experimentar maior variedade de chopes e mais de 100 rótulos de cerveja em garrafa disponíveis na casa.

“As cervejas são provenientes de vários estados do Brasil e de países com expertise na produção [de cervejas especiais], como Alemanha, Bélgica, Estados Unidos e Inglaterra”, afirma Zacharias, acrescentando que 70% dos rótulos são de marcas mineiras.

“Um dos nossos objetivos é fomentar o mercado local, valorizando os produtores de excelente qualidade espalhados por todo o estado”, ressalta.

Junto às cervejas de alto valor agregado, o Protótipo oferece ao público uma equipe de sommeliers (além de Lucas Zacharias e do seu sócio Ângelo Gabriel, a colaboradora Ingrid Souza é sommelière), que estudam a composição dos rótulos para proporcionar o maior leque possível de experiências ao cliente.

Reformulação – Além de passar por uma grande reformulação física, o Protótipo está com 80% do cardápio reformulado. Apenas os campeões de venda foram mantidos. De acordo com Zacharias, a inspiração para o novo menu, cujo conceito foi elaborado por ele em conjunto com o chef Otávio Ribeiro [que está na casa desde sua abertura], remete às culinárias americana e inglesa, adaptadas aos modos de preparo dos mineiros.

“Essa mesclagem é possível perceber, por exemplo, no fish and chips, um dos nossos pratos mais queridos pelo público. Aqui ele se chama “batata peixe” e, apesar de ser um clássico dos pubs ingleses, na nossa versão, usamos tirinhas de tilápia empanadas no fubá, o que remete a uma cozinha mais local”, explica.

Na seção “Pra Chegar”, que agrupa as porções rápidas, para quem chega ao bar e quer petiscar antes de ir para os pratos mais generosos, Zacharias destaca a porção de bolinhos de bacalhau crocantes (R$ 34).

“Apesar de ser um petisco muito comum, o nosso se diferencia pela crocância devido ao uso da farinha panko e de um bacalhau genuíno. Outro destaque dessa seção é o Guaca de Salmão, guacamole com salmão defumado e nachos, que pode ser consumido por R$ 32.

Entre as porções “Só Procê”, que agrega pratos individuais de 200g a 400g, a casa está com um ceviche de tilápia com cream cheese e nachos (R$ 25). Há ainda o croquete de fraldinha com recheio de provolone e molho de mostarda preta (R$ 21) e o falafel, bolinho de grão de bico frito, típico da culinária israelense, recheado com shimeji no teriaki. O prato, que conforme Zacharias é uma ótima pedida para veganos, custa R$ 29.

Já no menu “Da Galera”, com pratos para dividir, uma iguaria que promete chamar atenção dos frequentadores da casa é o pastel de lagarto. Trata-se de uma porção com sete pasteis de ragu de lagarto na cerveja Stout com requeijão de raspa.

“Além do sabor mais complexo, essa porção é acompanhada de geleia de pimenta, o que é uma novidade, tendo em vista que não estamos acostumados a comer pastel com molho”, enfatiza o empresário. A porção é comercializada por R$ 38.

Outra estrela dessa seção é o Pé na Jaca (R$ 79), que leva 400g de bife de chorizo em tiras, linguiça caseira e queijo coalho. Acompanha farofa crocante de manjericão e molho chimichurri.

Novos hambúrgueres também não poderiam ficar de fora do menu. Um deles, em especial, tem um nome curioso. O João e o burgão de Feijão (R$ 32), que remete à clássica história da literatura inglesa “João e o Pé de Feijão” é feito, além do pão de sal, com blend de feijão preto, tofu defumado e geleia de cebola rocha.

“Ele é muito saboroso e também ideal para os veganos, um público cada vez mais presente na casa”.

Mas o que, segundo Zacharias, já está fazendo sucesso é o “Puro Bacon” (R$ 34), inspirado nos hambúrgueres clássicos americanos. De acordo com Zacharias, ele é montado com carne bovina, doses generosas de bacon, queijo cheddar, cebola caramelizada levemente apimentada e tomate seco.

Por fim, na seção “Pra Adoçar”, o destaque fica por conta do pudim de cerveja (R$ 14), feito com cerveja Stout e servido na caneca; e da torta no pote, que leva Nutella com leite ninho (R$ 12).

Drinks – A carta de drinks também passou por um upgrade. Os novos são exclusivos [criados pela casa] ou repaginados.

“Para repaginá-los, pegamos os drinks clássicos e fizemos pequenas alterações”, ressalta o empresário. (Da Redação)