Música

Clássica – A Filarmônica de Minas Gerais celebra o centenário do brasileiro Claudio Santoro com a obra Brasiliana e os 150 anos de Albert Roussel, com a estória de Baco e Ariadne, op. 43: Suíte nº 2. O violoncelista basco Asier Polo (foto) volta a tocar com a orquestra para interpretar o Concerto para violoncelo em si menor, op. 104, de Dvorák. A regência é do maestro Fabio Mechetti.

Quando: 14 e 15 de março (20h30)
Quanto: R$ 46 (Coro) R$ 52 (Balcão Palco) R$ 52 (Mezanino), R$ 70 (Balcão Lateral), R$ 96 (Plateia Central) e R$ 120 (Balcão Principal) R$ 140 (Camarote par). Meia-entrada para estudantes, maiores de 60 anos, jovens de baixa renda e pessoas com deficiência, de acordo com a legislação.
Onde: Sala Minas Gerais (rua Tenente Brito Melo, 1.090, Barro Preto)

Cinema

Comédias – A mostra “Comédias Anárquicas” reúne 32 longas-metragens que exploram o subgênero da comédia, cujo representante mais famoso é o grupo de comédia britânico Monty Pyton. A seleção inclui produções de grandes diretores como Carlos Manga, Martin Scorsese, Stanley Kubrick, Spike Lee, Jean-Luc Godard, Luis Buñuel e Woody Allen, com “O Dorminhoco”, de 1973.

Quando: até 27 de março
Quanto: entrada gratuita
Onde: Cine Humberto Mauro – Palácio das Artes (avenida Afonso Pena, 1.537)

Mulheres – Neste mês, a Fundação Municipal de Cultura exibirá 20 filmes feitos por mulheres e que trazem temas relativos às pautas feministas. A programação inclui o filme da diretora belo-horizontina Amanda Vitória, “Aborta o Machismo: em resistência pela subjetividade” e a história do ícone da música e também do feminismo brasileiro, Elza Soares, que será exibida em produção da também mineira Elizabete Campos, no filme “My Name is Now”.

Quando: até 31 de março
Quanto: entrada gratuita
Onde: MIS Cine Santa Tereza (rua Estrela do Sul, 89, Praça Duque de Caxias, Santa Tereza)
Artes plásticas

Ai Weiwei – Com a exposição “Ai Weiwei – Raiz”, premiada como a melhor mostra internacional de 2018, o artista plástico chinês Ai Weiwei tem a sua obra exposta pela primeira vez no Brasil. Ai Weiwei se destaca pelo interesse que demonstra pelas questões sociais e humanas, como a crise mundial de imigração.

Quando: até 15 de abril (quarta a segunda-feira, 10h às 22h)
Quanto: entrada franca
Onde: Centro Cultural Banco do Brasil (Praça da Liberdade, 450, Funcionários, entrada pela rua Cláudio Manoel)