Reconhecida em Minas Gerais por seus empreendimentos de alto padrão, a RKM Engenharia aposta também em bem-estar como potencial competitivo. A empresa entregou, este ano, o primeiro empreendimento da América Latina com o Selo Casa Saudável, que certifica as condições de saúde dos ambientes.

Localizado em Nova Lima, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), o Residencial Kadosh, que demandou aporte de R$ 80 milhões, deve gerar um Valor Geral de Vendas (VGV) de R$ 150 milhões.

A diretora da RKM, Adriana Bordalo, afirma que a empresa sempre buscou diferenciais para o cliente de alto padrão. Ela lembra que a construtora já trabalhava com a ideia de bem-estar com propostas distintas, como um quintal com fogão à lenha e árvores frutíferas. Mas, esse conceito ganhou ainda mais força quando ela descobriu o Selo Casa Saudável, que vai além do design e pensa na estrutura do empreendimento.

“O Kadosh foi construído a partir dessa percepção de edifício saudável, então há muitos detalhes que fazem a diferença, como o projeto da parte elétrica. No quarto casal é comum que a fiação passe por cima da cabeceira para que sejam instalados dois interruptores em cada lado da cama. Mas ter essa carga elétrica ‘sobre a cabeça’ a noite inteira pode atrapalhar o sono. No nosso empreendimento a fiação fica na lateral”, diz.

Outro exemplo é a tubulação. O projeto foi pensado de tal forma que um vizinho não precisa ouvir a descarga do outro, como acontece em muitos prédios. “Também há um cuidado especial com a garagem. Ela não é escura e abafada, mas iluminada e ventilada. O projeto tem, inclusive, bastante vidro que permite a visão para uma mata na região. Isso faz toda a diferença porque a garagem é o primeiro lugar da casa e o morador já se sente acolhido logo na entrada”, frisa.

O Residencial Kadosh tem 86 apartamentos distribuídos em 21 andares. Há unidades de dois, três e quatro quartos, sendo todas de 163 metros quadrados. O custo médio de um apartamento é R$ 1,7 milhão. O empreendimento foi entregue no primeiro semestre deste ano e ainda tem algumas unidades à venda.

Segundo Adriana Bordalo, a adoção do selo não impacta de maneira significativa no custo de obra, podendo ficar abaixo de 1% do VGV. Esse valor não é repassado para o preço final dos imóveis, pois a empresa entende que se trata de um investimento institucional e que, portanto, fortalece a marca. A meta da RKM é continuar trabalhando com o selo nos próximos empreendimentos.

Sistema baseia-se em rigorosas avaliações, que envolvem iluminação, acústica, elétrica, materiais utilizados, dentre outros | Crédito: Kadosh

Selo – O Selo Casa Saudável é coordenado pelo Healthy Building World Institute (Instituto Mundial de Construção Saudável) e é a primeira certificação no mundo a considerar aspectos relacionados à saúde e ao bem-estar dos moradores. O sistema, desenvolvido em 2014, baseia-se em rigorosas avaliações, que envolvem iluminação, acústica, elétrica, qualidade do ar e da água, materiais utilizados, desenho arquitetônico, paisagismo, dentre outros.

Segundo o fundador da certificadora Selo Casa Saudável, Allan Lopes, a preocupação com a saudabilidade dos ambientes é uma tendência no mundo. “A construção civil está entrando no mundo da saúde e bem-estar e, cada vez mais empresas pensam nessa estratégia para endomarketing, ou seja, para garantir a satisfação de seus funcionários”, diz.

Cuidados com o meio ambiente são adotados pelas construtoras | Crédito: Divulgação

Cuidados com o meio ambiente são adotados pelas construtoras

A sustentabilidade tem chamado a atenção dos consumidores que estão cada dia mais conscientes a respeito da importância do tema, até mesmo na hora de escolher onde morar. Essa preocupação acaba representando também economia nas despesas mensais, como contas de luz e água. Por isso, crescem o número de condomínios que abraçam esse conceito. As perspectivas são de que esses projetos se tornem uma tendência, com o aparecimento de novos empreendimentos ecologicamente corretos.

Em Belo Horizonte, um exemplo de empreendimento que adota ações sustentáveis é o Grand Resort Jaraguá, localizado na rua Boaventura, 2.085, no bairro Jaraguá. A experiência já começa na primeira visita do cliente ao estande de vendas do empreendimento: as pessoas podem dar um passeio de bicicleta para conhecer o terreno onde será erguido o condomínio.

Construído pela Novolar, empresa do Grupo Patrimar, o condomínio integra diversas medidas para o uso responsável de recursos. Como por exemplo, um sistema de reaproveitamento de águas pluviais para irrigação e lavagem das áreas comuns. As instalações sanitárias das áreas comuns contam com sistema dual flux, que se baseia no procedimento de duplo acionamento de descarga para caixa acoplada dos sanitários, com potencial de até 60% de economia de água.

Outra solução sustentável utilizada no empreendimento é a estação de recarga para carros híbridos. Bicicletário e bicicletas compartilhadas também fazem parte do condomínio, incentivando a utilização consciente desse meio de transporte, que colabora também para amenizar o congestionamento e a poluição, reduzindo o número de carros nas ruas da Capital.

O ponto alto do empreendimento é a área verde do espaço, um bosque que compõe quase 3 mil metros quadrados. O espaço proporciona qualidade de vida em um local mais humanizado e que valoriza a vegetação. “É um privilégio para quem quer ter contato com a natureza e vivenciar bons momentos em família”, afirma o diretor Comercial e de Marketing do Grupo Patrimar, Lucas Couto.

Além disso, ao lado do empreendimento será entregue pela construtora uma praça pública cercada com 2.744,50m², de acordo com a Fundação de Parques Municipais. A praça conta com um grande brinquedo educativo, pista de caminhada, bebedouro, bancos, mesa de jogos, lixeira e iluminação.

O uso de placas fotovoltaicas para captação de energia solar também faz parte do projeto. Essa tecnologia equilibra a demanda crescente por energia com o uso racional dos recursos naturais. O intuito é suprir o consumo de energia das áreas comuns do condomínio. Outros pontos sustentáveis do condomínio são as torneiras com temporizador para controle do consumo de água, lâmpadas de LED, sensores de presença nos halls de escada e nas garagens e lixeiras para coleta seletiva.

Os apartamentos da Novolar possuem ainda medição individualizada, para estimular o consumo consciente dos moradores. “Estamos oferecendo um novo modelo de moradia com grande foco em sustentabilidade, conceito definido em todos os empreendimentos que levam nossa marca”, avalia Couto.

Máximo aproveitamento dos recursos naturais como racionalização do uso da energia, utilização de tecnologias que permitam economia de água, redução do impacto ambiental do empreendimento durante a obra e no período de operação são atitudes que a construtora sempre adota.

“A sustentabilidade é um valor que é defendido e praticado pelo Grupo Patrimar. Aplicando recursos sustentáveis, é possível garantir obras com baixa produção de resíduos, produtividade superior e alto controle de qualidade, além de gerar economia para o cliente”, destaca o diretor. (Da Redação)