A Associação Brasileira do Alumínio (Abal) e a Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii) celebram, nesta quinta-feira (21), uma aliança estratégica setorial. O objetivo do acordo é criar um ambiente de pesquisa específico para a cadeia produtiva do alumínio, estimulando projetos de PD&I entre as 32 associadas da Abal e os conceituados Centros de Pesquisa – Unidades Embrapii (UEs) e desenvolvendo competências tecnológicas a fim de aprofundar pesquisas nas UEs sobre temas voltados ao alumínio.

“Tenho certeza de que a aliança estratégica que celebramos terá enorme sucesso. O investimento em tecnologia e inovação é um dos pilares do plano de desenvolvimento da indústria do alumínio para os próximos anos. Trata-se de uma iniciativa que trará competitividade ao nosso setor”, diz o presidente-executivo da Abal, Milton Rego. A Embrapii é uma organização social do poder público federal que trabalha pelo incremento da inovação na indústria, por meio de financiamento conjunto de projetos de PD&I.

A assinatura da aliança estratégica acontece na sede da Abal, em São Paulo, com a presença do Conselho Diretor da entidade e da presidência e diretoria de Planejamento e Gestão da Embrapii. A primeira iniciativa oriunda do acordo já está definida: o Conexão Alumínio, evento agendado para o início de abril, quando a Abal receberá pesquisadores das Unidades Embrapii para apresentar o seu plano estratégico de fortalecimento do setor. Depois, os pesquisadores irão conhecer as plantas industriais de três associadas da Abal, a CBA, a Novelis e a Prolind, e discutir com elas projetos de PD&I.