Rotativo do cartão de crédito apresentou alta de 4,1 pontos percentuais na comparação com o mês anterior, segundo o BC - Foto: Marcos Santos/USP Imagens

Os moradores da Capital ainda não estão conseguindo sair da inadimplência e voltar para o mercado de crédito. De acordo com o Indicador de Recuperação de Crédito medido pela Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH), na variação acumulada dos últimos 12 meses (abril de 2018 a março de 2019 – abril de 2017 a março de 2018), foi registrada uma queda de 1,82% no número de inadimplentes que conseguiram regularizar suas pendências financeiras e sair do cadastro de devedores.

Este indicador vem apresentado decréscimo desde setembro de 2017, mas a partir do mesmo mês de 2018 a intensidade desta queda começou a desacelerar.

Essa redução é justificada pela lenta retomada da economia, que ainda não foi suficiente para aumentar significativamente o nível de emprego e com isso aumentar a renda em circulação.

Para o presidente da CDL/BH, Marcelo de Souza e Silva, a retomada da economia em um ritmo menor do que o esperado afeta a capacidade de recuperação de crédito.

Na avaliação de Silva, a aprovação de reformas estruturais, como a da Previdência, devem resultar em uma melhora do cenário.

Em relação ao Indicador de Recuperação de Dívida, nos últimos 12 meses foi registrada redução de 8,34% no volume de dívidas que foram quitadas.