Recursos serão aplicados em diversos projetos no município da região Central do Estado - Crédito: Andre Minatowicz

A Prefeitura de Mariana, na região Central do Estado, e a Fundação Renova, entidade responsável pela reparação dos danos causados pelo rompimento da barragem de Fundão em 2015, anunciaram ontem um pacote de R$ 100 milhões em investimentos no município.

“As ações representam um avanço nas ações da Fundação Renova no município, com iniciativas que transcendem o escopo reparatório, beneficiando diretamente a população. Os focos são a diversificação econômica, infraestrutura e desenvolvimento sustentável”, afirmou a fundação, em nota.

O anúncio aconteceu durante a solenidade do Dia de Minas Gerais, em Mariana, quando a capital do Estado é transferida em caráter simbólico para a cidade. O governador Romeu Zema, e o prefeito de Mariana, Duarte Junior, participaram do evento.

Entre as ações previstas estão aportes para incentivar o turismo, uma das principais cadeias produtivas locais, com enorme potencial para geração de renda, reativação e fortalecimento da cooperativa de laticínios.

“A cooperativa será importante para reestabelecer a cadeia produtiva do leite, beneficiando pequenos produtores rurais. A previsão é que as obras comecem em outubro”, informa a entidade.

Os recursos serão utilizados também para a implementação da Casa do Empreendedor na cidade. Além disso, de acordo com a fundação, será feita a aquisição da infraestrutura necessária e assessoria técnica para elaborar o georreferenciamento e o Plano Diretor de Mariana, que também se insere em um projeto mais amplo de crescimento ordenado e sustentável para a cidade;

Outros projetos previstos são: Revitalização da praça Gomes Freire, também conhecida como a Praça do Jardim, referência no setor de serviços e ponto de encontro e congraçamento dos marianenses e de quem circula pela cidade;

Construção do Aterro Sanitário de Mariana, cujas obras já estão em andamento, com previsão de entrega em 18 meses. Junto com a construção do aterro vem a criação de um fundo para que a Prefeitura possa fazer o gerenciamento necessário das operações durante cinco anos;

Reforma e ampliação do Centro de Atenção Psicossocial Infantojuvenil (CAPSij). A previsão é que seja entregue no primeiro semestre de 2020.

“Além dessas ações, a Fundação Renova e a prefeitura também pretendem avançar em outros dois pontos: iniciar os estudos para viabilizar o Distrito Industrial de Mariana, peça importante na pauta da diversificação econômica, e o loteamento Cristo Rei, que permitirá à prefeitura ampliar novos programas de moradia popular”, informa a Fundação Renova.

Segundo a entidade, essas iniciativas adicionais serão realizadas sem alterar as ações já compromissadas e em andamento no município. Somente no campo da infraestrutura, como o reassentamento e as demais obras, estão previstos valores da ordem de R$ 600 milhões. (Da Redação)