De maneira geral, o presidente da Abras, João Sanzovo Neto, destacou que, com o faturamento de R$ 355,7 bilhões em 2018, o setor supermercadista brasileiro registrou crescimento nominal de 0,7% no encerramento do exercício na comparação com 2017.

Os supermercados brasileiros totalizaram ainda 89,6 mil lojas e 1,8 milhão de funcionários diretos, dos quais 30,7 mil foram gerados no decorrer do ano passado em todo o País.

“A retomada do consumo não aconteceu como prevíamos em 2018. Começamos o ano com uma expectativa de avanço no faturamento de 3%, que não ocorreu, em função de alguns fatores como a greve dos caminhoneiros, as incertezas políticas das eleições e os níveis de desemprego ainda elevados”, justificou o presidente da Abras aos jornalistas.

Sobre as expectativas para o atual exercício, Sanzovo Neto falou que está mantida a previsão de um crescimento real de 3%. O otimismo se deve à aposta na aprovação das reformas estruturais e na recuperação dos níveis de emprego e renda no País.

“Nosso negócio só cresce com aumento de renda e o aumento da renda só ocorre com aumento do emprego, que será recuperado com a volta do otimismo dos empresários. Tudo isso depende do avanço das reformas”, detalhou.

Convenção – De 19 a 21 de março, líderes supermercadistas de todo o Brasil estarão reunidos na 53ª edição da Convenção Abras, no Riocentro, Rio de Janeiro.

Com o tema “O consumidor transformando o varejo”, o evento traz este ano uma programação com palestras e painéis para debater os novos perfis de shoppers, desafios e oportunidades do mercado consumidor, inovações tecnológicas no setor, revolução feminina, estratégias de expansão, entre outros tópicos.

Durante três dias, empresários de diversas regiões do País contarão, também, com a AbrasTech – Exposição e Feira de Tecnologia, que levará grandes empresas do setor para apresentar as principais tendências do varejo de alimentos. (MB)