Na Fórmula, os pedidos via aplicativo chegam à casa dos 60% - Divulgação

Ter um site para a maioria das empresas do setor alimentar nos dias de hoje é uma necessidade. As pessoas usam seus smartphones para tudo. Especialmente apps para realizar pedidos de alimentos on-line, que tornaram-se cada vez mais importantes.

Pesquisa realizada pelo Instituto Ipos, em maio, revelou que 42% das solicitações de entrega de comida no País são feitas através de plataformas digitais. 57% dos entrevistados já pediram refeições em casa pelo menos uma vez na vida. Entre os consumidores de delivery, 68% utilizam o serviço pelo menos uma vez por mês. A capital paulista possui o maior percentual deste público, com 75% de participação, seguido por Belo Horizonte (70%), Rio de Janeiro (68%), Porto Alegre (66%), Brasília (61%) e Curitiba (60%). Ainda entre os clientes, 51% pedem ao menos uma entrega por semana e 21% informam que solicitam de duas a três vezes por semana.

Levantamento feito pelo Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) no início do ano reforça a preferência dos consumidores por locais que ofereçam entrega em domicílio. Metade dos restaurantes e lanchonetes atendidos pela instituição em todo o País oferece o serviço, sem terceirização, para dar mais comodidade ao cliente. Ainda segundo a pesquisa, 12% não possuem loja física, trabalhando exclusivamente por meio de entregas, sem portas abertas para a rua.

Praticidade – Para o diretor-executivo da Fórmula Pizzaria, rede de franquias especializada no mercado tradicional de pizzas, Henrique Mol, o uso dos aplicativos cresce pela facilidade que oferece. “A razão é o próprio uso do celular que é utilizado para resolver qualquer tipo de demanda hoje em dia. As pessoas estão migrando de canal e quando têm uma experiência satisfatória com o mobile não costumam voltar para os canais anteriores”, explica Mol.

A Fórmula Pizzaria tem hoje 14 lojas espalhadas por Minas Gerais e Rio de Janeiro. Atualmente, os pedidos via aplicativo chegam à casa dos 60% do total e são atendidos pela unidade mais próxima. Em 2016, quando a rede aderiu ao modelo de franchising, passou a investir nos apps, fechando parceria com a iFood, maior agregador do Brasil e investindo também no próprio aplicativo.

O uso do aplicativo possibilita ao cliente no momento de fazer a compra visualizar o cardápio com imagens dos produtos oferecidos que o auxilia na escolha. O sistema é prático: o usuário seleciona o que quer no cardápio virtual, confirma o pedido e escolhe a forma de pagamento, que pode ser direto ao entregador ou on-line, no cartão de crédito.

O iFood é líder em delivery on-line de comida na América Latina. Com foco em inovação, a foodtech realiza mais de 8,7 milhões de pedidos mensais. Desde 2011 no mercado, a empresa de origem brasileira está presente também no México e na Colômbia. Atua junto aos parceiros com iniciativas que reúnem soluções de gestão de restaurantes e inteligência de negócio como iFood Logistics e iFood Shop. Conta com mais de 800 colaboradores no Brasil e 150 na operação Latam.

Principais aplicativos de delivery on-line do mercado“Temos o nosso próprio aplicativo e parceria exclusiva com o IFodd. Antes as empresas queriam ter o aplicativo próprio mas hoje gigantes como o iFood são a opção mais simples. Novidades como o Glovo, que além de comida entrega outros produtos, são uma evolução.

O mercado está em constante mudança. O importante é percebermos que sempre vão existir clientes para cada canal e que eles podem usar mais de um canal, de acordo com a situação. A estratégia é fortalecer parcerias, trabalhando em conjunto para conseguir benefícios como ações de marketing e melhor posicionamento na lista, por exemplo”, avalia o diretor executivo da Fórmula Pizzaria.

Principais aplicativos de delivery on-line do mercado

Hoje, no mercado, existem diversos aplicativos conhecidos de delivery on-line, como o iFood, RestauranteWeb, Hellofood e PedidosJá. As maiores empresas são o iFood e RestauranteWeb, que se fundiram, e juntas possuem 5 milhões de usuários.
Embora sejam parecidos, cada aplicativo possui seus próprios diferenciais. Veja a seguir como funciona a atuação de cada um:

Ifood e Restaurante Web: as empresas donas desses serviços cobram um plano mensal de no mínimo R$100 além de uma taxa de 12% sobre as vendas realizadas dentro da plataforma, ou seja, o pagamento só é realizado sobre os pedidos gerados dentro dos canais deles. Os aplicativos funcionam nos seguintes estados brasileiros: CE, PE, BA, RJ, SP, PR, DF, MG, SC, RS, AM, PA, RN, GO, MT.

Hellofood: esse aplicativo não é exclusivo do Brasil, ele atende outros da América do Sul, como México, Chile, Colômbia e Argentina. O principal diferencial do Hellofood em relação à concorrência é o fato de que os usuários podem ganhar cupons promocionais ou de desconto para serem utilizados posteriormente, até mesmo dentro dos próprios estabelecimentos. Existem mais de 3.000 restaurantes cadastrados desse aplicativo.

PedidosJá: assim como o Hellofood, o aplicativo PedidosJá atua fora do Brasil também, similarmente em outros países da América do Sul, como Argentina, Colômbia, Chile, Porto Rico, Peru, Venezuela e Uruguai. Hoje, a plataforma já possui mais de 4.000 restaurantes cadastrados. É importante lembrar que o serviço dessa empresa não está disponível para todas as cidades brasileiras.
É importante destacar, que o Programa Consumer, liberou recentemente a integração de seu sistema com o iFood. Com essa integração, bares, restaurantes e lanchonetes podem atender os pedidos diretamente no Consumer, os pedidos são lançados automaticamente, simplificando processos e evitando o retrabalho.