REUTERS/Hannah McKay

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) publicou na sexta-feira (12), no Diário Oficial da União, a Portaria nº 1.124, de 10 de abril de 2019, reabrindo o Aeroporto Regional do Vale do Aço.

Assim, a pista volta a ficar liberada para operações de pousos e decolagens, após a conclusão das obras de reparo realizadas pelo governo estadual, por meio da Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas (Setop) e do Departamento de Edificações e Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DEER/MG).

“Agora, com a liberação da Anac, cabe às companhias aéreas planejarem a volta da operação dos voos comerciais no aeroporto”, informou o governo, em nota.

Recentemente, na ocasião que as obras de reparo foram concluídas, a Azul Linhas Aéreas, que operava voos diários no terminal do Vale do Aço, estimou que a retomada das operações deve ocorrer em maio. Já o Voe Minas – programa da Companhia de Desenvolvimento de Minas Gerais (Codemge) – atuava com voos três vezes por semana, fazendo a rota BH/Ipatinga/Valadares e Valadares/Ipatinga/BH.

O imbróglio em função das condições do aeroporto foi iniciado em fevereiro, quando a Azul linhas aéreas anunciou que iria interromper suas atividades no aeroporto de Ipatinga devido a problemas na pista. Em 19 de fevereiro, o aeródromo foi interditado pela Anac, que informou não ter como garantir se a estrutura oferecia segurança para receber voos.

Com isto o governo iniciou o plano emergencial para retomar as operações. As obras, orçadas em R$ 327 mil, entregues recentemente, são paliativas. Segundo o governo, as intervenções foram finalizadas antes do prazo previsto.

Os reparos foram iniciados em 19 de março e tinha 30 dias para a conclusão, mas já entregou as obras que incluem fresagem de segmentos da pista; substituição do material de base e reposição da capa asfáltica. Em trechos mais críticos, foram realizadas recomposição da base, da sub-base e reforço da estrutura.

Novos aportes – Já as intervenções definitivas no terminal devem ser realizadas pelo governo federal e custarão cerca de R$ 12,5 milhões. Os recursos virão do Fundo Nacional de Aviação Civil (FNAC).

O Aeroporto de Ipatinga está sob responsabilidade do Estado, mas é administrado pela empresa Socicam. Localizado em Santana do Paraíso, próximo a Ipatinga, o aeroporto foi projetado pela Usiminas, que administrou a estrutura até 2016. Depois disso, o aeródromo foi entregue ao Estado.

A Socicam informa que opera a estrutura por meio de contrato de prestação de serviço que não contempla a manutenção da pista de voo, procedimento que cabe à Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas (Setop).